Mini Motos se reúnem no
Gabriel Marazzi
Mini Motos se reúnem no "Beco do Batman", na Vila Madalena, depois de um passeio pela cidade de São Paulo

Quando comecei a gostar de motocicletas, lá pelos oito anos de idade, todas elas me pareciam muito grandes. Até mesmo uma cinquentinha. Aliás, as cinquentinhas, motocicletas completas, com câmbio e embreagem, e motor de 50 cm 3 , eram a febre do momento.

Aqui e lá fora: filmes de adolescentes na praia e conjuntos de rock descobriram a diversão de pilotar essas motoquinhas , adotando-as em suas estratégias de marketing. E mais, astros consagrados do cinema e da música aproveitaram a onda para promoverem suas imagens.

Daí vieram as mini motos, motocicletas ainda menores, de uso exclusivo para diversão. Mesmo não cabendo em cima da maioria delas, os adultos, mais uma vez, tomaram conta da situação, assim como aconteceu com o autorama , que virou brinquedo de gente grande. E lá estão, novamente, os grande astros com suas mini motos, que também viraram febre.

Eu ia sempre no galpão do principal importador de motocicletas, em São Paulo, e pilotava muitas dessas mini motos , mas acabei não tendo nenhuma delas, já que minha primeira motocicleta tinha motor de 100 cm 3 . Mas ficou a vontade de ter uma belezinha dessas.

"Motoquinhas"

Mini Motos na Avenida Paulista, onde chamaram bastante atenção de outros motociclistas e de quem transitava por lá
Gabriel Marazzi
Mini Motos na Avenida Paulista, onde chamaram bastante atenção de outros motociclistas e de quem transitava por lá

Hoje tenho algumas cinquentinhas, que, às vezes, me levam para uma volta pelo bairro. Só que, nas semana passada, conheci um grupo de colecionadores de mini motos e acabei participando de um belo passeio com eles. Trajeto bem apropriado para as cinquentinhas, as mini motos e os scooteres , pela região central de São Paulo.

A reunião foi na Praça Benedito Calixto, na zona oeste, local de uma das mais tradicionais feira de objetos antigos e colecionáveis da cidade. Tudo a ver. Um passeio pelas principais vias nos levou a destino final, o Beco do Batman, na Vila Madalena. Esse local ficou famoso depois que um artista pintou o Batman nos muros das vielas adjacentes. Virou point, cult.

Leia Também

A maioria das mini motos era Honda Monkey , modelo icônico que ganhou esse nome por fazer parecer que um macaco a estivesse pilotando, de tão pequena. Versões com tanque avantajado foram chamadas de Gorilla.

Entre os modelos que participaram do passeio em São Paulo estavam Honda Monkey e Suzuki RV90
Gabriel Marazzi
Entre os modelos que participaram do passeio em São Paulo estavam Honda Monkey e Suzuki RV90

A Honda Monkey foi produzida de 1961 até poucos anos atrás, parando sua comercializaçãoo por motivos de emissões. Mas uma versão moderna, um pouco maior e com motor de 125 cm 3 , foi lançada em seguida, para aproveitar tanto a onda retrô quanto à busca de alternativas de transporte individual.

Muitas outras motocicletas juntaram-se ao passeio, que foi liderado pelo divertido grupo Monkings, como Yamaha Mini Enduro (que também tem uma história interessante), Suzuki RV 90 e Honda ST 70 , modelinho que cabia em porta-malas, bastando recolher o guidão retrátil.

A manhã foi bastante agradável, mesmo que as “motoquinhas” não pudessem oferecer grandes desempenhos aos participantes. Mesmo assim, alguns tentaram.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários