Tamanho do texto

Nova caixa de seis marchas favorece conforto e consumo. Confira mais detalhes do hatch da marca francesa no vídeo abaixo

O Peugeot 208 automático sempre sofreu com um grande fator em tempos de crise: o consumo. Por ter uma antiquada caixa automática, de apenas quatro  marchas, o pequeno hatch consumia bem. A média urbana girava na casa dos 6 km/l e não passando dos 12 km/l na estrada com apenas etanol no tanque. Mas isso mudou na linha 2018, quando a marca francesa, finalmente, resolveu adotar o novo câmbio Aisin, de seis marchas.

LEIA MAIS: Toyota Corolla XRS: confira o vídeo detalhe do sedã médio

A caixa autamática já é usada pela marca nos modelos 308, 408 e 3008, então não foi difícil para acertar a relação no pequeno hatch. De fato isso aconteceu e o Peugeot 208 ficou bom de dirigir e, sobretudo, econômico.

Peugeot 208: com os retoques no visual, os faróis deixaram de ter luzes diurnas de LED entre os detalhes
Rafael Ramalho
Peugeot 208: com os retoques no visual, os faróis deixaram de ter luzes diurnas de LED entre os detalhes

O ciclo urbano pulou para 8 km/l, batendo os 15,7 km/l na estrada. Além disso, o modelo conta com dois modos de transmissão: Sport onde a relação fica mais alta, e ECO, priorizando as trocas em baixas rotações, sempre jogando as marchas. Para se ter uma ideia, a 55 km/h, o modelo já está em sexta marcha, ajudando muito no consumo de combustível.

LEIA MAIS: Toyota Etios X 1.3: o sedã compacto com câmbio automático

Como nem tudo são flores, algumas coisas foram perdidas na linha 2018 do 208. Apesar da reestilização, que deixou o modelo mais atualizado, não há mais luzes diurnas de LED nos faróis e as de cortesia, no interior do carro, passaram a ser convencionais. Além disso, a central multimídia, apesar de ser nova, não conta mais GPS integrado. E se quiser trocar de marcha no modo sequencial não terá mais como contar com as hastes atrás do volante. 

Maturidade

Interior vem com volante pequeno e quadro de instrumentos elevado, mas ficou menos sofisticado do que já foi
Rafael Ramalho
Interior vem com volante pequeno e quadro de instrumentos elevado, mas ficou menos sofisticado do que já foi

Mesmo assim, alguns itens do 208 ainda são exclusivos se for levado em consideração seus principais concorrentes. Na versão Griffe, o carro vem com  ar-condicionado digital de duas zonas, além do teto solar panorâmico, um dos itens mais legais que equipa o pequeno hatch da marca francesa.

LEIA MAIS: Honda Civic Sport: versão mais simples é a melhor de dirigir

Outro ponto que chama atenção no Peugeot 208 é o console, que foi batizado de i-Cockpit. O painel de instrumentos fica mais alto, praticamente na altura do para-brisa, que ajuda o motorista desviar o mínimo de atenção possível para olhar a velocidade, por exemplo. O volante pequeno com base achatada tem bons ajustes de altura e profundidade, passando uma sensação de direção bem diferente do que estamos acostumados. Confira o vídeo acima!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.