Tamanho do texto

Ícone da década de 70 traz motor big block e muita diversão ao volante. Confira as nossas impressões

Em meados da década de 60 um novo tipo de carro chegou às ruas nos Estados Unidos: o muscle car.   Um dos mais emblemáticos, o Pontiac GTO, foi lançado oficialmente em 1964 e passou a ser considerado historicamente o primeiro representante desse estilo, que ficou consagrado pela combinação de motores grandes e torque de sobra. Em meio a este sucesso, surge o Dodge Challenger.

LEIA MAIS: Fusca Itamar turbinado chega perto dos 200 cv de potência

O Dodge Challenger é aclamado por muitos entusiastas, incluindo este que vos escreve, como um dos maiores representantes do gênero. Ele chegou às lojas em 1971, ficou pouco tempo no mercado, mas logo mostrou sua essência brutal.

Um filme que ajudou a construir sua história de sucesso, altamente indicado,  chama-se “Vanishing Point”, no Brasil com o título de “Corrida contra o destino”, lançado em 1971 e que teve um remake em 1997. Vale a pena fazer uma busca no Youtube pelas cenas mais divertidas do longa.

LEIA MAIS: Aceleramos a nova geração do Ford Mustang GT 2018

O exemplar da matéria é um R/T, de 1971. Traz como diferenciais o clássico jogo de rodas da Cragas, além do aerofólio nada discreto, porém item original desse pacote. Além disso, sob o capô, o lendário shaker balança a cada acelerada mais nervosa.

Anabolizante

Dodge Challenger R/T 1971
Divulgação
Dodge Challenger R/T 1971

Nesse ponto vale ressaltar os atributos mecânicos do ícone. O motor V8 de 440 polegadas cúbicas e 7,2 litros traz o six pack, um opcional de época que trazia três carburadores duplos e despejava no asfalto nada menos do que 390 cv.

LEIA MAIS: Volkswagen Quantum com apenas 3 mil km é capsula do tempo

O mais divertido dessa história é o câmbio manual, algo até certo ponto raro em muscle cars . As quatro marchas são engolidas rapidamente quando o pé direito afunda no pedal do acelerador. Mas vale ressaltar que se afundar demais o motorista corre o risco de derreter os pneus e provocar uma nuvem de fumaça.

Gravar matérias como essa geram apenas um tipo de problema: um desejo angustiante de repetir tudo de novo. Brincadeiras à parte, acelerar um muscle car clássico é uma experiência única, seja pelo estilo, história ou apenas pela sensação de sentir o corpo colando no banco. Confira a avaliação do Dodge Challenger acima. Nos vemos semana que vem!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.