Versão única do Galaxie foi usado em corridas como carro de apoio para equipe de competição da Ford
Renato Bellote
Versão única do Galaxie foi usado em corridas como carro de apoio para equipe de competição da Ford

Na década de 70 o automobilismo brasileiro estava no auge. Esse processo havia começado algum tempo antes com grandes nomes que foram surgindo e se firmando no cenário nacional. Alguns deles foram brilhar no exterior, como foi o caso dos irmãos Fittipaldi.

Nessa época as marcas investiam bastante em várias categorias para demonstrar a qualidade de seus produtos na pista . Isso se refletia nas vendas das concessionárias. Um bom vencedor nas provas de longa duração ou tradicionais do automobilismo geralmente tinha uma boa saída nas lojas.

O Ford Galaxie chegou mercado em 1967, no Salão do Automóvel, e logo conquistou um público de alto poder aquisitivo e que apreciava suas qualidades, especialmente o requinte, o silêncio do motor V8 em funcionamento e a maciez da suspensão com molas helicoidais.

Em 1969 o departamento de estilo e design da marca no Brasil desenvolveu uma perua para transformar em ambulância. Esse projeto foi feito completamente dentro da fábrica e tinha como objetivo principal uma amostra da capacidade técnica para exposição nos eventos de pista . Este exemplar não atendia dentro da fábrica, mas sim nas corridas que a marca patrocinava ou participava.

Leia Também

Um de seus destaques é o interior claro, disponível no modelo apenas durante o ano de 1968. Além disso traz as adaptações necessárias para o serviço, tais como sirene no teto , a correspondente sirene no compartimento do motor e a caracterização para o reconhecimento no trânsito.

Na parte traseira a adaptação foi muito bem feita com espaço para o paciente e também assento extra para acompanhante ou enfermeiro. Por ali também podemos ver o cilindro de oxigênio e uma pequena abertura por onde é possível fazer a comunicação com os passageiros do banco da frente.

Mecanicamente a perua traz o motor com 292 polegadas cúbicas e 4,8 litros , o standard que equipava o modelo na época. Vale ressaltar que nesta versão foram feitas mudanças na suspensão, que não perdeu a maciez, e também no diferencial, o mesmo da picape F-100 . O restante vocês conferem no vídeo. Até a próxima semana!


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários