Tamanho do texto

A motocicleta de Tarso Marques foi desenvolvida e produzida inteiramente no Brasil, que tal como o 14 Bis, chamou a atenção no estrangeiro. Veja vídeo

Você já viu uma moto com rodas de 36 polegadas, com motor aeronáutico Rolls-Royce Continental V6, da década de 1960, com 300cv, e construção em fibra de carbono? Dê boas vindas à motocicleta futurista TMCDumont, da Tarso Marques Concept. O projeto é inteiramente brasileiro, projetado pela oficina do ex-piloto de Fórmula 1 e Indy, Tarso Marques, que venceu o maior campeonato de customização nos Estados Unidos.

LEIA MAIS: Polaris lança pequeno 4x4 com motor turbo, de 170 cv, e câmbio automático CVT

Segundo afirma Tarso Marques : “É um projeto especial com o qual já venho sonhando há, pelo menos, 15 anos. Não o desenvolvi antes pois era muito difícil de concretizá-lo sem auxílio tecnológico de parceiros de fora. E eu queria que este fosse um projeto 100% brasileiro, sem qualquer fornecedor estrangeiro. Tudo nela foi desenvolvido e fabricado no Brasil, da pintura repleta de aerografia à usinagem das rodas e chassi”.

Como aconteceu

O primeiro passo para o desenvolvimento da motocicleta futurista foi capacitar a equipe e as instalações da TMC Concept em um nível avançado. Para isso, o piloto e dono da oficina não poupou investimentos e buscou os maquinários modernos. Para esta empreitada, o empresário diz que precisou de muita mão de obra. “Ao todo foram adquiridas máquinas centro de usinagem Romi de alta precisão com acessórios Sandvik, máquina de Laser Mark e Router da ECNC, equipamento Eletron para evitar corrosão nos metais, scanners a laser da Faro Technology, impressoras 3D da Wishbox, assim como softwares de engenharia para desenvolvimento de novas peças baseados em tecnologia de ponta. E, claro, muito treinamento da equipe também”, informa.

LEIA MAIS: Muita diversão com o alucinante Kawasaki Jet Ski SR-X

Com todo equipamento em mãos, a equipe precisou apenas iniciar os desenhos e projetar a motocicleta para o início da produção do modelo. Seu motor, por exemplo, é de aviação e foi a única parte que precisou de auxílio especializado. “Encontramos esse motor da década de 1960 totalmente acabado em um aeroclube no Paraná. Como em aviação todos os sistemas são redundantes e mais complexos, refazer todo o motor e padronizá-lo para rodar de forma mais simples em uma motocicleta demandou mais tempo”, comenta o designer do projeto. Foi necessário abrir o motor inteiro e praticamente refazê-lo, desde refrigeração, bomba de combustível, até usinagem de algumas peças específicas. A transmissão do tipo CVT utilizada, por exemplo, teve que ser desenvolvido e fabricado pela própria TMC. “Na restauração do motor, tivemos total apoio da Universidade Tuiuti (PR), com equipe formada por alunos e professores do curso de engenharia. Para se ter ideia, até mesmo o conjunto de freios, formado pelas pinças e discos, foram totalmente fabricados por nós, no corte a laser e usinagem na TMC”, explica o projetista.

Maior roda do mundo, com 36 polegadas, e usinagem brasileira

Tarso marques se orgulha que o projeto tem origem, desenvolvimento e ideias 100% brasileiras
Divulgação
Tarso marques se orgulha que o projeto tem origem, desenvolvimento e ideias 100% brasileiras

Um dos pontos de maior destaque da TMC Dumont são suas rodas. Seu conjunto também foi totalmente desenhado e usinado no Brasil pela própria TMC. Segundo Tarso Marques, estas são as maiores rodas do mundo já fabricadas para uma motocicleta, com 36 polegadas de diâmetro, praticamente 1,5 metro de altura. Outro detalhe importante está no fato de elas serem totalmente vazadas, sem aros ou cubo central. Ficam fixadas em uma seção inferior das rodas de forma sutil, para que a ideia de que o modelo rode “flutuando” fique evidenciada. Os pneus também tiveram de ser totalmente fabricados pela TMC e são exclusivos para uso da Dumont.

LEIA MAIS: Kawasaki Versys-X 300: a mais nova integrante da família japonesa

Mas não é só no design que ela é impactante. Muito do que seu conjunto apresenta no que se refere às soluções de engenharia, deixariam qualquer expert no assunto muito surpreso. Segundo Tarso Marques, algo que impressionou muito até mesmo os americanos, acostumados com projetos conceituais pouco usuais, foi a ausência de bengala para fixação da suspensão e roda traseira, assim como do garfo dianteiro, também para fixação da suspensão, guidão e roda dianteira. Outro destaque é o chassi. confeccionados pela própria TMC, feito em alumínio com cromo-molibdênio, para oferecer maior resistência.

Além disso, vale dizer que praticamente todos os detalhes na TMC Dumont ficam “escondidos” e longe dos olhos mais curiosos e detalhistas. Do cabeamento do guidão, velocímetro, iluminação retrátil, até tanque de combustível de alumínio (16 litros), reservatório de óleo (8 litros) e conjunto de suspensões - reguláveis eletronicamente por um botão ou controle remoto - é praticamente impossível dizer qual componente é o que.

“O modelo é inovador e representa fielmente agora a capacidade que nosso país tem em concretizar projetos únicos. O motor de avião, o visual futurista e até o guidão e painel inspirados na aerodinâmica dos aviões, homenageiam Alberto Santos Dumont, um grande ídolo para mim. Minha maior motivação foi mostrar para os americanos a nossa capacidade de criação e inovação com um projeto 100% nacional. E acho que esses troféus das fotos respondem bem essa dúvida e comprovam que, não apenas tivemos sucesso, mas que o sonho valeu a pena”, afirma Tarso Marques.

Como o modelo era um projeto totalmente além do que se conhece hoje sobre customização de motos, Tarso Marques procurou manter segredo sobre sua fabricação durantes os 3 meses de montagem da motocicleta. “Gravamos toda a construção, mas procuramos manter segredo até o último momento para evitar comentários. O primeiro teste dinâmico, por exemplo, fizemos durante uma madrugada em São Paulo, sem ninguém notar”, diz.

Recém-chegado nos Estados Unidos, Tarso Marques foi, mais uma vez, o vencedor do tradicional campeonato de customização mundial, realizado entre os dias 9 e 18 de março, que no caso deu destaque às motocicletas: o Daytona Bike Week 2018. Organizado todos os anos em Daytona Beach, na Flórida, o local se transforma em um verdadeiro templo para os motociclistas durante essa época do ano. Com 77 anos de tradição e reconhecimento mundial, reúne sempre os maiores fabricantes e customizadores do mundo nas ruas da famosa praia americana. São mais de 500 mil pessoas que participam da festa, todos com um mesmo gosto: a paixão pelas motos. Não por menos, por lá já saíram nomes famosos da fabricação e customização de motocicletas, como os integrantes da família Teutul, da Orange County Choppers, bem como Dave Perewitz, Indian Larry, Cyril Huze, entre outros.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.