Câmbio Honda
Divulgação
Os desenhos revelam que contará com toda uma robótica moderna para a gestão do seu câmbio

Um dos diferenciais dos modelos maiores da Honda é câmbio DCT, automatizado de dupla embreagem, e que atua como câmbio automático para entregar mais desempenho e suavidade. Entretanto, a marca japonesa demonstra estar trabalhando em novas soluções. Patentes registradas nos EUA mostram que a Honda pediu o registro de um sistema de câmbio que permanece sem a operação manual da embreagem, mas com engrenagens de uma transmissão convencional e sem a complexidade do sistema de dupla embreagem DCT.

LEIA MAIS: Edição limitada da Honda CB1100 RS 5Four revive a linhagem da ícone 7 Galo

Pelos desenhos da Honda , é possível assumir que a marca está estudando um sistema de câmbio semi-automático com embreagem controlada por computador nas saídas e paradas. Para as passagens de marcha, a tecnologia atual do quick-shifter já possibilita as trocas sem embreagem, manipulando o acelerador e a ignição por módulos eletrônicos. O desenvolvimento todo tomará como base a Honda CB 1100 .

LEIA MAIS: Honda CB 1000R Neo Sports Café: aceleramos o modelo com mais de 140 cavalos

Brasil
Divulgação
A versão RS é a que mais carrega adereços esportivos, com visual bastante apelativo

Por se tratar apenas de uma patente, não é possível afirmar que a Honda irá realmente aposentar os câmbios de dupla embreagem DCT em favor dessa nova tecnologia tão cedo, mas a marca permanece determinada em oferecer transmissões sem a necessidade de uso da embreagem.

LEIA MAIS: Chegam em pré-venda as novas Honda CB 650R e CBR 650R

Não devemos ver grandes mudanças no visual e no seu motor. Com 4 cilindros em linha e 1.140 cc, o modelo clássico-moderno da Honda rende 90 cv e 9,27 kgfm. São números maiores do que a maioria das streetfighters, mas não tão grande quanto as esportivas de cilindrada similar.

    Veja Também

      Mostrar mais