Volume de scooteres nas ruas em tempos de forte crise econômica aumenta junto com a chegada da nova era da mobilidade
Divulgação
Volume de scooteres nas ruas em tempos de forte crise econômica aumenta junto com a chegada da nova era da mobilidade

Seguindo tendência mundial, o uso de scooteres vem crescendo exponencialmente. De acordo com a Fenabrave, entidade que congrega os revendedores, no primeiro semestre deste ano as vendas desse veículo cresceram 59% em relação ao mesmo período de 2020.


Apenas em 2020, foram vendidas 307.718 unidades , um crescimento significativo em relação a 2019, ano que já tinha sido muito bom. Neste ano, de janeiro a outubro, foram vendidas 311.264 unidades , apesar da falta de suprimentos eletrônicos que afetou a indústria automotiva como um todo.

"A indústria está atenta, apresentando novos modelos e renovando os existentes. Há poucos meses houve o lançamento das linhas 2022 com novidades nos principais produtos", explica Eduardo Viotti, idealizador e organizador do Salão do Scooter | Urban Mobility Expo.

A capital paulista será a primeira cidade do país a sediar um salão dedicado inteiramente aos scooters , motonetas e motociclos. Com objetivo de promover a interação comercial e institucional entre montadoras, fornecedores, marcas de equipamentos e, sobretudo, o crescente público usuário dos veículos desta categoria.

Promovido pela Market Press, empresa pioneira no setor de eventos de duas rodas, com mais de 30 anos de atividade, o Salão do Scooter/Urban Mobility Expo terá inúmeras atividades durante os dias 12 e 15 de maio de 2022 que acontece no "novo" Pavilhão de Exposição do Anhembi.

O amplo espaço - com cerca de seis mil metros quadrados de área total será destinado além de lançamentos, apresentação de novas tecnologias contará com uma área para test ride , com aulas e treinamento de condução.

Modelos de scooteres elétricos tendem a aumentar no mercado apesar dos modelos a combustão serem econômicos
Divulgação
Modelos de scooteres elétricos tendem a aumentar no mercado apesar dos modelos a combustão serem econômicos

O mercado está diante de alguns impasses, com a valorização rápida e vigorosa do dólar, uma ameaça ao poder aquisitivo de produtos de alto valor agregado, bem como a inflação, que tem retomado níveis alarmantes, e também prejudica o poder de compra.

Dessa maneira, Viotti ressalta que a motocicleta e o scooter têm ocupado o papel de principal veículo em um número crescente de famílias, instadas a evitar os aglomerados transportes públicos e acossadas pela elevação surpreendente dos preços dos combustíveis . Economia e praticidade são as palavras de ordem quando se fala de scooters.

Leia Também

"Em um panorama mais amplo, o único segmento que tem crescido com intensidade é o dos scooteres e das motocicletas utilitárias, considerando que os carros populares estão desaparecendo", explica.

Questionamos também o organizador a respeito dos mercado dos scooters elétricos para o futuro. A longo prazo, com a evolução e o barateamento das modernas baterias de lítio e outros elementos, os motores elétricos devem predominar na urbe, embora o uso em deslocamentos de larga distância ainda deve demorar mais, pelo tempo de recarga necessário para a autonomia.

"Os scooteres são muito econômicos (30 km/l e 50 km/l na gasolina) e leves, o que torna pouco necessário os motores elétricos para o bolso do consumidor. Com o atual pack de baterias volumoso e pesado, seria difícil hoje ter uma autonomia razoável", finaliza.

SERVIÇO - Salão do Scooter/Urban Mobility

Quando: De 12 a 15 de maio de 2022, das 14h às 22h

Onde: Pavilhão de Exposições do "novo" Anhembi

Endereço: Av. Olavo Fontoura, 1209 - Santana, São Paulo (SP)

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários