Tamanho do texto

Vice-líder de vendas no Brasil, hatch compacto logo vai precisar de mais mudanças para continuar tendo apelo, mas agrada no dia a dia

Hyundai HB20 1.0 Comfort Plus: conjunto bem acertado ainda tem certo fôlego para manter  apelo no mercado
Divulgação
Hyundai HB20 1.0 Comfort Plus: conjunto bem acertado ainda tem certo fôlego para manter apelo no mercado

Sucesso de vendas no Brasil, o Hyundai HB20 recebeu retoques no desenho, entre outras novidades, no final de 2015, mas ainda continua atual na linha 2017. E mostra porque se mantém na vice-liderança de vendas, de acordo com os números da Fenabrave (Federação Nacional dos Distribuidores de Veículos). Mesmo na simples versão avaliada, a Comfort Plus 1.0 (45.830), o carro deixa claro que tem um conjunto bem acertado e que consegue agradar tanto no trânsito do dia a dia na cidade quanto em alguma viagem de fim de semana.

LEIA MAIS:  Segredo! Hyundai testa no Brasil hatch menor que o HB20. Saiba mais detalhes

A receita do hatch compacto foi elaborada pensando nos gostos do consumidor brasileiro (daí a sigla HB, de Hyundai Brasil) e realmente deu certo. No acumulado dos dois primeiros meses do ano, o modelo contabiliza 13.883 unidades, volume abaixo apenas das 25.280 do GM Onix e acima das 12.843 do Ford Ka, o terceiro carro mais vendido do País. Mas logo o carro vai precisar de mais mudanças para continuar tendo apelo no disputado segmento de compactos. Por enquanto, o que adotaram na linha 2017 foram apenas alterações nas listas de equipamentos das versões. 

Afora a direção que ainda conta com assistência hidráulica (e não elétrica), o que acaba deixando o volante um pouco mais pesado do que deveria nas manobras, o HB20 1.0 é agradável de guiar. Já começa pela posição de dirigir, que não é tão alta quanto a de alguns dos seus rivais e conta com regulagem de altura do banco do motorista.  Além disso, o volante de quatro raios tem boa empunhadura e vem com os principais comandos do som, além dos botões para atender e desligar ligações telefônicas por meio da conexão Bluetooth. O sistema de som é simples, mas eficiente, fácil de ser conectado com qualquer celular, além de ter entradas USB e auxiliar e boa qualidade dos alto-falantes.

Visto de traseira é que fica ainda mais claro que o HB2) mudou pouco desde o lançamento, em 2012
Divulgação
Visto de traseira é que fica ainda mais claro que o HB2) mudou pouco desde o lançamento, em 2012

No painel, o destaque fica por conta da ergonomia elogiável, com todos os comandos bem localizados e fáceis de ser acionados, seja do ar-condicionado, do som, ou qualquer outro botão. Mas apesar do quadro de instrumentos ter mostradores bem visíveis, são praticamente iguais aos do primeiro HB20 de 2012 e já pede mudanças. Vem com iluminação azul e vermelha, antigo padrão que a Volkswagen usou no início dos anos 2000 até meados da década passada. As barrinhas digitais para marcar a temperatura o nível de combustível também já cansaram, mas vale citar que o carro já vem com computador de bordo que marca autonomia, entre outras informações.

LEIA MAIS: hyundai Creta Prestige 2.0 mostra o lado mais esportivo que utilitário

Como anda o HB20 1.0

O acabamento é simples, mas de bom gosto e o isolamento acústico é adequado pela proposta do carro. Ao acelerar, fica claro aquele ronco característico(e, de certa forma, até empolgante) dos três cilindros do motor 1.0 funcionando, mas sem incomodar. São 80 cv e bons 10,2 kgfm de torque a 4.500 rpm, força suficiente para dar agilidade razoável no dia a dia dentro das limitações da baixa cilindrada. Com o câmbio de relações bem escalonadas e engates fáceis, o carro se sai bem no quesito desempenho na comparação com os rivais 1.0. O carro é relativamente leve (990 kg), o giro sobe rápido e não cai demais entre uma troca de marcha e outra, mantendo a faixa de utilização ideal para manter agilidade, entre 3.500 e 4.500 rpm.

Pelo o que notamos, a suspensão do HB20 tem um ajuste um pouco mais firme, o que favorece a manter o carro estável nas curvas, mas acaba não absorvendo tão bem as irregularidades do piso., o que pode causar algum solavanco, dependendo da situacão. Apesar disso, o sistema funciona em silêncio e transmite segurança, embora o hatch não conte com controle eletrônico de estabilidade nem como opcional, em nenhuma versão, algo que precisará ser revisto na nova geração do modelo.  O compacto vem com rodas de aro 15, com calotas plásticas, montadas em pneus 185/60R. E os freios também funcionam a contento, bem equalidados e dimensionados, com discos no eixo dianteiro e tambores no traseiro. Bom também é que essa versão 1.0 aspirada é econômica, fazendo 12,5 km/l de gasolina na cidade e 14,1 km/l na estrada, de acordo com o Inmetro.

LEIA MAIS: Hyundai Creta STC antecipa futura picape rival de Fiat Toro e Renault Oroch

Hyundai HB20 1.0 Comfort Plus
Divulgação
Hyundai HB20 1.0 Comfort Plus

Com bom espaço na comparação com os rivais, o HB20 leva 300 litros de bagagem e leva cinco ocupantes em muito aperto. Há ancoragem do tipo ISOFIX para encaixar cadeirinhas infantis, o encosto do banco traseiro é rebatível e as portas travam automaticamente a partir de 15 km/h. Além disso, a visibilidade é boa, proporcionada pela área envidradada e pelo ângulo de visão dos retrovisores. Apenas o espelho interno ainda vem com o antiquado botão do tipo dia/noite. O ideal seria que fosse eletrocrômico, outro ponto a ser visto na próxima geração do HB20.

Dono de uma receita vencedora, o HB20 1.0 Confort da linha 2017 ainda é atual e tem uma série de qualidade que o mantém na segunda posição no ranking dos carros mais vendidos no Brasil, como o conjunto bem acertado e o desenho ainda moderno e com certo arrojo. Mas já faz cinco anos que o carro foi lançado e as mudanças que recebeu até agora foram bem discretas. Para continuar tendo apelo de vendas e bater de frente com o Chevrolet Onix, logo terá que passar de geração, o que não deverá acontecer antes de 2018.

Ficha Técnica
Preço: R$ 45.830

Motor: 1.0, três cilindros, flex

Potência: 80 cv a 6.200 rpm

Torque: 10,2 kgfm a 4.500 rpm

Transmissão: Manual, cinco marchas, tração dianteira

Suspensão: Independente (dianteira) / eixo de torção (traseira)

Freios: Discos ventilados na dianteira e tambores na traseira

Pneus: 185/60 R15

Dimensões: 3,92 m (comprimento) / 1,68 m (largura) / 1,47 m (altura), 2,50 m (entre-eixos)

Tanque : 50 litros

Consumo: 12,5 km/l (cidade) /14,1 km/l (estrada) com gasolina

0 a 100 km/h: 14,6 segundos

Vel. Max: 161 km/h

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.