Tamanho do texto

Nova geração do modelo fica mais estilosa e eficiente. Com motor 1.5, turbo, baixo consumo também anima no cômputo geral

Mini Countryman S: estilo arrojado, espaço e baixo consumo na versão S com motor 1.5 turbinado, de três cilindros
Divulgação
Mini Countryman S: estilo arrojado, espaço e baixo consumo na versão S com motor 1.5 turbinado, de três cilindros

Até a linha Mini se rendeu à onda dos SUVs, segmento que mais cresce atualmente no mundo inteiro e que no Brasil caminha para atingir 20% do mercado. Quem diria que a marca do simpático carrinho de apenas duas portas, visto nas cenas do filme “Uma Saída de Mestre” fazendo manobras arriscadas nas escadarias do metrô poderia ter uma versão anabolizada, fazendo as vezes de utilitário esportivo? Pois é, sinal dos tempos…Pelo menos o espírito de irreverência e a ideia de se manter o mais compacto possível são características que foram mantidas. 

LEIA MAIS: Mini Cooper S Cabriolet:  diversão garantida. Confira nossa avaliação

Na versão S (R$ 164.950) que avaliamos, o motor é pequeno, mas tem bom fôlego, assim como as mais tradicionais da Mini. Trata-se de um 1.5, de três cilindros, turbo, capaz de render 136 cv e nada desprezíveis 22,4 kgfm de torque a partir de 1.400 rpm, o que garante certa agilidade desde as primeiras marcações do contagiros. Entretanto, se a idéia é ter o máximo de agilidade que o novo Countryman S pode entregar, deve-se  manter o ponteiro do contagiros sempre acima dos 3.000 rpm.

E terá que fazer isso pisando com um pouco mais de vontade no acelerador, ou selecionando o modo sequencial do câmbio automático de seis marchas e movendo a alavanca para frente e para trás, já que não há hastes atrás do volante, o que existe de série apenas na versão topo de linha ALL4, com motor 2.0 e tração integral. No caso do 1.5 turbo avaliado, a tração é apenas dianteira. 

LEIA MAIS:  Mini JCW: brinquedo de gente grande. Como anda a versão mais apimentada

Para os puristas fãs da Mini, além do novo visual que mantém o estilo ousado, com faróis de formato oval, o acerto do conjunto preserva pelo menos parte do “go-kart-feeling”, aquela sensação que agilidade, principalmente nas curvas. Claro que estamos falando de um SUV compacto, portanto, a questão do peso e do tamanho acabam atrapalhando um pouco a tocada um pouco mais animada. São 4,30 metros de comprimento (o hatch tem 3,89 m) por 1,82 m de largura (10 cm a mais que o hatch) e 1,56 m de altura (14 cm extras).  

Mini anabolizado

Além disso, novo Countryman tem 1.390 kg, ou 140 kg a mais que a versão hatch com o mesmo conjunto mecânico. O bom da história é que o acerto da suspensão deixou SUV um pouco mais confortável por absorver melhor as irregularidade do piso, embora ainda cause alguns solavancos em superficies irregulares, além de batidas secas, dependendo do buraco. Em compensação, o carro sempre transmite segurança nas curvas, ajudado pelos pneus de perfil baixo (225/55R 17).

Bom também é que os freios a disco nas quatro rodas dão conta do recado, mesmo porque o desempenho não é de tirar o fôlego. De acordo com a fabricante, a aceleração de 0 a 100 é feita em plausíveis 9,6 segundos, com máxima de 200 km/h. Nessa versão 1.5 turbo, a questão do consumo também merece destaque. O Inmetro diz que o carro faz 10,6 km/l de gasolina na estrada e 10,1 km/l na cidade, mas pelo computador de bordo, em trecho rodoviário, chegamos a registrar até 14,5 km/l. Pena que o tanque tem apenas 51 litros, o que limita a autonomia. 

Mostrador circular com anel luminoso chama atenção no interior com acabamento caprichado
Divulgação
Mostrador circular com anel luminoso chama atenção no interior com acabamento caprichado

Quem curte dirigir, porém, vai gostar das regulagens do banco do motorista e do volante de boa empunhadura, revestido de couro e com os principais comandos do sistema de som, do computador de bordo e do controlador de velocidade de cruzeiro (“piloto automático”). O ângulo de visão tanto da área envidraçada quanto a proporcionada pelos retrovisores também agrada. Mas apesar do carro ter duas saídas de escape cromadas na traseira, faltou  um ronco um pouco mais esportivo nessa versão S 1.5. 

LEIA MAIS: Que tal um Mini de estilo retrô, mas com detalhes modernos?

Ao contrário do tradicional Mini hatch, não há do que reclamar de espaço nessa nova geração do Countryman. O carro ganhou 7 cm de entre-eixos na comparação ao anterior e 20 cm de comprimento. O resultado é um interior que leva cinco ocupantes sem aperto, bem como suas respectivas bagagens no porta-malas de 450 litros (100 l a mais que o Countryman anterior). O acabamento é caprichado, principalmente os bancos com largos apoios laterais e costuras aparentes. Contudo, apesar da boa lista de equipamentos de série, sentimos falta de um GPS na tela so sistema multimídia, bem como câmera de ré. Além disso, existe apenas uma entrada USB no painel.

Conclusão

Fica clara a evolução do novo Countryman se comparado ao anterior, mas o carro é para quem faz questão de um SUV compacto com o estilo irreverente da Mini e uma discreta pegada esportiva. Com motor 1.5 turbo, a cerimônia em consumir gasolina é um atrativo, mas o fôlego é apenas razoável. Fique atento também aos custos de manutenção, seguro e ao valor de revenda.

Ficha Técnica

Preço:   R$ 164.950 (S 1.5 turbo)

 Motor: 1.5 , três cilindros, turbo, gasolina

Potência: 136 cv  a 4.400 rpm

Torque: 22,4 kgfm  a 1.400 rpm

Transmissão:  Câmbio automático, seis marchas, tração dianteira

Suspensão:Independente (dianteira) e multibraço (traseira)

Freios: Discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira

Pneus: 225/55 R17 

Dimensões: 4,30 m (comprimento) / 1,82 m (largura) / 1,56 m (altura), 2,67 m (entre-eixos)

Tanque : 51 litros

Porta-malas: 450 litros 

0 a 100 km/h: 9,6 segundos 

Vel. Max: 200 km/h 



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.