Tamanho do texto

Versão com câmbio automatizado deverá ser a mais vendida e mostra que tem qualidades para brigar com seus rivais

Fiat Cronos: versão 1.3 com câmbio automatizado agrada, mas ainda falta um melhor ajuste do sistema de transmissão
Caue Lira/iG
Fiat Cronos: versão 1.3 com câmbio automatizado agrada, mas ainda falta um melhor ajuste do sistema de transmissão

Em uma categoria que nunca vendeu tão bem no Brasil, tivemos dois lançamentos recentes. Os alemães prepararam o Volkswagen Virtus, que dificilmente fugirá de seu conservadorismo. Talvez eles tenham exagerado na hora de afastar seu novo produto do Voyage. Os japoneses renovaram o Honda City  e o tornaram mais equipado e seguro, seguindo o padrão do Fit 2018, para tentar atingir um público mais jovem.  E agora chega a vez de conhecer o mais descolado de todos eles. O Fiat Cronos chega com diversos atributos para impressionar na hora da compra.

LEIA MAIS: Fiat lança sedã Cronos a partir de R$ 53.990. Veja fotos e video da novidade

De cara, destacamos três deles: porta-malas, visual e principalmente o preço. Sua chegada foi antecipada pela realocação do Grand Siena, no fim do ano passado. Uma das versões às quais o Grupo FCA deposita maiores esperanças é a que tivemos a oportunidade de dirigir em um trajeto rodoviário, próximo à Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro: o Fiat Cronos Drive 1.3 com câmbio automatizado GSR. Ela parte de R$ 60.990, e chega para provocar rivais que estão um pouco atrás quando falamos de sofisticação.

O design externo e o interior do Cronos são fatores importantes que podem garantir a sua compra. Muito mais que um Argo com porta-malas maior, o sedã realmente exibe uma personalidade única. As luzes de LED nas lanternas traseiras são de muito bom gosto, e deixam o Cronos com a cara do Alfa Romeo Giulia. A frente também traz desenho diferenciado em relação ao Argo. Repare no para-choque com caráter esportivo. Nesse quesito, o design italiano deu um verdadeiro banho no lançamento da Volkswagen.

Seu habitáculo é um reflexo do Argo, com exceção do porta-objetos ao lado do volante que traz as regulagens de iluminação no hatch. Os bons materiais continuam aparecendo, com variedade nas texturas. O revestimento em tecido das portas poderia de melhor qualidade. Também é importante reparar nas hastes trás do volante e no sistema o Start&Stop, que não marca presença no Virtus.

Interior segue o estilo do Argo, mas com ajustes que agradam, como o acabamento e a realocação do botão dos faróis auxiliares
Divulgação
Interior segue o estilo do Argo, mas com ajustes que agradam, como o acabamento e a realocação do botão dos faróis auxiliares

Integrando o mesmo sistema do hatch, o kit multimídia fica devendo GPS. Mas você poderá utilizá-lo por meio das funcionalidades do Android Auto que replicam Google Maps e Waze na central. Os recursos ainda não marcam presença no Apple CarPlay, portanto, os donos de iPhone terão que seguir o trajeto através da tela do celular. O som é razoável, mas distorce em volumes elevados.

O entre-eixos foi guardado a sete chaves até o seu lançamento oficial. O Cronos traz os mesmos 2,52 metros do Argo, garantindo espaço razoável para dois adultos e uma criança no banco de trás. Alinhe isso com os 4,36 metros de comprimento, 1,72 metros de largura, 1,51 metros de altura. O mais legal é que o sedã consegue ter um caimento no estilo fastback na traseira, e ainda entregar o maior porta-malas da categoria. Sâo 525 litros de capacidade para que nenhuma mala fique apertada no compartimento. A alça conhecida popularmente como “pescoço de ganso” foi moldada para otimizar o espaço-interno.

LEIA MAIS: Fiat Cronos: sedã compacto chega repleto de novidades. Veja vídeo

Sedã bem acertado

Em movimento,  o sedã mostra que vem com suspensão mais firme que a do Argo, mas ficou bem ajustada
Divulgação
Em movimento, o sedã mostra que vem com suspensão mais firme que a do Argo, mas ficou bem ajustada

Ao volante,  do Cronos, o carro causou boa impressão. O acerto de suspensão é mais firme que o Argo, mas se mostrou bem ajustada. Sempre que dirijo o hatchback da Fiat, tenho a impressão de estar  dirigindo o antigo Punto Sporting. Essa sensação não se aplica ao Cronos. Parece mesmo que estamos a bordo de um carro de segmento maior, mesmo com o motor 1.3, que não recusa provocações.

 O segredo? O Cronos tem quase o mesmo peso do Argo. Desse jeito, fica fácil puxar o sedã com um motor que entrega até 110 cv de potência se levar combustível de cana no tanque. O torque fica na casa dos 14,2 kgfm, permitindo que o Cronos acelere de 0 a 100 km/h em pouco mais de 11 segundos, conforme a fabricante. O deslize fica por conta da transmissão. Apesar de bem escalonada, a caixa poderia ter trocas mais suaves. Trancos são facilmente sentidos enquanto o sedã ganha velocidade. Ele também não é dos mais gastões. Faz 12,7 km/l na gasolina e 8,8 km/l com etanol em trajeto urbano. Na rodovia, os números sobem para 14,8 km/l e 10,4 km/l, respectivamente, de acordo com o Inmetro. Mas o que levou o Cronos a ser desse jeito?

LEIA MAIS: irtus tem escala de preços absurda e não condiz com a realidade dos sedãs

O time de produto da Fiat precisou estudar mais uma vez este segmento que mudou muito desde a estreia do Grand Siena. Atualmente, 67% dos proprietários de sedãs compactos são homens; 80% são casados, 67% possuem filhos e 60% têm apenas um carro em casa. Um sedã no patamar dos R$ 60 mil cai como uma luva para este perfil. Mas isso não significa que um jovem na casa dos 25 anos não terá o carro ao seu gosto. Através da linha de acessórios Mopar, dá para deixar o teto preto, adicionar maçanetas cromadas e até mudar a manopla de câmbio.

O Cronos parte de R$ 53.990, na versão 1.3 básica, subindo para R$ 55.990 na versão que testamos com câmbio manual. A Precision 1.8, também com câmbio manual, parte de R$ 62.990, enquanto a automática topo de linha fica no patamar dos R$ 69.990. São preços competitivos, considerando que a versão Highline do Volkswagen Virtus custa R$ 79.990.

Fiat Cronos 1.3 Drive

Preço: R$ 60.990

Motor: 1.3, quatro cilindros, flex

Potência: 110 cv a 6.250 rpm

Torque: 14,2 kgfm a 3.500 rpm

Transmissão: automática de cinco velocidades

Suspensão: Independente McPherson (dianteira), eixo de torção (traseira)

Freios: disco ventilado (dianteira), tambor (traseira)

Dimensões: 4,36m de comprimento, 1,72m de largura, 1,51m de altura e 2,52m de entre-eixos

Tanque: 48 litros

Consumo: 8,8 km/l na cidade e 10,4 km/l na estrada com etanol. 12,7 km/l na cidade e 14,8

km/l na estrada com gasolina

0 a 100 km/h: 11,5 segundos

Vel. max: 182 km/h

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.