Tamanho do texto

Confira detalhes sobre como anda a versão mais em conta com o eficiente conjunto mecânico com tração 4x4 e câmbio de 9 marchas

Jeep Renegade Custom Diesel: versão mais simples 4x4 com motor a diesel vai bem em caminhos de terra mata adentro
Carlos Guimarães/ iG
Jeep Renegade Custom Diesel: versão mais simples 4x4 com motor a diesel vai bem em caminhos de terra mata adentro

De todas as versões do Jeep Renegade, a Custom movida a diesel(R$ 108.990) é a que mais se identifica com a marca. E a mais divertida também, pelo o que notamos no perìodo em que avaliamos o carro no dia a dia. O SUV transmitiu tanta valentia, que acabamos pegando uma a trilha no meio do mato, que pareceu o ambiente em que o carro mostra suas principais qualidades. 

LEIA MAIS:  Ford EcoSport Storm, com tração integral, encara o rival Jeep Renegade

Passar por lombadas e valetas no trânsito cotidiano não pareceu o suficiente para o Jeep Renegade a diesel. O carro é o que mais se aproxima de um jipe sem frescuras da era moderna. As rodas de aro 16 são rústicas, pintadas de preto, que passaram a ser de liga-leve no ano/modelo 2018 ( a unidade avaliada era 2017/18).  Nada de acabamento diamantado e que saltam aos olhos. Em compensação, mesmo se passarem por um algum buraco em condições extremas, podem amassar, mas são recuperadas com mais facilidade do que as mais belas e sofisticadas de liga -leve.

Os pneus 215/65 R tem perfil mais alto que a média dos SUVs do segmento, o que também deixa esse Jeep mais adequado para enfrentar terrenos acidentados, seja de terra ou de asfalto. Some-se a isso a força do motor 2.0, turbodiesel, de 35,7 kgfm de torque a meros 1.750 rpm e o sistema de transmissão com câmbio automático de nove marchas e tração 4x4 com reduzida e ajustável a 4 tipos de terreno (neve, areia, lama e rochas) e você terá nas mãos um SUV que não se contenta em frequentar apenas os shoppings da moda.

Se aparecer um trecho de terra pelo caminho, a versão Custom a diesel vai encarar numa boa. Há a distância livre do solo (21,8 cm) e os ângulos de ataque (29,7 graus) e saída (32,3 graus) são favoráveis para encarar obstáculos. E como retrovisores e para-choques não vêm com pintura conseguem passar com mais resistência no meio das folhas e galhos sem danos que poderiam aparecer na superfície, se fosse pintada. Nesse aspecto, a simplicidade é proposital.

Prós e contras

Sistema multimídia é o mais simples da linha, com apenas bluetooth e entrada USB, sem nada sofisticado
Divulgação
Sistema multimídia é o mais simples da linha, com apenas bluetooth e entrada USB, sem nada sofisticado

Se pegar uma estrada de asfalto, a vantagem dessa versão Custom Diesel é que o comportamento dinâmico é praticamente igual ao das mais caras com o mesmo conjunto mecânico, como a Longitude (R$ 118.490), Night Eagle (R$ 119.990), Limited (124.990) e Trailhawk (R$ 129.990). Pisando de leve no acelerador, o motor funciona em baixo giro, com boa dose de força de reserva, graças às 9 marchas com relações bem escalonadas. Ouve-se o ruído característico do motor a diesel, mas isso não chega a incomodar.

LEIA MAIS: Veja as projeções que mostram como vai ficar o Jeep Renegade a partir de 2019

Embora seja a versão básica, a Custom Diesel vem com um bom pacote de itens de segurança de série, que inclui controles eletrônicos de estabilidade e tração, além de 7 airbags e assistência para subidas e descidas, que controlam os freios automaticamente. Aliás, os freio de estacionamento é eletrônico, acionado por botão, o que abre espaço para mais porta-objetos. Mas, em compensação, o porta-malas é um dos mais apertados, uma vez que a unidade avaliada veio com estepe convencional que acaba ocupando boa área de carga. Sobram apenas 273 litros para levar bagagem.

Também será preciso se acostumar com o acabamento mais simples dos bancos, de tecido escuro. E também a a versão despojada da central multimídia, que vem apenas com interface Bluetooth e entrada USB, sem tela colorida e sensível ao toque. GPS? Nada disso, o jeito é se orientar pelas coordenadas de aplicativos do celular ou qualquer outro recurso. Pelo menos o banco do motorista vem com regulagem de altura e o volante de três raios, revestido de couro, vem com os principais comandos do sistema de som, do computador de bordo e do telefone.

LEIA MAIS: Jeep Renegade Trailhawk: o lado mais radical do SUV compacto

A boa visibilidade é outro destaque do SUV, tanto pela área envidraçada quanto a que é proporcionada pelos retrovisores. A direção com assistência elétrica funciona bem, tanto nas manobras quando em velocidades mais altas, assim como os freios a disco nas quatro rodas. Como um modelo a diesel, o baixo consumo também anima. De acordo com o Inmetro, faz 9,4 km/l na cidade e 11,5 km/l na estrada.

Conclusão

O Jeep Renegade Custom a diesel é para quem busca um SUV sem frescura, capaz de enfrentar terra, lama e areia no fim de semana, sem deixar de rodar com conforto sobre o asfalto. Já vem com um bom pacote de equipamentos de segurança e oferece boa relação entre custo e benefício, lembrando que o conjunto mecânico é o mais eficiente da linha Jeep atualmente.

Ficha Técnica

Preço:  a partir de R$ 108.990

 Motor: 2.0, quatro cilindros, diesel

Potência: 170 cv a 3.750 rpm

Torque: 35,7 kgfm a  1.750 rpm

Transmissão:  Automático, 9 marchas, tração integral

Suspensão:Independente (dianteira e traseira) 

Freios: Discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira

Pneus: 215/65 R16 

Dimensões: 4,24 m (comprimento) / 1,79 m (largura) / 1,73 m (altura), 2,57 m (entre-eixos)

Tanque : 60 litros

Porta-malas: 273 litros 

 Consumo: 9,4 km/l (cidade) /11,5 km/l (estrada) com diesel

0 a 100 km/h: 9,9 segundos 

Vel. Max: 190 km/h

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.