Tamanho do texto

Além do design renovado, SUV nunca esteve tão tecnológico e divertido de guiar. Confira as nossas impressões ao volante do modelo de luxo

Range Rover Evoque arrow-options
Cauê Lira/iG Carros
Nova geração do Range Rover Evoque continuará na moda? Ao menos no design, SUV mantém características

Alguns carros marcam gerações. É o caso do Opala para os nostálgicos que aplicavam brilhantina no cabelo antes de sair para namorar, ou o próprio Gol GTS que encantou os playboys dos anos 80. Lançado em 2010, o Range Rover Evoque se tornou o objeto de desejo dos millennials ; talvez o carro marcante da minha geração. O SUV desembarca totalmente renovado no Brasil com o objetivo de continuar encantando os consumidores mais descolados. 

LEIA MAIS:  Mitsubishi Pajero Sport vai bem na terra e no asfalto. Veja a avaliação

“Em time que está ganhando não se mexe”. Essa parece ter sido a filosofia dos técnicos brasileiros que foi incorporada pelos engenheiros britânicos que desenvolveram o Evoque . Ainda que a pintura escarlate seja um chamariz, passei com certa discrição pelas ruas paulistanas. É como se as pessoas pensassem: ok, é um Evoque , e seguissem com suas vidas.

Mal sabem que por baixo deste design familiar há um SUV que nunca esteve tão maduro. São 4,37 metros de comprimento, 2,10 m de largura e 1,64 m de altura. O entre-eixos, que sempre foi uma das grandes reclamações dos proprietários do Evoque antigo, cresceu para 2,68 metros (+21 mm), liberando um bom espaço para os joelhos dos ocupantes do banco traseiro. Quatro adultos e uma criança podem se acomodar com conforto, sem ombros esbarrando.

Talvez tenha sido no habitáculo que o Evoque mais evoluiu. Ao todo, são três grandes telas no painel de instrumentos, sistema multimídia e central de comandos. É possível transferir informações de um para o outro, mas os pareamentos de Apple CarPlay e Android Auto ficam restritos à tela central. Você pode conferir mais informações sobre as soluções de conectividade no vídeo abaixo.

LEIA MAIS: Jaguar I-Pace 2020: SUV elétrico de personalidade forte

Gostava muito do câmbio em formato circular que se projetava para fora quando a ignição era acionada. No lugar dele, a Land Rover instalou uma alavanca bem careta. Os revestimentos são de ótima qualidade, com materiais emborrachados e couro de toque suave. Um massageador fez falta no banco do motorista - por R$ 312.900, merecíamos, não?

Apesar da vocação para o asfalto, o melhor consumo que obtivemos nas ruas paulistanas ficou na casa dos 6,7 km/l. A Land Rover ainda instalou um motor elétrico de 48 volts que compõe as funções de alternador e propulsor de partida (motor de arranque), que servem para despertar o SUV do “start-stop” em uma saída de semáforo, por exemplo. O objetivo é economizar combustível, mas o Evoque fica devendo.

Personalidade urbana

Range Rover Evoque arrow-options
Divulgação
A nova geração do Range Rover Evoque conta com diversas opções de revestimento de painel, portas e bancos

O motor Ingenium 2.0 turbo, com 300 cv e 40,8 kgfm de torque, mostrou-se suficiente para garantir agilidade ao SUV de 1.850 kg. Com o torque cheio entregue entre 1.500 e 4.500 rpm, o Evoque se torna um modelo bem espertinho - algo que tira este aspecto “banheirão” proporcionado pelo peso elevado. De acordo com a marca, pode atingir 100 km/h em apenas 6,6 segundos.

Com nove marchas, o câmbio automático é bem versátil. Além das trocas quase imperceptíveis, permite reduções drásticas sem solavancos fortes na cabine. Na rodovia, o Evoque pode efetuar ultrapassagens com muita segurança. Basta dar dois toques na aleta de redução atrás do volante.

Ainda que a suspensão (McPherson na dianteira, multibraço na traseira) seja bem macia na cidade, o SUV não fica devendo em estabilidade. As irregularidades do solo são filtradas enquanto o Evoque se mantém firme em saídas de lombada.

Tecnologias para off-road

Range Rover Evoque arrow-options
Divulgação
O sistema de "capô invisível" faz uma projeção dos arredores da dianteira do Evoque.Dispositivo ajuda em manobras

Se quiser enfrentar trechos de terra, a Land Rover instalou um seletor de modos off-road bem completo, para grama, cascalho, neve, lama e areia. Cheio de tecnologia, o modelo também traz controle de cruzeiro adaptativo, assistente de ponto cego, monitor de tráfego reverso e de fadiga.

Soluções para a cidade também foram bem pautadas. Um dos dispositivos mais legais do Evoque aciona uma imagem que parece estar localizada abaixo do capô, dentro do veículo. Isso permite que o motorista veja qualquer obstáculo baixo que esteja nas proximidades da dianteira. A câmera 360° também permite que o motorista estacione com precisão.

LEIA MAIS: Lexus UX 250h: eficiência com estilo

O Range Rover Evoque é um SUV urbano para aqueles que querem impressionar, ainda mais com as belas rodas aro 20 da versão P300 HSE R-Dynamic. Partindo de R$ 312.900 (R$ 322.300 na versão que testamos, com logos escurecidos e regulagem elétrica da direção), continuará sendo um modelo que fará os corações dos jovens pulsarem com mais força. O "hype" continua. 

Ficha técnica

Range Rover Evoque P300 HSE R-Dynamic 2020
Motor: 2.0, turbo, gasolina
Potência: 300 cv a 5.500 rpm
Torque: 40,8 kgfm a 1.500 rpm
Transmissão: automática, nove marchas, tração integral
Suspensão McPherson (dianteira), multibraço (traseira)
Freios: discos ventilados (dianteira),sólidos (traseira)
Dimensões: 4,37 m de comprimento, 2,10 m de largura, 1,64 m de altura, 2,68 de entre-eixos
Porta-malas: 591 litros
Tanque: 67 litros
Consumo:9 km/l (cidade), 10 km/l (estrada), conforme o Inmetro
0 a 100km/h: 6,6 segundos