Jeep Compass Limited arrow-options
Caue Lira/iG
Jeep Compass Limited 2020 está prestes a receber retoques no visual no ano que vem, quando também receberá novo motor flex

A Jeep acertou em cheio com o lançamento do Compass no Brasil, em 2016. Desde então, o SUV já tem mais de 150 mil unidades vendidas no País. Prestes a completar quatro anos no mercado, o carro muda pouco na linha 2020, que ficou apenas mais equipada entre as principais novidades.

 LEIA MAIS: Jeep Compass x Kia Sportage: acompanhe essa briga boa de titãs

No caso da versão Limited  com motor turbodiesel (R$ 181.990), como a que avaliamos, o Jeep Compass recebeu banco do motorista com ajustes elétricos em oito posições entre os itens de série. Apesar do preço de torcer o nariz, o carro vem bem equipado. Entre os destaques está a central multimídia com tela de 8,4 polegadas.

Mas a lista de equipamentos do SUV é grande e inclui detalhes sofisticados como, faróis de xenônio com acendimento por sensores, sistema de tração integral para 4 tipos de terreno, sistema que gira o volante sozinho em balizas, rodas de aro 19 com pneus 235/45R, entre outros.


Quem quiser, também pode optar pelo pacote High Tech (R$ 8.000), que tem controle de cruzeiro adaptativo (ACC), aviso de mudança de faixas, comutação automática dos faróis, tampa do porta-malas automatizada, som de alta-fidelidade da Beats, com 506 W e aviso de colisão frontal com frenagem de emergência.

Apenas a partir do ano que vem é que o Compass ganhará retoques no desenho e, principalmente, novo motor 1.3 turboflex, que começa a ser produzido no Brasil no fim deste ano de 2020.  A versão 2021 já foi vista camuflada na China e revelou que as alterações no carro serão bem pontuais.

LEIA MAIS: Por que o Compass é o carro mais desejado do Brasil

 Se o motor 2.0 Flex Tigershark deverá dar lugar ao novo 1.3 turboflex, o movido a Multijet a diesel continuará o mesmo. E não há muitos motivos para mudar o que está dando certo. Com 170 cv e bons 35,7 kgfm de torque a meros 1.750 rpm, consegue ter força para garantir boa agilidade nas ultrapassagens e retomadas animadoras, o que não deixa de contribuir com a segurança.

Acelerando o Jeep Compass 2020

Jeep Compass arrow-options
Divulgação
Jeep Compass vem bem equipado de série. Na linha 2020, a versão Limited passa a contar com banco do motorista com ajustes elétricos


Apenas o câmbio automático de 9 marchas poderia ser um pouco menos hesitante. Para acabar com isso, o jeito é selecionar o modo sequencial e trocar as marchas pelas hastes no volante.

Apesar de seu um SUV, o Compass é estável nas curvas. Claro que as rodas de aro 19, a própria tração integral e o controle eletrônico de estabilidade ajudam Ponto positivo também é que o volante é  de três raios, revestido de couro, com boa empunhadura. E a visibilidade agrada. 

Ao pisar no acelerador, dá até para ouvir um discreto sibilar da turbina em regimes mais baixos. Com o aumento da rotação, porém, vai ficando evidente o ronco característico de um motor a diesel. Mas nada que incomode, mesmo porque não há vibração. Bom também é que os freios funcionam a contento. Há discos nas quatro rodas, ventlados no eixo dianteiro.

Mais do que desempenho, o motor a diesel merece elogios pela economia. De acordo com números do Inmetro, o Compass Limited 2.0 Turbodiesel faz 10,1 km/l na cidade e 13,7 km/l na estrada, com autonomia teórica de 606 km na cidade e de 822 km na estrada, levando em conta o tanque de 60 litros.

Com porte intermediário, o Compass não é dos mais difíceis de estacionar, exceto pelo raio de giro, que poderia ser um pouco melhor que os 11,3 m, algo que exige ficar indo para frente e para trás para conseguir sair de espaços apertados.  

Nessa versão mais luxuosa, o revestimento de couro dos bancos transmite um certo requinte. E há espaço suficiente para levar cinco ocupantes e suas bagagens sem aperto no porta-malas de 410 litros.

LEIA MAIS: Jeep Compass 2020 chega às concessionárias com novos itens de série

Conclusão

Apenas um pouco mais equipado, o Jeep Compass Limited 2020 continua sendo um dos melhores SUVs à venda no Brasil. Mas é bom saber que o carro receberá retoques no visual no ano que vem, quando o motor 2.0 flex deverá sair de cena para dar lugar ao 1.3 turboflex. No caso das versões a diesel, tudo indica que o conjunto mecânico será mantido.

Ficha técnica

Preço: a partir de R$ 181.990

Motor: 2.0, quatro cilindros, turbodiesel 

Potência: 170 cv 3.750 rpm

Torque: 35,7 kgfm a 1.750 rpm

Transmissão:  Automático, 6 marchas, tração dianteira

Suspensão:Independente (dianteira) e (traseira)

Freios: Discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira

Pneus: 235/45 R19

Dimensões: 4,42 m (comprimento) / 1,82 m (largura) / 1,64 m (altura), 2,64 m (entre-eixos)

Tanque: 60 litros

Consumo: 10,1 km/l (cidade) /13,7 km/l (estrada) 

0 a 100 km/h: 10 segundos 

Vel. Max: 194 km/h    

    Veja Também

      Mostrar mais