VW Amarok: visual quase não mudou desde o lançamento, há mais de uma década, mas ainda se mantém atual
Caue Lira/iG
VW Amarok: visual quase não mudou desde o lançamento, há mais de uma década, mas ainda se mantém atual

Lançada em 2010, a Volkswagen Amarok é um dos veículos mais longevos do mercado brasileiro. De lá para cá, todas as rivais ganharam novas gerações, mas a picape produzida em General Pacheco (Argentina) segue imutável, com poucas alterações no visual e mecânica.

A próxima geração da Amarok será lançada apenas em 2022, compartilhando sua base com a Ford Ranger . Neste cenário, é melhor esperar um ano e meio pelo lançamento do modelo totalmente novo ou apostar na versão 2021? Fomos atrás da resposta na prática a bordo da versão  Highline com motor V6 turbodiesel.

Um dos pontos que mais agradam na Amarok é sua ergonomia acertada. Além do painel, o formato do volante e a posição dos bancos passam a impressão de um SUV de porte grande e não de uma picape. Neste ponto, o carro se difere bastante da Chevrolet S10 , que tem aspecto de veículo comercial, apesar de ser mais luxuoso.

A característica de SUV grande da Amarok se repete na dirigibilidade. A picape da VW tem bom ângulo de esterçamento, facilitando manobras em áreas apertadas como garagens de prédios. Ponto positivo também por causa do segundo melhor diâmetro de giro da categoria (12,9 metros), ficando atrás apenas da Mitsubishi L200 Triton (11,8 metros).

Apesar da simplicidade e idade do projeto, a Volkswagen conseguiu garantir bom isolamento acústico. O som grave do motor turbodiesel não invade a cabine, garantindo um trajeto tranquilo e confortável para os ocupantes. A qualidade do sistema de som é outro ponto que merece elogios, contando com agudos cristalinos e graves vigorosos.

Mas nem tudo é um paraíso na Volkswagen Amarok . O acabamento poderia ser mais caprichado, abusando menos de plástico duro. A tela da central multimídia é considerada pequena para os padrões atuais. Um sistema atualizado App Connect, como o que vem sendo utilizado nos últimos lançamentos da Volkswagen, faria mais sentido neste carro de R$ 222.890.

O espaço para quem vai atrás também deixa a desejar. Se motorista ou passageiro dianteiro forem mais altos, os ocupantes do banco traseiro devem ficar no aperto.

Ela também carece de equipamentos como alerta de colisão frontal e sistema de detecção de ponto-cego. Na última atualização, a Chevrolet instalou seis airbags na S10 , mas na Amarok continuam sendo apenas quatro –  dois frontais e dois laterais.

Você viu?

Brucutu

Interior da VW Amarok V6 abusa de plástico duro e a central multimídia precisa ser atualizada, tem até CD player
Divulgação
Interior da VW Amarok V6 abusa de plástico duro e a central multimídia precisa ser atualizada, tem até CD player

É no conjunto mecânico que a Amarok V6 tenta conquistar seus clientes. São 258 cv de potência a 3.250 rpm e 59,1 kgfm de torque a 1.400 rpm, oriundos de um motor 3.0 V6 turbodiesel. 

E caso você esteja se perguntando: sim, este é o motor do Audi Q7 . A unidade garante desempenho suficiente para a grandalhona de 2.134 kg acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 7,4 segundos. Daí veio o apelido “Golf GTI de caçamba”.

O câmbio automático, de oito marchas, feito pela renomada marca alemã ZF, é inteligente nas mudanças e proporciona muita elasticidade à Amarok. Sendo esta uma picape que desenvolve 59,1 kgfm de torque a apenas 1.400 rpm, o câmbio precisa assegurar reduções abruptas em curto espaço de tempo, e sem trancos. E tudo corresponde às expectativas.

De fato, a Amarok faz uma boa leitura do estilo de condução do motorista, se adequando a diversas necessidades. O seletor 4x4 conta com modos que alteram seu comportamento na areia, lama ou cascalho –  perfeito para encarar aquela estrada de terra nas proximidades do sítio.

A caçamba da Amarok tem capacidade para levar 1.280 litros –  o maior volume da categoria. Quanto ao peso, o modelo pode carregar até 1.143 kg, perdendo apenas para a conterrânea Ford Ranger, que leva 1.298 kg.

Por R$ 222.890, a Volkswagen Amarok Highline é o modelo mais antigo entre as picapes disponíveis no Brasil, mas sua versão V6 a mantém em uma categoria superior na comparação com as rivais. Ela não é tão luxuosa quanto a Chevrolet S10 High Country 2.8 (R$ 213.290), mas é vigorosamente mais rápida.

Em 2020, a Amarok V6 perdeu a medalha de picape mais rápida do Brasil para a Ram 1500 Rebel , que pode acelerar de 0 a 100 km/h em 6,4 segundos. O modelo da marca americana, entretanto, parte de R$ 399.990. Faça sua escolha com base no que no interessa mais: luxo ou desempenho.

Amarok V6 Highline
Preço: R$ 222.890
Motor: 3.0, V6, turbodiesel
Potência: 258 cv a 3.250 rpm
Torque: 59,1 kgfm a 1.400 rpm
Transmissão: automática, oito marchas, tração integral
Suspensão: Braços sobrepostos (dianteira), eixo rígido (traseira)
Freios: discos ventilados (dianteira e traseira)
Dimensões: 5,25 m de comprimento, 1,94 m de largura, 1,83 m de altura, 3,01 m de entre-eixos
Tanque: 80 litros
0 a 100 km/h: 7,4 segundos
Consumo Inmetro: 8,2 km/l (cidade), 8,6 km/l (estrada)

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários