Honda CR-V 2022: retoques no desenho incluem nova frente com mudanças no para-choque e faróis
Carlos Guimarães/iG
Honda CR-V 2022: retoques no desenho incluem nova frente com mudanças no para-choque e faróis

Quando a Honda apresentou a linha 2022 do CR-V no Brasil cheguei a questionar a razão pela qual a fabricante decidiu não trazer a versão híbrida do SUV, já que trouxe a apenas a movida a gasolina. Na época, há cinco meses, responderam que se basearam nas pesquisas feitas com clientes e que o carro estava na configuração adequada.

Será? Com tantos rivais do segmento de SUVs médios hoje em dia e com o preço da gasolina nas alturas, até o mais abonados já devem ter passado a preferir um modelo eletrificado, mais econômico, capaz de fazer até 17 km/l na gasolina na cidade, conforme a fabricante, ao invés de 11 km/l (segundo o Inmetro) da versão do Honda CR-V 2022 que decidiram trazer ao Brasil.

Ok, o preço do SUV por aqui já é um dos mais caros do segmento (R$ 274.900) e se fossem trazer a híbrida iria custar ainda mais. Pela diferença que consta no site da Honda dos EUA, são US$ 5.200 de diferença, o que equivale a cerca de R$ 28.600. Certamente, com todos os custos de importação, entre outros itens, o carro passaria dos R$ 300 mil no mercado brasileiro.

Além do Toyota RAV4 híbrido , o Honda ficaria quase sozinho, pelo menos até a chegada do  Jeep Compass híbrido 4Xe e do  VW Tiguan Hybrid feito na Alemanha, entre outros.

O primeiro está previsto para chegar até o fim do ano e o outro deve ficar para 2022. De qualquer forma, durante a avaliação mais detalhada do CR-V da linha 2022, até com uma viagem ao litoral sul de São Paulo, ficou claro que apesar do carro ser confortável, falta mais agilidade e um consumo de combustível menor.

O que também nos incomodou no dia a dia é que o sistema Stop&Start, que desliga o motor quando o carro está parado para economizar combustível, funciona apenas se pisar forte no pedal de freio, o que causa certo cansaço com o tempo. Além disso, sentimos falta do sistema de alerta de ponto cego , útil nas condições em que dirigimos o carro, com bastante chuva e baixa visibilidade na estrada.

Ainda de acordo com o Inmetro, o Honda CR-V da linha 2022 pode fazer 12,3 km/l na gasolina na estrada, mas não conseguimos passar de 10,8 km/l com a função "Econ" ligada e pisando de leve no acelerador. O carro estava com três adultos leves e dois adolescentes, além pouca bagagem. Com tanque de apenas razoáveis 57 litros, tivemos que fazer mais de uma visita ao posto de combustível.

O motor 1.5 turbo rende bons 190 cv e 24,5 kgfm a 2.000 rpm, força que parece mediana. A questão é que, com o pacato câmbio CVT e a relação peso-torque pouco favorável (66,5 kg/kgfm, ante 56,1 do Peugeot 3008 e 45,2 do Ford Bronco Sport ), o carro acaba perdendo agilidade nas utrapassagens, obrigando a pisar fundo no pedal da direita para tentar extrair mais fôlego.

Mas suspensão trabalha bem com multibraço na traseira, absorvendo as irregularidades do piso e mantendo o carro estável. O que ajuda a manter o conforto é o conjunto de pneus borrachudos 235/60R 18, montados em rodas com acabamento diamantado . Com mudanças discretas no desenho em relação à linha 2021, o CR-V 2022 tem um dos visuais mais comportados do segmento.

Leia Também

Leia Também

Leia Também

Conforto para todos

Por dentro, o Honda CR-V 2022 tem acabamento caprichado e bom espaço, mas a central multimídia poderia ser mais moderna
Carlos Guimarães/iG
Por dentro, o Honda CR-V 2022 tem acabamento caprichado e bom espaço, mas a central multimídia poderia ser mais moderna

O forte do Honda CR-V 2022 é o espaço interno, além do rodar silencioso em qualquer situação, com um isolamento acústico dos melhores. O porta-malas cavernoso leva 522 litros (ante 520 litros do 3008 e 420 litros do Bronco Sport).

Leia Também

Leia Também

E o acabamento do SUV da marca japonesa é caprichado, com apliques de maneira no painel e nas laterais das portas, revestimento de couro de boa qualidade, ajustes elétricos para o banco do motorista e duas entradas USB para regarga rápida de celular para os ocupantes do banco traseiro entre os equipamentos de série.

Porém, a central multimídia poderia ter melhor resolução e respostas mais rápidas, além de acesso à internet a bordo. algo que já está se tornando comum, principalmente em modelos que beiram os R$ 300 mil. Mas o sistema de som é de boa qualidade, reproduzindo graves, agudos e tons médios com perfeição, o que é um ponto a favor em se tratando de um carro de apelo familar.

Conclusão

A Honda deveria ter sido mais ousada e trazer a versão híbrida do CR-V , o que ajudaria bastante na economia de combustível, apesar do modelo não ser plug-in (que liga na tomada para recarregar as baterias). Além disso, falta fôlego nas retomadas na comparação com a maioria dos rivais por causa da relação peso-torque desfavorável.

Mas nas questões ligadas ao conforto dos ocupantes, o CR-V 2022 tem méritos, seja pelo espaço interno, por causa do rodar silencioso e pela suspensão que absorve bem as irregularidades do piso. Pena o preço ser um pouco mais salgado que a maioria dos rivais.

Honda CR-V 2021

Ficha Técnica


Preço: R$ 274.700
Motor: 1.5, turbo, gasolina
Potência: 190 cv a 5.600 rpm
Torque: 24,5 kgfm a 2.000 rpm
Transmissão: automático, CVT, simula 7 marchas
Freios: discos ventilados (dianteira), discos sólidos (traseira)
Suspensão: McPherson (dianteira), multibraço (traseira)
Pneus: 235/60 R18
Porta-malas: 522 litros
Tanque de combustível: 57 litros
Consumo: 11 km/l (cidade) e 12,3 km/l (estrada)
0 a 100 km/h: 10,1 segundos

Vel. Max: 201 km/h

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários