Por ser autônomo, o caminhão dispensa o para-brisa convencional para melhor eficiência aerodinâmica
Divulgação
Por ser autônomo, o caminhão dispensa o para-brisa convencional para melhor eficiência aerodinâmica

A Solo Advanced Vehicle Technologies (Solo AVT) mostrou o visual do caminhão autônomo SD1. A empresa baseada em Fremont, Califórnia (EUA), foi fundada por ex-funcionários da Tesla, BMW e Google e busca produzir caminhões autônomos e elétricos.

O SD1 é um caminhão elétrico de longo alcance, capaz de percorrer mais de 800 km e projetado especificamente para ser completamente autônomo.

Segundo a empresa, por não haver necessidade de projetar uma cabine com boa visibilidade e conforto para o motorista, (que nesse caso não existe) o desenho do SD1 tem o menor coeficiente de arrasto entre os caminhões de classe 8 na América do Norte.

Pneus de baixa resistência à rolagem e aerodinâmica ativa são outros fatores prometidos para buscar o máximo de eficiência nas estradas. Além disso, o caminhão ainda conta com eixos sequenciais com motores elétricos integrados, que prometem potência total de 600 kW (815 cv)

A start-up californiana descreve que a operação autônoma conta com redundância de nível aeroespacial, então, caso algum sensor ou sistema sofra alguma falha, há outro disponível para suprir a necessidade.

O caminhão ainda possui luzes exteriores para se comunicar com outros usuários das vias e pedestres, além de emitir um som característico para avisar sua presença.

Em termos de carga, a fabricante promete compatibilidade com todos os reboques e semirreboques e também docas de carga e descarga disponíveis no mercado. A Solo AVT afirma que o SD1 terá a mesma capacidade de carga de um caminhão de Classe 8 atual (PBT de cerca de 15 toneladas).

O veículo será compatível com os sistemas de recargas rápidas atuais e também com o futuro sistema ‘Megawatt Charging System’ (MCS), desenvolvido para atender exclusivamente veículos comerciais pesados, com 3.5 Megawatt de potência.

Não há previsão para quando o SD1 terá um protótipo fabricado, e por se tratar de um produto completamente novo, e uma empresa nova (fundada no ano passado), é provável que leve bastante tempo até que seja possível encontrar o SD1 nas estradas norte-americanas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários