Tamanho do texto

A PPG, empresa que realizou o estudo, explica as tendências ao relacionar com moda, decoração, significados e os efeitos das cores aos olhos

Segundo a pesquisa da PPG, entre todas as cores de carros, o branco tem a preferência do Brasil e da América do Sul
Divulgação
Segundo a pesquisa da PPG, entre todas as cores de carros, o branco tem a preferência do Brasil e da América do Sul

A PPG - fornecedora global de tintas, revestimentos, materiais especiais e fibra de vidro - revela dados obtidos por um estudo que realizou, sobre as tendências de cores de carros. Na América do Sul, com destaque para o Brasil, o branco e o prata seguem como a escolha mais popular para automóveis. Já o azul é a surpresa por registar o crescimento mais rápido em todo o mundo. Além disso, constatou-se que a preferência dos consumidores brasileiros por veículos brancos cresceu mais um ponto percentual este ano, elevando ainda mais os 37% registrados em 2016. No geral, o tom neutro brilhante experimentou um crescimento de popularidade de quase 10 pontos percentuais nos últimos cinco anos. Já o prata também viu um pico favorável em 2017, com a tonalidade sombra metálico em aumento de dois pontos percenrtuais, de 29% em 2016 para 31% em 2017.

LEIA MAIS: Por que as cores de carros no Brasil têm de ser tão sem graça?

Segundo Jane Harrington, gerente global de estilo de cor automotiva da PPG: “Os estudos permitem analisar as tendências interculturais e interindustriais das cores em sete países. Embora a gente saiba que as tendências das cores de carros sejam inspiradas por várias indústrias, elas são únicas em comparação com a moda ou a decoração doméstica, uma vez que as tendências evoluem e mudam lentamente ao longo do tempo, em vez de significativamente ano a ano. Enquanto o branco, o preto, o cinza e o prata continuam sendo escolhas populares, estamos vendo um aumento constante no desejo de carros em diferentes tons de azul e marrom”.

LEIA MAIS: As 5 cores de carros preferidas no Brasil. Confira como ficou o ranking

Preferências de cores de carros em 2017, por região

América do Sul : o branco (38%) continuou dominando nesta região, com o prata (31%) logo atrás, aumentando dois pontos percentuais em relação ao ano anterior. O preto (10%), o cinza (9%) e o vermelho (8%) são outras escolhas populares.

América do Norte : o branco (25%) manteve-se constante como a principal preferência de cor, enquanto o preto (21%) e o cinza (17%) aumentaram dois e cinco pontos percentuais, respectivamente. O prata (13%) caiu seis pontos, seguido de perto pelo vermelho e pelo azul (ambos 10%).

Europa : o branco (32%), o cinza (18%), o preto (17%) e o prata (9%) permaneceram quase consistentes em relação a 2016, enquanto o azul (9%) viu um aumento na preferência do consumidor.

Ásia-Pacífico : o branco (44%) permaneceu o mais popular nesta região. O preto (15%) vem a seguir, com o prata e o natural (que inclui o ouro, o bege, o laranja e tons de marrom) empatados com 10%.

Segundo constatam os especialistas, as tonalidades neutras que os consumidores desejam na moda, na tecnologia e em suas casas, fazem com que o prata e o cinza continuem populares dentre as cores de carros, pois transmitem conforto aos olhos. Já as matizes que incluem tons cinzentos e azuis, seguem as melhores escolhas entre os consumidores, pois representam calma, serenidade e sobriedade.

LEIA MAIS: Veja quais foram os 10 carros mais roubados em São Paulo no 1º semestre

Tendências para 2021

De acordo com a PPG, as cores de carros incluem as seguintes histórias, que “se conectam e ressoam com as mentalidades do consumidor atual”:

"Retiro - Exalta a necessidade de se ausentar das pressões e da superestimulação da tecnologia e das atividades 24/7. Este tema ressalta viver bem, encontrar tempo de sossego e criar oportunidades de calma, equilíbrio e paz. As cores são tons de terra inspirados em pedra, mármore, areia e argila combinados com tons pastel brancos. As tendências das cores automotivas cinza e natural são perfeitamente retratadas nesta história de cores, mostrada por meio de uma queda global de 1% na preferência pelo vermelho e em um aumento mundial de 2% na preferência pelo cinza";

"O Sonhador  - Representa uma rebelião para viver bem, perseguir o prazer e viver corajosamente. A paleta expressa decadência e um espírito despreocupado, refletindo os frequentadores de festivais e consumidores de espírito livre. As cores brilhantes saturadas são compensadas com tons escuros de alto brilho. As cores em camadas cromáticas, de tons claros e vários graus de saturação, expandem as futuras opções de cores automotivas, incluindo vermelhos atraentes, verdes incomuns e laranjas profundos";

"O Camponês  - Representa a simplicidade sem se desvincular do mundo. Os clientes atraídos por essa paleta se centram na criação de um estilo de vida minimalista com uma apreciação dos conceitos básicos sem confusão. As principais cores desta paleta são uma mistura de vermelhos quase primários, azuis, brancos básicos, castanhos naturais e verdes";

"Bravura  - Representa a transformação e a força, uma reação visual ao conflito global e à incerteza. Conta com elegância e glamour, pois esta paleta integra tons de joias sofisticadas, como safira, marrons elegantes e neutros quentes".

A lei da oferta e procura

Cor bonita chama atenção e procuram inovar para dar apelo aos modelos das fabricantes
Divulgação
Cor bonita chama atenção e procuram inovar para dar apelo aos modelos das fabricantes

Outros estudos sinalizam que, apesar do menor custo de produção de tintas de tons metálicos em relação às de tons sólidos, a grande maioria das pessoas a considera mais refinada e, por isso, é a mais escolhida na hora de montar um carro zero quilômetro. Isso implica na sua valorização no mercado, que apesar do seu custo mais reduzido, chega a ser cobrado cerca de R$ 1.500 a mais, como um opcional. Ganância das fabricantes ou não, o que mais conta na formação do preço é a demanda e percepção de valor por parte do cliente.

Além das cores, as fabricantes de tinta fazem pesquisas para que as pinturas dos carros se tornem cada vez mais resistentes a riscos e a danos causados não apenas pelas intempéries, como também chuvas de granizo, pedriscos e algo do gênero. Mas, por uma questão de custo, as principais inovações começam a estar disponíveis apenas nos carros mais caros, de marcas premium, como Audi, BMW, Mercedes-Benz, Jaguar, entre outras. Porém, as novas tecnologias tendem a aparecer em modelos mais acessíveis, assim como acontece com outros itens de carros mais em conta de categorias de compactos, hatches, sedãs e SUVs. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.