Tamanho do texto

A Ford do Brasil ainda não se pronunciou sobre o recall do sedã. Logo, os proprietários devem se atentar à resposta do volante e entrar em contato

O volante do Ford Fusion está sujeito a se desprender, o que anula qualquer controle sobre a direção
Divulgação
O volante do Ford Fusion está sujeito a se desprender, o que anula qualquer controle sobre a direção

Nos Estados Unidos,  cerca de 1,4 milhão de unidades do Ford Fusion entre os anos 2014 e 2018 são chamadas por causa do recall ligado ao risco  do volante se desprender dos parafusos e sair do suporte. A fabricante americana comenta que houve dois acidentes, sendo que, em um deles, uma pessoa se feriu. A razão disso é que o controle do carro se perde completamente com a saída do volante do suporte. Em breve, a Ford do Brasil deverá se pronunciar quanto ao problema e tomar as providências cabíveis ante os proprietários.

LEIA MAIS: Ford deverá deixar de produzir sedã Fusion no México, diz site americano

A Ford do Brasil ainda não se manifestou quanto ao problema. Mas logo deverá anunciar o recall no Brasil
Divulgação
A Ford do Brasil ainda não se manifestou quanto ao problema. Mas logo deverá anunciar o recall no Brasil

Ainda falando dos Estados Unidos, por lá, a campanha de recall do Ford Fusion inclui a instalação de um parafuso mais longo para a fixação da direção, além de um encaixe mais largo, feito de nylon. Os proprietários têm que agendar com a Ford o recolhimento do carro e os custos de reparo e manutenção são gratuitos.

LEIA MAIS: Ford mostra suspensão anti-buracos do Fusion

Dever das montadoras

Segundo a Fundação Proteste, os comunicados de recall devem ser comunicados dentro de poucos dias após o conhecimento do problema. Além disso, as fabricantes também devem prezar pelo sigilo de dados de quem passou pelo procedimento. Falhas em sistemas de controle e integridade do carro são sérias e necessitem de atenção especial, uma vez que vidas podem correr riscos. Para quem não sabe, o recall automotivo ocorre quando as montadoras detectar avarias ou falhas na segurança dos veículos que já estão em circulação. Assim, elas "chamam de volta" o consumidor, para corrigir esses problemas e afastar os riscos.

LEIA MAIS: Carro autônomo da Ford, que dispensa motorista, sai em 2021

Se você é proprietário de um Ford Fusion entre os anos 2014 e 2018, fique atento aos sinais do seu carro. De preferência, evite circular em locais que possam exigir demais do sistema de suspensão, como ruas de paralelepípedos ou estradas não pavimentadas. Quanto aos buracos e valetas nas ruas, tente se esquivar ou passar gentilmente por eles. Tudo isso contribui para evitar surpresas quanto a esse problema específico ao volante.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.