Tamanho do texto

Enquanto oferece a robustez e outros atributos dos SUVs, traz tecnologia e potência dos esportivos de alto desempenho

Mercedes GLC 63 AMG: Promete a melhor união entre o mundo dos SUVs e esportivos de alto desempenho
Divulgação
Mercedes GLC 63 AMG: Promete a melhor união entre o mundo dos SUVs e esportivos de alto desempenho

Chega ao Brasil a linha 2019 do Mercedes GLC 63 AMG, em duas diferentes versões. A diferença entre elas é a carroceria, uma SUV (R$ 512.900) e outra a S Coupé (R$ 587.900), que apesar de compartilharem o mesmo motor V8 4.0 biturbo, têm números diferentes: 476 cv no GLC 63 AMG e 510 cv no GLC 63 S Coupé AMG. Nos dois casos, o câmbio é automático, de 9 marchas, com embreagem banhada a óleo e menos peso que um conversor de torque convencional, o que otimiza o tempo de resposta da aceleração e trocas de marcha.

LEIA MAIS: Lewis Hamilton estreia em comercial do Mercedes AMG GT 4-Door

Além disso, todos os Mercedes GLC 63 AMG contam com suspensão com molas pneumáticas e amortecimento adaptativo. Já a tração é integral, mas privilegia a entrega de força nas rodas traseiras. Ainda há diferencial traseiro com deslizamento limitado - que reduz o escorregamento da roda interna nas curvas sem recorrer à intervenções do sistema de freios - e um sistema de freios de alta performance. Segundo a AMG, todos chegam aos 250 km/h, limitados eletronicamente.

Segue a lista do Mercedes GLC 63 AMG

Há três possibilidades de ajustes para molas e amortecedores - Comfort, Sport e Sport Plus - e outros quatro modos de direção - Comfort, Sport, Sport Plus e Individual. Enquanto isso, a versão cupê ainda possui um modo exclusivo, chamado de Race, no qual o motorista aciona a função "Drift", podendo realizar manobras de derrapagens controladas pelos sistemas de gerenciamento de tração e estabilidade ativos. Segundo números de fábrica, a aceleração de 0 a 100 km/h é de 4 segundos no GLC 63 AMG e 3,8 segundos no GLC 63 S AMG , por meio do modo arrancada ativo.

LEIA MAIS: O "monstro" Mercedes-Benz E63 AMG Brabus 800 chega ao Brasil

Além dos recursos extras, o SUV com ares de cupê tem equipamentos adicionais, que ajudam a justificar a diferença de preço, como volante revstido de couro e microfibra, painel de instrumentos com detalhes em vermelho e algumas peças no interior em fibra de carbono. Outro detalhe é que o motorista pode escolher entre 64 cores para a iluminação interna.

Falando de design, a marca afirma que sua saia dianteira é inspirada no design da asa de um jato, com um grande defletor dianteiro, que marca a imponência visual típica de um carro esportivo . Molduras dos arcos das rodas mais largas na frente e atrás dão ênfase ao visual vigoroso dos novos modelos, bem como os novos painéis da soleira lateral fazem o SUV parecer mais colado junto à estrada, ao mesmo tempo que alongam suas linhas.

LEIA MAIS: Mercedes GLE 63 AMG: meio SUV, meio cupê, mas muito esportivo

Na versão S, ainda chegam com insertos em prata irídio fosco - tal como o friso no difusor - e o diferencial da larga saia posterior, com um difusor cinza granulado. Já a variante SUV, pela primeira vez conta com um defletor aerodinâmico no teto. Por fim, o sistema de escapamento é arrematado por duas ponteiras duplas revestidas de cromo em alto brilho.

No Brasil, o Mercedes GLC 63 AMG traz, de série, rodas de liga leve de 21 polegadas pintadas de cinza titânio e pneus 265/40 R 21 (dianteira), acompanhados de 295/35 R 21 (traseira). Já o GLC 63 S Coupé é equipado com pneus 265/40 R 21 (dianteira) e 295/35 R 21 (traseira), montados em rodas de cinco raios de liga leve com 21 polegadas, pintadas de cinza titânio fosco.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.