Tamanho do texto

Desenvolvido por Gordon Murray, engenheiro com passagem pela F1 e McLaren, a estrutura poderá reduzir o peso total do carro pela metade

Com desempenho sempre em mente, Gordon Murray deseja deixar os carros mais leves e mais em conta
Divulgação
Com desempenho sempre em mente, Gordon Murray deseja deixar os carros mais leves e mais em conta

Após toda uma carreira de experiência no automobilismo e no universo dos supercarros, como o McLaren F1, o engenheiro Gordon Murray projetou uma nova estrutura monobloco que apelidou de iStream Superlight. Ela combina a alta resistência proporcionada pelo alumínio com a dureza da fibra de carbono, utilizada nos painéis laterais e superiores e nos pilares. Murray afirma que, com esta associação, a novidade reproduz as técnicas de construção da Fórmula 1, que por sua vez permitirá a construção de carros mais leves.

LEIA MAIS: Mclaren F1 - sem uso há 20 anos - vai a leilão e poderá bater recorde absoluto de preço

Segundo Gordon Murray, os ganhos refletem na maior segurança, em menores emissões, comportamento dinâmico e maior durabilidade. Assim, oferece uma redução de peso pela metade, ante um convencional feito de aço. Além disso, o iStream Superlight traz maior flexibilidade, uma vez que funciona como uma plataforma que pode ser adaptada a qualquer segmento, sempre tornando os carros mais leves .

LEIA MAIS: Brasileiros estarão de volta à Fórmula 1 em dois ou três anos, diz Reginaldo Leme

Carros mais leves e em conta

Não adianta deixar os carros mais leves, mas optar por assentos convencionais. Logo, estes acompanham a plataforma
Divulgação
Não adianta deixar os carros mais leves, mas optar por assentos convencionais. Logo, estes acompanham a plataforma

O desejo é que essa tecnologia permitiria os construtores poupar muito dinheiro, pois excluiria a necessidade de se desenvolver uma plataforma para cada segmento. Segundo Gordon Murray: “o novo iStream Superlight aborda a produção de um automóvel numa perspetiva de alteração de paradigma com tremenda inovação para a indústria automotiva global. É uma novidade que oferece o chassis mais leve que se pode encontrar agora e no futuro. A equipe da Gordon Murray Design criou algo único, adaptável e eficiente em termos de custos, especialmente na forma como os construtores podem, de forma dramática, melhorar a performance e a eficiência dos seus veículos”.

LEIA MAIS: McLaren faz 50 anos na F1 com a série limitada do 570S Coupe

Além dos benefícios por tornar os carros mais leves, o novo sistema de produção traz novos ganhos em na rigidez torcional. As propriedades anticorrosivas do conjunto também são superiores em relação ao aço aplicado nos carros atuais. Ao mesmo tempo que apresentou o chassis Superlight, lançou o iStream Seat, um sistema que beneficia das técnicas aplicadas no chassis para fazer um banco cerca de 12 quilos mais leve que o banco comum e que pode ter utilização fora do universo automóvel.

LEIA MAIS: McLaren Senna: duas unidades vendidas no Brasil, por mais de R$ 8 milhões cada

Aos menos familiarizados com Gordon Murray, vale lembrar que foi o responsável pela criação do bólidos da equipe Brabham de Fórmula 1, onde permaneceu de 1973 a 1985. Por lá, concebeu os modelos BT49 e BT52 que conduziram Nelson Piquet a dois de seus três títulos de campeão na principal categoria do automobilismo. Além disso, a icônica McLaren F1 dos anos 90, um dos carros mais leves de sua categoria e o mais veloz do mundo em sua época (380+ km/h) nasceu pelas mãos de Murray.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.