Tamanho do texto

GNV pode proporcionar 50% de economia em comparação com etanol e gasolina. Veja as dicas para não correr riscos no dia a dia

Mesmo que você seja contra a instalação do kit gás, é quase impossível não considerar este recurso com o preço do combustível. O preço médio do litro da gasolina no centro de São Paulo está na casa dos R$ 4,29, valor que sobe para R$ 4,90 no Rio de Janeiro, fica em R$ 4,86 em Minas Gerais e está em R$ 4,60 no Espírito Santo, conforme o levantamento do Índice de Preços Ticket Log (IPTL).

LEIA MAIS: Manutenção: Gol e Corolla são os carros mais caros de se manter, diz PROTESTE

De acordo com um estudo feito pela Comgás, donos de veículos com instalação de kit gás chegam a economizar, em média, 50% do valor que um outro condutor gastaria em um modelo flex, por exemplo. A porcentagem pode variar conforme a região do País, mas fica evidente que a instalação do kit de gás natural veicular é um recurso interessante para quem quer salvar uma grana do combustível. Partindo disso, a reportagem do iG Carros lista as cinco principais dicas para garantir total segurança na instalação e manutenção do kit GNV.

1 - Documentação

A documentação do seu carro precisa estar em dia para a instalação do kit gás
Divulgação
A documentação do seu carro precisa estar em dia para a instalação do kit gás

O site CarroAluguel.com diz que o ano de 2016 registrou aumento de 25% na instalação do kit GNV em relação ao período de 2015. Um dado mais recente também aponta que, no rio de janeiro, o crescimento foi de 66% entre janeiro e setembro de 2018, em comparação com o mesmo período de 2017. Muitos desses números estão relacionados ao momento econômico do País.

LEIA MAIS: Veja 5 surpresas que podem dar prejuízo na manutenção do seu carro

Com o alto número de desempregados, aplicativos como Uber, Cabify e 99 Taxi acabam se tornando recursos interessantes para manter a renda. Como rodar no GNV chega a proporcionar até 75% de economia em algumas regiões do Brasil, vale a pena investir o valor médio de R$ 4 mil para a conversão. Para tal, é melhor garantir que a documentação do seu carro esteja em dia.

As leis para a instalação do kit GNV podem mudar entre os Estados. Documentos como o Certificado de Registro de Veículo (CRV), notas de serviço e inspeção podem ser obtidos no site do Detran. Vale a pena checar os detalhes no Detran do seu Estado para verificar quais são os documentos necessários.

2 - Vistoria

Vistorias de segurança são frequentes para garantir que o carro com kit gás está em ordem
Divulgação
Vistorias de segurança são frequentes para garantir que o carro com kit gás está em ordem

A lei diz que todos os veículos com kit gás instalado devem passar por uma vistoria anual, ainda que muitos proprietários não dêem a atenção necessária para a segurança. Novamente, é necessário procurar uma oficina que seja tanto aprovada no Inmetro quanto registrada pelo Denatran.

LEIA MAIS: Confira 5 carros que passam mais tempo na oficina que na sua garagem

Para a vistoria, você deverá apresentar a autorização prévia do Detran (comprovando que seu veículo estava apto a receber a instalação), atestado de qualidade do instalador e nota fiscal de instalação e componentes. Vale lembrar que ao transitar com o carro portando a documentação do kit gás com validade vencida, o proprietário poderá ter o licenciamento anual do seu carro negado pelo DETRAN

3 - Válvula de segurança

O kit gás conta com duas válvulas que podem interromper vazamentos
Divulgação
O kit gás conta com duas válvulas que podem interromper vazamentos

Se você fez a instalação do kit gás no seu automóvel em uma oficina homologada tanto pelo Inmetro quanto o Denatran, ele contará com duas válvulas de segurança. Uma delas fica no cilindro de GNV, e a outra fica no compartimento do motor. Em caso de vazamento de GNV, o proprietário deve acionar ambas as válvulas para interromper o fluxo.

LEIA MAIS: Veja 10 dicas para a manutenção do seu carro

Acidentes envolvendo explosões de carros GNV devidamente regulamentados são raros, de acordo com o diretor de combustíveis da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA), Rogério Gonçalves. Eis uma breve comparação com o processo que ocorre com o gás de cozinha.

O gás que você utiliza na cozinha é mais denso do que o ar. Ou seja, em caso de vazamento, vai ocupar sempre os locais mais próximos ao chão. Este é um dos motivos de acidentes envolvendo gás de cozinha serem tão frequentes. O gás natural veicular, por outro lado, é mais leve e dissipa rapidamente na atmosfera. Riscos de explosões ou incêndios são bem menores.

4 - Abastecimento

Com o kit gás, tome cuidado para não ser enganado pela pressão da bomba
Divulgação
Com o kit gás, tome cuidado para não ser enganado pela pressão da bomba

Existem algumas regras especiais para abastecer um carro equipado com GNV. De acordo com o site Brasil Postos, que comercializa equipamentos e serviços para postos de gasolina, o motor do veículo deverá estar sempre desligado durante o abastecimento. Todos os ocupantes também devem deixar o habitáculo.

LEIA MAIS: Veja os 5 sedãs médios mais beberrões do mercado brasileiro

Da mesma forma que é preciso tomar cuidado com postos de gasolina que adulteram o combustível, o motorista deverá ficar atento à pressão do gás. O valor máximo de 220kgf/cm² precisa estar visível na bomba para que o usuário não se engane. A lei diz que o aviso deve estar sempre destacado para facilitar a visualização.

5 - Oficinas registradas pelo Inmetro

Apenas oficinas registradas pelo Inmetro podem atuar na instalação e manutenção do kit gás
Divulgação
Apenas oficinas registradas pelo Inmetro podem atuar na instalação e manutenção do kit gás

De acordo com a corretora SeguroAuto, 96% dos acidentes envolvendo o kit GNV acontecem pela utilização indevida de componentes. Podemos exemplificar como furações e soldas nos cilindros, furações irregulares e até mesmo o uso de botijões de gás de cozinha e cilindros de compressores de ar. Incêndios também podem acontecer por falhas no sistema elétrico, decorrente da falta de conhecimento de quem fez a instalação.

LEIA MAIS: Aceleramos o raro Fiat Coupé no Autódromo de Interlagos. Assista ao vídeo

A partir disso, vemos como é importante se certificar de que a instalação foi feita em uma oficina regulamentada pelo Inmetro, onde todos os cuidados mínimos são levados em consideração. A instaladora A Evolução do Gás diz que análises de emissões devem ser feitas através de um aparelho próprio da oficina. Se o instalador se recusar a fazer o teste, procure outro lugar que lhe ofereça mais condições de segurança. Exija sempre todas as notas de componentes e serviços.Você já converteu um veículo para o kit gás ? Como foi sua experiência? Deixe nos comentários abaixo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.