Tamanho do texto

Chefe de projetos da divisão de elétricos da VW confirmou que a tecnologia possibilitará que levem 30 minutos para recarregar 80% das baterias

Todo o tipo de Volkwagen elétrico do futuro partilhará as novas tecnologias em desenvolvimento
Divulgação
Todo o tipo de Volkwagen elétrico do futuro partilhará as novas tecnologias em desenvolvimento

Recentemente, a Volkswagen apresentou a plataforma MEB, criada exclusivamente para seus carros elétricos que chegarão a partir de 2020. A fabricante também confirmou que a família ID, a primeira da marca a usar a nova base, começa a ser produzida no final do ano que vem, em Zwickau, na Alemanha. Entre os modelos, estão um compacto, um crossover, um sedã de luxo e uma van, que pode ser considerada a sucessora futurista da Kombi. Além disso, outra notícia que chega é a autonomia do segmento Volkswagen elétrico, capazes de rodar entre 300 e 500 km sem qualquer recarga, segundo afirma o chefe do projeto E-Mobility da VW, Thomas Ulbrich.

LEIA MAIS: Volkswagen terá novo SUV compacto e elétrico em meados de 2020

Tecnologia é pensada para fazer o melhor Volkswagen elétrico possível em cada um dos segmentos, a um custo acessível
Divulgação
Tecnologia é pensada para fazer o melhor Volkswagen elétrico possível em cada um dos segmentos, a um custo acessível

Segundo a marca alemã, a nova plataforma é "a chave para o carro elétrico para todos", pois deve facilitar a produção, reduzir custos e aprimorar a utilidade dos carros elétricos . Inclusive, a marca chegou a comparar a chegada da plataforma MEB com a transição, nos anos 70, entre o Fusca e o Golf, um dos veículos mais vendidos da história e que representou um salto em modernidade e tecnologia. Estes são ganhos essenciais para todo o tipo de Volkswagen elétrico do futuro, bem como virem a se tornar os mais novos “carros do povo”.

Segmento Volkswagen elétrico em peso

O Grupo Volkswagen espera que 10 milhões de veículos sejam produzidos sobre a MEB já na primeira leva, além de que 150 mil sejam vendidos até 2020, chegando a mais de um milhão até 2025. Por enquanto, há poucas informações práticas sobre a plataforma, como os tamanhos de carro que ela pode proporcionar, ou o entre-eixos deles. Outra grande expectativa fica por conta de saber exatamente como serão os detalhes dos modelos que receberão a nova plataforma, mas garantiu que, até 2022, 27 deles e 4 marcas diferentes usarão a MEB.

LEIA MAIS: Volkswagen cria o Vizzion Concept, carro elétrico sem volantes e pedais

Segundo a Volkswagen, os novos veículos também contarão com baterias mais eficientes. Em carregadores rápidos, uma recarga de 80% vai levar cerca de 30 minutos — algo já obtido em alguns elétricos atuais. Ao todo, mais de R$ 5 bilhões já foram investidos para o desenvolvimento das novas tecnologias. Com isso, vai se tornar a maior planta de desenvolvimento de carros elétricos de toda a Europa.

Plataforma de Volkswagen elétrico e cada um de seus componentes, que formam o trem de força
Divulgação
Plataforma de Volkswagen elétrico e cada um de seus componentes, que formam o trem de força

As evidências do crescimento da produtividade se dá na capacidade máxima de produzir, por ano, serão 500 mil baterias. Entre os modelos que já recebem esses equipamentos estão o e-Up!, e-Golf e o Passat GTE plug-in hybrid. Logo que forem diovulgados mais detalhes técnicos sobre os futuros veículos elétricos, saberemos o que o futuro nos reserva.

LEIA MAIS: Volkswagen confirma produção de novo sedã elétrico para 2022

O que afirma Dr. Hebert Diess, presidente do conselho da marca Volkswagen, é que: “O ID e os futuros modelos que utilizarão a nova plataforma representarão essa nova era dos veículos elétricos, de uma nova era automotiva: elétrica, conectada e de condução autônoma”. Em 2025, o Volkswagen elétrico ID irá se tornar o primeiro veículo autônomo da fabricante, com a introdução do sistema VW ID Pilot. Prometem até mesmo dispensar chaves convencionais, usando o celular para controlar o automóvel.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.