Tamanho do texto

Mas as versões vendidas no Brasil continuam saindo da linha de montagem da Argentina normalmente, sem data para deixarem de ser produzidas

Chevrolet Cruze deixa de ser vendido nos EUA, onde a GM vai fechar fábricas para se reestruturar
Divulgação
Chevrolet Cruze deixa de ser vendido nos EUA, onde a GM vai fechar fábricas para se reestruturar

De acordo com o que foi anunciado oficialmente pela General Motors dos Estados Unidos, no final de novembro último, a fábrica de Lordstown deixa de montar o Chevrolet Cruze. A última unidade é um sedã, que deverá ser pintado de branco ou cinza, de acordo com o site americano GM Authority.

LEIA MAIS: GM fechará fábricas e vai tirar o Chevrolet Cruze de linha nos EUA

A unidade de produção do Chevrolet Cruze em Lordstown está para ser fechada e, desde que foi inaugurada, em 1966, já montiou mais de 16 milhões de carros, entre os modelos Impala,  Bel Air, Cavalier, Cobalt, entre outros.  O fechamento da fábrica faz parte do plano de reestruturação da GM que prevê economizar US$ 6 milhões até o fim de 2020.

Entretanto,  da fábrica do Chevrolet Cruze, na província de Santa Fe, na Argentina continua normalmente. O modelo médio se mantém vendido no Brasil, na linha 2019, com algumas novidades, como a versão especial Black Bow Tie e um pacote de equipamentos que pode incluir acesso à internet via conexão 4G.

Entre outros equipamentos, a versão série Black Bow Tie vem com câmera de ré, sensor de estacionamento, ré com sensor de estacionamento, multimídia MyLink A compatível com Android Auto e Apple CarPlay e o sistema de telemática OnStar entre os itens de série.

LEIA MAIS: GM terá 11 lançamentos no Brasil em 2019 e aposta nos elétricos

 Além disso, o carro conta com controle de estabilidade (ESP), direção elétrica, sistema de monitoramento da pressão dos pneus, entre outros itens. O modelo também pode ser equipado com o sistema de som premium da JBL especialmente projetado para o veículo, assim como outros acessórios já disponíveis. O motor é o 1.4, turbo, de 153 cv e 24,5 gfm de força, que funciona com câmbio automático, de seis marchas.

Chevrolet Volt também sai de linha nos EUA

O Volt foi o primeiro elétrico da GM vendido em larga escala. Assim como o Chevrolet Cruze, sai de linha nos EUA
Divulgação
O Volt foi o primeiro elétrico da GM vendido em larga escala. Assim como o Chevrolet Cruze, sai de linha nos EUA

 Além do Chevrolet Cruze, outro carro da GM que deixa de ser produzido nos Estados Unidos é o elétrico Volt , também conforme o previsto em novembro de 2018. O carro foi o primeiro carro do gênero da marca a ser vendido nas lojas em larga escala. Algumas unidades chegaram a desembarcar no Brasil, mas apenas para demonstração.

O carro era bem mais pesado que o ideal para um modelo elétrico, o que atrapalha bastante na eficiência e impl;ica em uma autonomia menor que o ideal. Para minimizar esse problema, o Volt vinha com um motor a combustão, de 160 cv, movido a gasolina, que funcionava apenas como gerador, sem tracionar as rodas.

LEIA MAIS: Chevrolet Bolt revela um futuro brilhante sobre carros elétricos. Veja vídeo

O Chevrolet Cruze sai de linha depois do Volt, modelo da GM maior que o Bolt, bem menor, moderno e eficiente. O novo modelo está com chegada confirmada, mas sem data definida. Vai custar R$ 175 mil como um dos poucos carros elétricos vendidos oficialmente no Brasil. O hatch 100% elétrico que é alimentado por baterias de 60 kwh. Elas dão uma autonomia, com carga completa, de 380 quilômetros.