Tamanho do texto

Modelo fica mais largo, leve e conectado que o anterior. Há chances do SUV vir a ser montado na Argentina no lugar do hatch médio Focus

Ford Kuga
Divulgação
O Ford Kuga renovado estará à frente da eletrificação da Ford. Poderá vir ao Brasil entre o fim de 2020 e o início de 2021

Nos caminhos do futuro, o novo Ford Kuga chega ao mercado como o SUV mais eletrificado já fabricado pela marca. Isso inclui versões híbrida, mild-híbrida (com um pequeno motor elétrico substitui motor de arranque e alternador) e plug-in. O projeto ainda está em estudos para o mercado brasileiro, e poderá chegar ao País entre o final de 2020 até o começo de 2021.

LEIA MAIS: Peugeot 2008 reestilizado aparece sem camuflagem antes da estreia

O novo Ford Kuga é o primeiro SUV a utilizar a plataforma C2 que também equipa o novo Focus que não veio ao Brasil. Dessa forma, o Kuga fica mais longo, largo e protuberante nas medidas de entre-eixo. Além disso, o SUV também fica 90 kg mais leve que o modelo anterior que não foi vendido por aqui, mas marcou presença na Argentina.

Com 20 milímetros a mais de entre-eixos e 44 mm de largura, o espaço para as pernas dos ocupantes do banco traseiro foi ampliado. Além disso, haverá mais distância entre os ombros e quadris dos passageiros. Graças aos bancos deslizantes, os passageiros mais altos poderão mover o assento traseiro para trás - caso o espaço no porta-malas permita.

LEIA MAIS: Hyundai apresentará novo SUV menor que o Creta nos Estados Unidos

Seu motor 2.5, de quatro cilindros, trabalha em conjunto com uma unidade elétrica e as baterias de 14.4 kWh, gerando a potência combinada de 222 cv. A versão híbrida plug-in - onde o Kuga pode ser abastecido tanto na gasolina quanto na tomada - o motor oferece autonomia de 50 km no modo 100% elétrico, com baixa emissão de gás carbônico.

Mais detalhes do Ford Kuga

Ford Kuga
Divulgação
Ford Kuga vem com cluster digital e sistema multimídia de última geração entre os principais itens disponíveis


O Kuga híbrido convencional contará com o sistema “self-charging”, que reaproveita a energia cinética perdida em frenagens e desacelerações para abastecer a bateria. A Ford ainda não especificou novos detalhes, mas há a expectativa de que ele seja lançado ainda em 2020. Vale dizer que a versão híbrida do Kuga contará com opções de tração dianteira e integral.

Por fim, o modelo mild-hybrid se chamará EcoBlue diesel, contando com o motor 2.0 diesel aliado ao gerador de 48 volts. A marca também promete baixas emissões de gases tóxicos, na casa dos 132g/km. Também teremos versões convencionais, com opções 1.5 de 187 cv de potência, 2.0 diesel de 187 cv e 1.5 EcoBoost de 180 cv e 147 cv. Serão duas opções de câmbio: manual de seis velocidades e automática de oito. Nestas configurações, o Kuga também contará com versões de tração dianteira e integral. Assim como no modelo anterior, o Kuga terá versões ST-Line e Titanium .

LEIA MAIS: Novo EcoSport é visto com camuflagem antes da estreia mundial

No pacote de tecnologia, o Kuga irá incorporar a ferramenta FordPass Connect, que verifica o status do veículo e passa informações sobre autonomia, revisões e mecânica. Além disso, haverá conexão wi-fi, sistema localizador e partida remota.

O painel de instrumentos do Ford Kuga é completamente digital, com 12.3 polegadas, além do Sync 3 de 8 polegadas com compatibilidade Android Auto e Apple CarPlay. Carregador de celular por indução e som desenvolvido pela Bang & Olufsen completam o pacote.