Tamanho do texto

Modelo que marcou o fim de uma era segue em boas mãos, agora no instituto Erlanger Neuroscience, que cuida de pacientes com distúrbios neurológicos

VW Fusca arrow-options
Divulgação
O primeiro VW Fusca (esq) e o último (dir). É uma era que chega ao fim e deixa um legado fará bem a muitos necessitados

Há três meses, o último VW Fusca saía da fábrica de Puebla (México). A princípio, ficaria no museu da montadora, que fica junto ao complexo mexicano. Entretanto, a fabricante decidiu entregá-lo para arrecadar fundos ao Instituto Erlanger Neuroscience, com especialistas em neurologia à serviço de pacientes de todas as idades que sofrem de distúrbios diversos, que usam avanços na tecnologia de imagem para diagnosticar e elaborar os tratamentos.

LEIA MAIS: VW Fusca nacional faz 60 anos. Veja 5 "filhotes" do clássico carismático

Segundo Scott Keogh, CEO da Volkswagen: "Estamos muito satisfeitos em ajudar a angariar fundos para uma instituição de assistência tão significativa. A nossa marca continua a procurar oportunidades de ajudar, e o último VW Fusca não poderia ter feito melhor”.

LEIA MAIS: Raro VW Fusca de 1964, quase sem uso, está à venda por US$ 1 milhão nos EUA

Lançado em 1998, era um modelo mais despojado com a plataforma e a mecânica do Golf. Foi montado na Alemanha até 1999, quando passou a ser produzido somente no México, inclusive após mudar de geração em 2011, quando ganhou a 2ª geração do conjunto mecânico 2.0 TSi e DSG da VW. Embora tenha vendido 1,2 milhão de unidades entre 1998 e 2010, o cupê começou a perder expressividade nos anos seguintes.

O Beetle Final Edition, o último Fusca em questão, foi oferecido em dois estilos de carroceria, cupê e conversível, e em vários níveis de acabamento. O veículo inspirou-se no Fusca, mas traz as últimas tecnologias da marca, com 174 cv e 25 kgfm e câmbio de seis marchas.

LEIA MAIS: VW Fusca com 530 mil km, de única dona, é restaurado de graça

Página virada

VW Tarek arrow-options
Divulgação
VW Tarek será o rival do Jeep Compass, modelo mais vendido no segmento de SUVs médios no Brasil

Com a vaga que o VW Fusca deixou aberta na linha de produção, o SUV médio Tarek — que também será vendido no Brasil, abaixo do Tiguan, e também será feito na Argentina em 2021 — ocupará o espaço. E outro que está com os dias contados em Puebla é o VW Golf , mudando-se para Wolfsburg (Alemanha). Isso é decorrente principalmente pela baixa na procura pelos hatches médios em diversos mercados, que no caso do Brasil, acumula apenas 0,48% de participação nas vendas de 2019.