Está pensando em trocar de carro para ganhar um dinheiro extra na revenda? Saiba que o sonho é possível com algumas recomendações básicas. Como mercado de seminovos em alta, a reportagem do IG Carros oferece 5 dicas para valorizar o veículo seminovo na hora da revenda. Acompanhe as sugestões.

1 - Mantenha bom estado de conservação

Limpeza
Reprodução
Imperfeições na carroceria podem fazer o comprador torcer o nariz e dificultar o negócio

Vender um carro ralado ou com pequenas imperfeições é possível, mas esses detalhes acabam reduzindo o valor do modelo para o novo dono. Os lojistas gostam de dizer que o veículo precisa “sorrir” para o cliente. Portanto, nada melhor que um exemplar que pode ser apresentado com orgulho na hora da venda, sem disfarçar imperfeições.

Se a mecânica está em ordem, o cliente precisa de provas. Por isso, notas fiscais de serviços de manutenção devem ser guardadas para adicionar valor ao veículo. O novo proprietário ficará muito satisfeito e empolgado de saber que o antigo dono foi cuidadoso.

2 - Pendências devem ser quitadas

Multas
Divulgação
Trate de quitar pendências de financiamento, multas e licenciamento antes de vender

Nada desanima mais um comprador do que “rolos” com a legislação de trânsito. Sinistro, financiamento, multas, licenciamento, IPVA e transferência de placa devem ser quitados pelo motorista que pretende se desfazer do veículo.

Ainda que o modelo esteja bem conservado, é difícil fazer os olhos do comprador brilharem. O único trabalho que o cliente quer ter é efetuar o pagamento, dar baixa na transferência do veículo e sair dirigindo. Portanto, se você quer valorizar seu seminovo, é melhor resolver todas as pendências antes. 

3 - Volte o veículo à originalidade

Tunado
Divulgação
É mais fácil vender um veículo quando ele não está "tunado"

É importante entender que o comprador “namorou” o veículo na internet antes de procurá-lo pessoalmente. Pode ser que algumas modificações, como trocar a roda ou rebaixar a suspensão, não agradem o interessado que busca sempre a originalidade.

Isso também vale para a mecânica. Um veículo “chipado”, com abafador e outras alterações vale bem menos do que o modelo original. Portanto, se você quer se desfazer rápido do seu carro e tirar proveito da venda, é melhor retornar à originalidade estética.

Nem todas as alterações depreciam um veículo. Se o modelo saiu de fábrica com rádio simples e você instalou uma central multimídia completa com DVD, por exemplo, pode ser que consiga extrair um valor superior para recuperar parte do dinheiro na venda. 

4 - Comprove a manutenção

Manutenção
Divulgação
Regularidade nas manutenções garantem segurança ao novo comprador, que pode topar pagar mais

Falamos brevemente desse assunto no primeiro tópico, mas vale reforçar sua importância. O carro pode estar um brinco, mas sem comprovantes que mostrem a regularidade das manutenções, você ainda poderá estar dando margem para comprador ficar desconfiado sobre o que pode vir em seguida. 

A consequência disso poderá ser uma pechinchada a mais, ou um “deixa eu pensar melhor”, uma vez que o mercado não está para qualquer um com a pandemia causada pelo novo coronavírus.

5 - Venda você mesmo

Carros seminovos
Divulgação
A consignação paga a lojistas pode afetar o seu bolso

A consignação paga aos lojistas pode acabar com o lucro na hora de vender seu seminovo. A melhor atitude é anunciar o próprio automóvel nos principais classificados automotivos para salvar um pouco mais do valor final. 

Antes de fazer o anúncio, dê uma garimpada em modelos similares. Você pode acabar encontrando um grande diferencial que justifique o valor mais elevado, como estado de conservação, quilometragem ou alguma característica rara no veículo. 

    Veja Também

      Mostrar mais