Tamanho do texto

Fabricante terá investimento e aposta alto para manter liderança no segmento de utilitários esportivos com novos modelos no País

O Renegade 2019, com discreta mudança no visual,  foi atração do Salão de  Turim. E chega ao Brasil nos próximos meses
Divulgação
O Renegade 2019, com discreta mudança no visual, foi atração do Salão de Turim. E chega ao Brasil nos próximos meses

Queridinhos dos brasileiros, os utilitários esportivos ganham força e só crescem no mercado. Décadas atrás apostar nesse segmento seria ousado. Pois quem ousou, se deu muito bem. Hoje, os SUVs já são responsáveis por 25% do total dos carros emplacados, e segundo a Fenabrave (Federação dos Distribuidores de Veículos), o Jeep Compass é o destaque. O percentual é referente ao mês de maio. É a segunda maior fatia do mercado atrás apenas dos hatchs pequenos, que representam 27%. Dentro desse contexto, saiba quais são os planos da Jeep no Brasil.

LEIA MAIS: Novo SUV da Renault aparece em teaser antes da estreia

Uma análise mais detalhada mostra que uma marca tem muito a comemorar: a Jeep. Entre todos os SUVs, o zero quilômetro mais vendido, atualmente, é o Jeep Compass. Na lista dos utilitários, aparece ainda seu “irmão” o Jeep Renegade, colocado na segunda posição do segmento. E não param por aí os modelos da Jeep no Brasil.

LEIA MAIS: Conheça os desafios das picapes híbridas no mercado mundial

Jeep Compass: estreou em grande estilo, levando a marca à liderança do segmento
Divulgação
Jeep Compass: estreou em grande estilo, levando a marca à liderança do segmento

O feito não é tão simples de ser alcançado. Entre as várias categorias de carros esta é, sem dúvida, a que oferece o maior número de opções. São SUVs modernos, eficientes e charmosos. Mais de vinte modelos de diferentes marcas disputam acirradamente a preferência do consumidor.

E justiça seja feita. A Jeep, hoje do grupo FCA (Fiat-Chrysler Automóveis), foi quem verdadeiramente criou o veículo off-road na América do Norte, que depois se espalhou pelos continentes. Em 2018, o utilitário Jeep comemora 77 anos. Desde cedo, virou sinônimo de robustez e pode ser considerado o veículo que deu a tração 4x4  ao mundo.

É impossível falar do modelo sem lembrar sua origem Ele ganhou fama durante a Segunda Guerra Mundial.  O seu nome teria surgido de uma abreviatura da pronúncia em inglês de General Purpose (GP). O sucesso fez o carro ganhar uma versão “civil” e invadir as ruas no pós-guerra.

A marca Jeep teve alguns donos: Willys Overland, American Motors, controlada pela Renault, e finalmente a Chrysler. No Brasil,  o primeiro Jeep foi lançado em abril de 1952 e nacionalizado, em 1954, pela filial brasileira da Willys.

O Jeep Willys nacional da década 1960 é uma raridade desejada pelos fãs do lendário veículo
Divulgação
O Jeep Willys nacional da década 1960 é uma raridade desejada pelos fãs do lendário veículo

O interessante é que a marca Jeep também passou pelo domínio da Ford no Brasil quando a montadora americana adquiriu o controle acionário da Willys, em 1967. A linha Jeep continuou a ser fabricada no país pela fabricante até 1983. E ainda tem uma curiosidade: diz a lenda que a Ford cedeu os direitos do nome Jeep no mercado brasileiro à Chrysler por 1 dólar. Difícil acreditar, mas são estes mitos que alimentam o mundo automotivo.

LEIA MAIS: Conheça as novas gerações de 10 peruas, cuja maioria o Brasil está perdendo

Investindo nos aventureiros

Agora, a Fiat Chrysler tem planos ousados para a nossa região. Promete investir R$ 14 bilhões em novos produtos até 2022 na América Latina. Boa parte desse valor será destinada aos utilitários da Jeep e da Fiat, que pretende chegar com força nesse segmento. A picape RAM, que faz parte do grupo, também terá um modelo local.

No caso, específico, da Jeep a expectativa é da chegada de um SUV com um porte acima do Compass. Esse modelo será produzido em Goiana, Pernambuco, onde são fabricados os dois modelos líderes entre os utilitários, Compass e Renegade.

Por enquanto, nos planos da Jeep no Brasil, o Wrangler, que é uma espécie de uma versão da era moderna do tradicional Jeep, continuará a ser só importado. Se a marca cresceu na guerra, eu diria que ela ainda permanece bem armada para a disputa, mas agora em tempos de paz, claro.

O Jeep Wrangler 2019 mantém a identidade e robustez do modelo original que iniciou a saga da marca
Divulgação
O Jeep Wrangler 2019 mantém a identidade e robustez do modelo original que iniciou a saga da marca



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.