Tamanho do texto

Companhias buscam cooperações entre si e com empresas de tecnologia para aumentar participação no mercado e trazer soluções de mobilidade

Van de passageiros Transporter: usará a mesma plataforma para as marcas VW e Ford,  uma das inovações automotivas
Divulgação
Van de passageiros Transporter: usará a mesma plataforma para as marcas VW e Ford, uma das inovações automotivas

Quem aí se lembra da Autolatina, joint venture formada entre Ford e Volkswagen no Brasil e na Argentina nos anos 90? Na época, a ideia do acordo, com data para início e fim, deu certo, num período de economia difícil e dificuldades para o setor automotivo. Há um novo esforço nesse sentido - que não tem características de joint venture, que fique claro. Ambas as empresas anunciaram no Salão de Detroit (EUA), que terminou no último dia 27, que se unirão para desenvolver vans comerciais e picapes para os mercados globais já a partir de 2022, já com todas as inovações automotivas que estão por vir.

LEIA MAIS: SUVS e picapes que fazem sucesso no exterior e esperamos que cheguem ao Brasil

A partir de 2022, Nissan e Renault terão três bases de inovações automotivas para as novas linhas, como o Symbioz
Divulgação
A partir de 2022, Nissan e Renault terão três bases de inovações automotivas para as novas linhas, como o Symbioz

“A Volkswagen e Ford vão combinar seus recursos, capacidade de inovação e posições de mercado complementares para melhor atender milhões de consumidores ao redor do mundo”, disse o CEO da Volkswagen, Herbert Diess. Alianças como essa aproveitam a especialização e as vantagens competitivas de diferentes marcas para melhor competir, criar veículos com a mesma plataforma, inovações automotivas , e avançar nas vendas.

Exemplo disso são os grupos que encabeçam a lista global de veículos mais vendidos. Segundo a Focus, consultoria especializada em informações automotivas, em 2018 quem levou a melhor foi o grupo Volkswagen, composto por Volks, Audi, Bentley, Bugatti, Ducati, Lamborghini, MAN, Porsche, Scania, Seat, Skoda, com 10.830.625 veículos vendidos.

Fusion autônomo, com inovações automotivas da Argo AI, já está em testes na ruas de São Francisco (EUA)
Divulgação
Fusion autônomo, com inovações automotivas da Argo AI, já está em testes na ruas de São Francisco (EUA)

O grupo Toyota ficou em segundo, com 10.520.655 veículos vendidos com as marcas Toyota, Daihatsu, Hino, Lexus e participações na Subaru, Isuzu, Yamaha, Tesla Motors e joint-ventures na China. A Renault-Nissan, aliança formada em 1999, completou o pódio com 10.360.992 veículos comercializados mundialmente. O grupo controla ainda as marcas Mitsubishi, Alpine, Dacia, Datsun, Infiniti, Lada, Renault Samsung e Venucia.

LEIA MAIS: Manobrista automático e carros que “conversam” entre são apostas no CES 2019

Investimento em inovações automotivas

Toyota e Uber Technologies desenvolvem inovações automotivas um carro autônomo com base na minivan Sienna
Divulgação
Toyota e Uber Technologies desenvolvem inovações automotivas um carro autônomo com base na minivan Sienna

As parcerias estão provando ser uma rota cada vez mais popular também para os investimentos para a mobilidade, autonomia e eletrificação dos automóveis na próxima década. A Volkswagen está negociando investir potencialmente mais de US$ 1 bilhão na Argo AI, empresa de robótica e tecnologia de propriedade majoritária da Ford, como parte das discussões de parceria entre as duas montadoras. As empresas poderiam co-desenvolver hardware e software para veículos autônomos, ampliar a penetração no mercado global e economizar investimento em software e licenciamentos.

LEIA MAIS: Conheça as novas gerações de carros híbridos e elétricos mostradas em Detroit

Entre as parceria high-tech , o foco é criar soluções de mobilidade - e aí os carros autônomos, que não precisam de motorista, saem na frente. A Fiat Chrysler firmou parceria com a Waymo , empresa de desenvolvimento de tecnologia para carros autônomos inicialmente criada como um projeto do Google , para lançar minivans.

A Toyota, por sua vez, tem negócio com a Uber Technologies, enquanto a GM Cruise LLC assinou no mês passado um contrato com a Honda para desenvolver e construir um veículo autônomo. O investimento será de US$ 2,75 bilhões em 12 anos neste projeto.

LEIA MAIS: Mobilidade e zero emissões estão na rota da indústria automotiva

Este novo mapa de estratégia das indústrias de autos destaca o papel empresarial no aumento da produtividade e das inovações automotivas ... Mas que certamente vão trazer também muitas vantagens para os consumidores em termos de novos produtos e de mobilidade, ou seja maior conforto, trânsito mais controlado e menos acidentes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.