Tamanho do texto

A personalização de fábrica CVO torna esta Road Glide muito especial. Confira detalhes sobre o modelo da marca norte-americana

A Harley-Davidson CVO Road Glide pronta para entra na estrada, com garupa.  Grande, moto pesa mais de 400 kg
Arquivo pessoal
A Harley-Davidson CVO Road Glide pronta para entra na estrada, com garupa. Grande, moto pesa mais de 400 kg

O passeio de moto desta semana tem algo de muito especial. Não apenas porque a motocicleta da vez é a Harley-Davidson CVO Road Glide, o modelo da marca que tem o maior e mais potente motor já oferecido de fábrica. Mas porque, pela primeira vez, o passeio foi feito com garupa. Afinal, um motor de 1.723 cm 3 de cilindrada, com torque de 17,3 kgfm, montado em uma motocicleta que excede os 400 kg de peso, sem piloto, garupa ou bagagem, pode muito bem levar uma pessoa a mais sem comprometer a dirigibilidade.

LEIA MAIS:  Uma Harley-Davidson Fat Boy renovada. Confira avaliação detalhada

Esse motor da Harley-Davidson é muito mais do que a maioria dos automóveis de entrada no mercado brasileiro gostaria de ter. O fabricante não divulga as potências de seus motores, mas pode-se estimar mais de 100 cv para este motor 117, levando em conta que o motor 114 tem 95 cv disponíveis .

A Harley-Davidson CVO Road Glide representa a extrema sofisticação na família das tourings, tudo nela é especial. Uma das características dos clientes da marca norte-americana, que existe também entre os brasileiros, é a forte personalização que suas motocicletas passam logo que são adquiridas. Para isso a H-D mundial mantém uma enorme lista de equipamentos originais. Enorme mesmo. Mesmo assim, há a divisão especial CVO, que significa Custom Vehicle Operations, que torna alguns modelos da linha ainda mais especiais, É como se fosse a Motorport “M” dos carros BMW, ou a AMG dos Mercedes-Benz.

Apesar de ter uma personalidade fortemente focada em estradas – de asfalto muito liso e com poucas curvas –, a CVO Road Glide não é a melhor motocicleta da marca para viagens com garupa. Representante autêntica das “baggers”, que têm a traseira “caída”, ela não tem o baú traseiro, que nas versões Limited tem capacidade para bastante bagagem. As suas duas malas laterais rígidas não comportam muita coisa, com um volume de apenas 68 litros. Para a viagem de três dias, no entanto, elas foram suficientes. Em uma bolsa impermeável amarrada precariamente sobre o para-lama traseiro, apenas as volumosas roupas para chuva (não choveu).

LEIA MAIS: Como é montar e desmontar uma motocicleta da Harley-Davidson

Defeito ou característica? O estilo bagger fala mais alto na CVO Road Glide, mas um sissy-bar, que é aquele pequeno encosto para o conforto do garupa, não poderia faltar. Uma boa pedida para essa moto seria esse barato equipamento e mais um bagageiro, para evitar improvisações.

Grande e sofisticada

Harley-Davidson CVO Road Glide vem com rodas de 21 polegadas  e boa dose de sofisticação
Divulgação
Harley-Davidson CVO Road Glide vem com rodas de 21 polegadas e boa dose de sofisticação

Sob o ponto de vista do conforto dinâmico, mais uma vez a CVO Road Glide pende mais para a esportividade do que para a conveniência. A roda dianteira de 21 polegadas, única na família, tende a pesar bastante na dirigibilidade, dificultando as manobras com a moto parada, as curvas mais fechadas e ainda por cima potencializa a dureza das suspensões ao passar por obstáculos. A pancada na traseira também é sentida fortemente em ruas esburacadas.

A carenagem fixa no estilo nariz de tubarão é outro ponto polêmico. Eu prefiro a carenagem menor que se move juntamente com o guidão, como nas Limited. E com faróis redondos. Questão de gosto. Mas não há argumento contra todas as mordomias que uma CVO oferece. O sistema de som premium Boom é quase inacreditável, pela qualidade de música que oferece. É claro que, com a velocidade, é necessário aumentar muito o volume, mas assim é possível curtir sua playlist preferida.

Algo que me surpreendeu: com o combustível baixando depressa no fim do tanque, de repente o navegador apontou a situação e me ofereceu meia dúzia de postos de abastecimento em meu caminho, inclusive com a marca da distribuidora. Escolhi a de minha preferência e parei para encher o tanque. Foi quando o gentil frentista nos clicou na foto abaixo. Não se assustem, sou ainda do tempo da torneirinha de reserva!

LEIA MAIS: Harley-Davidson Heritage Classic, o clássico sombrio da era moderna

As conveniências eletrônicas das motocicletas atuais, em especial das Harley, estão me conquistando. Na CVO Road Glide, o sensor fob vai no bolso e pode ser esquecido (não em casa, obviamente). Ligamos e desligamos a ignição e tudo mais no interruptor do punho direito, travamos e destravamos as malas nos botões na carenagem e até a trava do guidão éacionada eletricamente. Só achei que os dois compartimentos para pequenos objetos, um deles contendo a entrada USB, deveriam ter também uma trava. Facilmente esquecemos coisas lá dentro.

Por fim, outro número que assusta os menos acostumados com a cultura Harley: o preço. A H-D CVO Road Glide custa R$ 153.380, bem mais que a Road Glide Special 107, que custa os já assustadores R$ 92.980. A Harley-Davidson Road Glide Ultra, que tem o baú traseiro, custa R$ 97.480.