Tamanho do texto

A nova geração da Yamaha Lander mudou, é quase uma nova motocicleta

A nova Yamaha XTZ 250 Lander ficou mais confortável para viagens no asfalto
Divulgação
A nova Yamaha XTZ 250 Lander ficou mais confortável para viagens no asfalto

A Yamaha já mostrou sua nova Lander. Como de praxe, costumamos chamar um lançamento desses com o nome da motocicleta acompanhado do próximo ano, o que neste caso resultaria em “nova Yamaha XTZ 250 Lander 2019”. Mas desta vez não é assim, o fabricante não destacou o ano da moto na divulgação, mas sim o termo “nova geração”. Isso talvez porque no site oficial da marca a Lander atual, assim como a sua versão aventureira Ténéré, já estavam sendo chamadas de “2019”.

LEIA MAIS: Chegou a hora de experimentar a Kawasaki Z900RS, de estilo retrô

A nova motocicleta da Yamaha pode sim, ser chamada de “nova geração”, e sem grandes ressalvas, uma vez que a Lander chega muitíssimo renovada. É quase outra motocicleta. A nova Lander, que tem o nome oficial de Yamaha XTZ 250 Lander ABS, só estará disponível ao público na segunda quinzena de janeiro de 2019, ocasião em que será também divulgado o seu novo preço, mas nós já fomos para a estrada com ela.

A Yamaha XTZ 250 Lander foi lançada no Brasil em 2007 e em 2010 ganhou a versão aventureira Ténéré. Apesar de terem a mesma estrutura mecânica, as duas versões diferem muito, desde a carenagem fixa com para-brisa, banco largo em dois níveis e para-lama dianteiro baixo, junto ao pneu.

Novidades da Yamaha XTZ 250 2019

Na terra, a nova Yamaha XTZ 250 Lander não perdeu suas virtudes, mesmo com os novos pneus
Divulgação
Na terra, a nova Yamaha XTZ 250 Lander não perdeu suas virtudes, mesmo com os novos pneus

Para a nova geração, a Lander mudou muito, incorporando itens da Ténéré, que deixa de ser oferecida. À primeira olhada, é o para-lama dianteiro baixo que mais se nota, tirando aquela forte impressão de dominadora do fora de estrada que o para-lama bem alto lhe passava. Isso, no entanto, não reduziu suas qualidades nas trilhas, o que pudemos comprovar neste teste.

Como complementação visual, a nova Lander tem agora um para-lama dianteiro alto estilizado, incorporado à carenagem de farol. Dessa forma, o impacto visual frontal foi conseguido, complementado pelos dois protetores dos amortecedores.

LEIA MAIS: Yamaha XJ6N, a naked urbana

Outra grande melhoria é o banco mais largo e em dois níveis, bem mais confortável que o banco estreito que a Lander mantinha até hoje. As alças de apoio para o garupa também melhoram substancialmente, passando de dois incômodos “ferrinhos” para uma bela peça de alumínio mais robusta e confortável para o garupa.

Com o intuito de se assemelhar com a Yamaha XT 660R, a nova Lander ganhou também um novo tanque de combustível, de maior capacidade: passou de 11 para 13,6 litros. As carenagens externas ao tanque, que o protegem de danos em eventuais quedas, estão diferentes e mais fáceis de serem substituídas, porém isso não alterou muito o visual do conjunto. A nova moto tem ainda o diferencial de alguns componentes pintados de preto, como as laterais do motor, os amortecedores dianteiros e a balança traseira.

Na parte funcional, faróis e piscas são agora de leds (a lanterna traseira já era) e o painel de instrumentos, inteiramente digital, também está diferente, incorporando duas novas funções, os indicadores de consumo instantâneo de combustível e média de consumo.

LEIA MAIS: Era uma vez no México. Com a linha Touring 2019 da Harley-Davidson

Na parte mecânica, pouca coisa mudou. O quadro de aço teve apenas algumas alterações para acomodar os novos tanque e banco e os freios se mantém com discos de 245 mm na dianteira e 203 mm na traseira. Nesse aspecto, a novidade é o sistema ABS de série na dianteira, justamente o que forneceu o novo nome oficial à motocicleta: Yamaha XTZ 250 Lander ABS.

A Yamaha XTZ 250 Lander com o kit Touring. No detalhe, o novo painel de instrumentos
Divulgação
A Yamaha XTZ 250 Lander com o kit Touring. No detalhe, o novo painel de instrumentos

O motor monocilíndrico refrigerado a ar mantém seus 2,1 kgfm de torque tanto com etanol quanto com gasolina, com respectivos valores declarados de 20,9 e 20,7 cv de potência para os dois combustíveis. O câmbio é de cinco marchas.

As suspensões tiveram alteração apenas no seu curso, passando de 240 mm na dianteira para 220 mm e de 220 mm para 204 mm na traseira. Esses novos valores são os mesmos da antiga versão Ténéré.

Da mesma forma, os pneus da nova Lander, que eram Metzeler Enduro 80/90-21 na dianteira e 120/80-18 na traseira, passam a ser aqueles que já equipavam a Ténéré, os Tourance de mesmas medidas só que um pouco mais “on” do que “off”. A intenção foi mesmo amansar a Lander para ficar mais parecida com a confortável Ténéré.

Apesar dessas mudanças, depois de um dia inteiro de experimentação por estradas asfaltadas e de terra, a nova Lander ABS não mostrou queda de desempenho. Pelo contrário, os novos pneus a deixaram mais confiante no asfalto, sem contudo perder aderência na terra, para uma utilização não radical, quando também a redução nos cursos de suspensão não afetaram significativamente as reações da motocicleta.

LEIA MAIS: Off-road fácil com a nova Honda CRF 250F

Sendo um meio-termo entre a off road Yamaha Lander atual e a aventureira Ténéré , certamente mais próxima a esta última quando analisadas as suas características técnicas, podemos dizer que a nova motocicleta da Yamaha poderá satisfazer melhor aquele motociclista que busca uma motocicleta mais confortável, tanto no uso urbano quanto para pequenas aventuras na terra no fim de semana.

Programada para chegar às lojas apenas na segunda quinzena de janeiro,a nova Yamaha XTZ 250 Lander ABS ainda não tem preço definido, mas já contará com a nova garantia de quatro anos. Para compensar a eliminação da versão aventureira Ténéré, a nova Lander contará com um kit de acessórios originais que inclui bagageiro, baú nas medidas 33 ou 35 litros, protetor lateral de motor e para-brisa. As cores disponíveis serão azul, branco e preto. Apenas para referência, a Lander atual custa R$ 15.690 e a Ténéré custa R$ 16.490.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.