Tamanho do texto

Segundo o site Mercado Livre, procura por carros zero km oriundos da China aumentou 166% em um ano

JAC T40: o primeiro dessa nova fase de carros chineses, o crossover agradou pelo visual e pelo conjunto
Divulgação
JAC T40: o primeiro dessa nova fase de carros chineses, o crossover agradou pelo visual e pelo conjunto

Quando começaram a chegar com maior volume no Brasil, no início deste século, os carros chineses foram muito rejeitados pelos consumidores. Depois, na virada da primeira para a segunda década, tiveram um boom de vendas, devido ao baixo preço combinado com muitos equipamentos de conveniência. Tecnicamente, os carros chineses eram muito ruins – havia sérios problemas de dirigibilidade, ergonomia, acabamento e segurança.

LEIA MAIS: Polo e Virtus GTS abrem as portas para a volta do Gol GTS

Porém, a oferta foi tentadora para muitos consumidores que pagavam o olho da cara por alguns equipamentos nas marcas tradicionais, de forma que a Anfavea reagiu e o governo obedeceu, lançando o programa Inovar-Auto. Assim, os carros chineses passaram cinco anos no ostracismo.

Chery Tiggo 2: mesmo tendo sido lançado há apenas um ano, já ocupa o oitavo lugar entre os carros chineses usados mais procurados
Divulgação
Chery Tiggo 2: mesmo tendo sido lançado há apenas um ano, já ocupa o oitavo lugar entre os carros chineses usados mais procurados

Mas agora eles estão de volta. A primeira marca a se movimentar foi a JAC Motors , que lançou o crossover T40. O carro agradou pelo design e pela qualidade, apesar de alguns pênaltis na dirigibilidade. A Lifan também planejou uma renovação de sua linha e a Chery foi adquirida pela Caoa. No Salão de São Paulo, apesar da ausência da JAC – que apresentou fora da feira o SUV T50 –, a Lifan mostrou o novo X80 e a Caoa Chery apresentou uma linha toda renovada, com três SUVs (Tiggo 5x, Tiggo 7 e Tiggo 8) e um sedã (Arrizo), além de modelos elétricos. Pode-se dizer com certeza que dessa vez os carros chineses vieram para ficar.

LEIA MAIS: Volkswagen responde ao EcoSport 16 anos depois

Lifan X80: o grande destaque da marca no Salão de São Paulo não é barato, mas agradou entre os carros chineses
Divulgação
Lifan X80: o grande destaque da marca no Salão de São Paulo não é barato, mas agradou entre os carros chineses

O site Mercado Livre, especialista em classificados pela internet, já detectou esse movimento. Segundo a área de Classificados do Mercado Livre, a procura por carros chineses no site cresceu 29% em um ano, enquanto as marcas americanas, coreanas, europeias e japonesas tiveram uma queda entre -12% e -23% no período de doze meses. E a procura por carros chineses zero km aumentou 166%. É natural, principalmente devido ao JAC T40 e ao Caoa Chery Tiggo 2, que estão vendendo bem.

JAC J3 é o mais procurado entre os carros chineses

JAC J3: o hatch chinês têm a maior procura entre os carros chineses usados no Mercado Livre, com 13%
Divulgação
JAC J3: o hatch chinês têm a maior procura entre os carros chineses usados no Mercado Livre, com 13%

Quanto aos usados, segundo o Mercado Livre, os três carros chineses mais procurados são da JAC. O hatch J3 encabeça a lista com 13%, seguido dos sedãs J3 Turim e J5 e do Chery Tiggo, todos eles com 8% nas buscas do site. Depois aparecem um SUV da Lifan e um monovolume da JAC: o X60 e o J6 têm 7%. O pequenino Chery QQ vem isolado em sétimo lugar, com 6%. Em oitavo, empatados com 3%, estão o JAC J2, o Caoa Chery Tiggo 2 e o Chery Face. Outros carros chineses somam 34%. As marcas analisadas pelo Mercado Livre foram: Chana, Changan, Chery, Effa, Geely, Hafei, JAC, Jinbei, Lifan, Rely e Shineray.

LEIA MAIS: Arrizo 5 mostra que a Caoa Chery quer ser top 10 no Brasil

Diante disso tudo, muitos brasileiros estão se perguntando: já é hora de comprar um carro chinês? Aparentemente, sim. Pelo menos dois desses carros já se mostraram confiáveis e com bom custo/benefício: o JAC T40 e o Caoa Chery Tiggo2. O Lifan X80 não é barato, mas é um bom SUV. Ainda não sabemos como devem se comportar nas ruas o Arrizo, o Tiggo 5x, o Tiggo 7 e o Tiggo 8, todos eles fabricados no Brasil, mas no Salão de São Paulo eles surpreenderam pelo design, pela oferta de equipamentos, pelo acabamento requintado e pela qualidade dos materiais.

Outro carro que veio da China e fez sucesso no Salão foi o Ford Territory. Parece que não existe mais dúvidas de que os chineses aprenderam a fazer carros. Agora vão entrar na guerra do mercado, mas para isso ainda terão que investir na confiabilidade das marcas para acabar com o preconceito por parte dos consumidores sobre os carros chineses , que ainda é grande.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.