Tamanho do texto

Produção atual parecida com os dos anos 1950 levaram a marca americana a fechar a fábrica de São Bernardo do Campo (SP)

Fábrica da Ford em São Bernardo do Campo (SP), que deixará de fabricar caminhões e o Fiesta ao longo de 2019
Divulgação
Fábrica da Ford em São Bernardo do Campo (SP), que deixará de fabricar caminhões e o Fiesta ao longo de 2019

A Ford é a primeira vítima de uma economia que não consegue se recuperar e de um sistema
que põe antigas certezas ladeira abaixo. Com baixa produção e operação deficitária, a
montadora americana anunciou que fechará a fábrica de São Bernardo do Campo (SP), onde
produz os caminhões Cargo, F-4000 e F-350, além do automóvel New Fiesta. Assim, uma das
empresas pioneiras da indústria automobilística encerrará em 2019 suas atividades no ABC
paulista.

LEIA MAIS:  Ford anuncia fechamento de fábrica em São Paulo e fim do Fiesta no Brasil

A Ford começou a produzir veículos no Brasil em 1921, no bairro Bom Retiro, em São Paulo. O
famoso modelo T e o caminhão TT foram os pioneiros. Em 1953 a empresa inaugurou uma
fábrica maior na Vila Prudente (zona leste de São Paulo). Só em 1967 foi inaugurada a fábrica
de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, que terá suas atividades encerradas este ano. O
primeiro carro produzido nessa fábrica foi o Galaxie 500. O último será o New Fiesta.

Isso porque os números de produção estavam baixíssimos. Caíram ao nível do final dos anos
1950. Em 1974, a Ford abriu uma fábrica de motores em Taubaté (SP). Hoje, essa unidade tem
capacidade para produzir 430 mil motores e 430 mil transmissões por ano. Em 2001, a Ford foi
para a Bahia e abriu uma fábrica em Camaçari (BA), onde passou a produzir o Fiesta e depois o
EcoSport e o Ka. Aos poucos, a fábrica do ABC paulista foi ficando exclusiva dos caminhões. O
único modelo que ainda saía de lá era o New Fiesta , um bom carro que hoje é vendido em três
versões 1.6, com preços entre R$ 52.690 e R$ 58.090.

LEIA MAIS: Ford e Volkswagen oficializam parceria global

Da euforia ao fechamento da fábrica da Ford

Ford Cargo TorqShift é um dos modelos de caminhões da marca que deixa de ser produzido no Brasil
Divulgação
Ford Cargo TorqShift é um dos modelos de caminhões da marca que deixa de ser produzido no Brasil


Durante um bom tempo, a produção de caminhões foi ótima para a Ford. Os dois melhores
períodos foram de 2007 a 2010 (118,5 mil caminhões produzidos) e de 2011 a 2014 (112,3
mil). Em termos de exportação, o melhor período foi de 2005 a 2006. Nesses três anos, as
exportações tiveram uma média 7,4 mil unidades/ano. Mas, dos 40,7 mil caminhões
produzidos em 2011, a Ford desabou para 9,9 mil em 2016, sendo 3,9 mil para exportação. Em
2017 e 2018 a empresa não divulgou nem a produção nem as exportações. Porém, segundo os
dados da Fenabrave, a Ford terminou a temporada passada em quarto lugar no ranking de
caminhões, com 9,3 mil vendas do Cargo , do F-4000 e do F-350.

LEIA MAIS: Por que fábricas de carros estão fechando? (E o Brasil não está livre disso)

Quanto ao New Fiesta, as vendas em 2018 foram de apenas 14,5 mil unidades do modelo
hatch, num mercado que emplacou 965 mil carros. Ainda houve mais 1,5 mil emplacamentos
do New Fiesta Sedan, que foi descontinuado durante o ano. Com o fechamento da fábrica da
Ford em São Bernardo do Campo, cerca de 2.800 funcionários ficarão sem emprego, fora o
efeito cascata com fornecedores e concessionários. Para um país que precisa
desesperadamente de uma recuperação econômica e um governo que precisa gerar milhões
de empregos, foi uma péssima notícia.