Tamanho do texto

Picape da FCA revolucionou o conceito do segmento e mostra que a concorrência dorme no ponto

Fiat Toro vermelha
Divulgação
Na linha 2020, a Fiat Toro traz o estilo italiano S-Design, que reforça sua posição como melhor ideia da década

Você já parou para pensar a que a picape Fiat Toro é a melhor ideia da década? Dentro da indústria automobilística, quais foram as melhores ideias de 2011 para cá? Tivemos algumas boas ideias, mas nenhuma tão bem executada e tão revolucionária como a Fiat Toro.

LEIA MAIS: Por que os preços de Renault e Fiat estão baixando no Brasil

Vamos analisar quais foram as boas ideias da indústria nesse período em que a Fiat Toro fez sucesso. Tivemos o Hyundai HB20, um carro revolucionário para a sua categoria. Ele mudou a maneira como os brasileiros passaram a olhar os carros compactos, passando a exigir design superior e maior qualidade de construção.

Ainda no segmento, tivemos o Ford Ka da segunda geração e o Chevrolet Onix, mas eles não revolucionaram o setor, apesar de o Onix ter se transformado num campeão de vendas. Outro carro digno de registro é o Range Rover Evoque. Esse carro mudou o design da indústria – e não só dos SUVs. Mas é um carro importado, feito para o mundo.

Também marcante foram os lançamentos do Honda HR-V e do Jeep Renegade. Mas, assim como o Evoque, são carros mundiais. No segmento de carros subcompactos, tivemos três apostas: a do Volkswagen Up, a do Fiat e Mobi e a do Renault Kwid. Dos três, o Up é seguramente o melhor carro, mas nunca pegou no Brasil. É caro, para começo de conversa.

LEIA MAIS: Três carros que perderam relevância no mercado

O Mobi, por sua vez, apresentado pela Fiat como uma revolução, na verdade é um catado de vários outros carros. Não tem nada de revolucionário e deixa a desejar nos aspectos construtivos. Já o Kwid, esse sim, também foi uma ideia diferente, com a cara do Brasil. A ideia do “SUV dos compactos” é ótima. Mas o carro também tem muitos pecados em sua construção e dirigibilidade.

Renault Oroch verde
Divulgação
Renault Oroch: uma picape digna, baseada no Duster, que chegou antes da Toro, mas nunca foi um sucesso de vendas


Voltemos à Fiat Toro. A picape da Fiat nem sequer foi a pioneira. A primeira a surgir foi a Renault Oroch, baseada no Duster. A picape Oroch é muito boa e até injustiçada pelo mercado. Recentemente fiz uma viagem de São Paulo e Paraty com ela e gostei muito. Porém, a Oroch não se transformou num grande sucesso de vendas e tem alguns aspectos ultrapassados.

Entre eles, o design, que poderia ser melhor. Já a Fiat Toro, não. Essa picape chegou e arrebentou. Conquistou o mercado com um design incrível e revolucionário, trouxe uma construção superior, uma suspensão traseira preciosa e muito conforto ao dirigir.

Fiat Toro deu acesso à picape diesel 4x4

VW Tarok azul
Divulgação
Volkswagen Tarok: foi apresentada no último Salão de São Paulo e pode fazer concorrência para a Toro

Com a Fiat Toro, os brasileiros puderam ter uma picape a diesel, 4x4, cabine dupla, sem ter que recorrer às caríssimas picapes médias (Toyota Hilux, Chevrolet S10, Ford Ranger etc.). Com a Fiat Toro, os brasileiros puderam ter uma picape com a dirigibilidade de um SUV moderno. A Toro é baseada no Renegade e isso já diz muita coisa.

LEIA MAIS: Investimentos na fábrica da Fiat não têm relação direta com governo Bolsonaro

Ah, mas e as picapes pequenas? As picapinhas são outra coisa: para ter uma cabine dupla, é preciso perder muito espaço na caçamba. Sem contar que ninguém fica confortável no banco de trás de uma Volkswagen Saveiro ou de uma Fiat Strada.

Por tudo isso e por muito mais, a Fiat Toro pode, sim, ser considerada a melhor ideia da década. Suas vendas vão muito bem, obrigado (ela disputa com a irmãzinha Strada a liderança do segmento). É uma picape que atende tanto a quem precisa dela numa fazenda quanto a quem precisa de um carro confortável para viajar.

Hyundai Creta STC verde
Nicolas Tavares/iG Carros
Hyundai Creta STC: foi mostrado no Salão de São Paulo de 2016, mas os coreanos não foram adiante com a ideia

O sucesso da Toro também mostra que alguns concorrentes estão dormindo no ponto. É o caso da Hyundai, que aparentemente desistiu de sua picape Creta (compacta com carroceria monobloco) mostrada no Salão de São Paulo de 2016.

Já a Volkswagen parece estar disposta a entrar nesse mercado, pois no Salão de 2018 apresentou o conceito Tarok. A picape Volkswagen Tarok seria, de fato, a única concorrente forte para a Fiat Toro, pois a Renault também não dá mostras de que vai aprimorar a picape Duster Oroch tão cedo.

LEIA MAIS: Nova Ranger chama Amarok para briga antes de compartilhar 

Nadando de braçada, a FCA lançou a Fiat Toro 2020 com o conceito italiano S-Design. Esse conceito combina estilo esportivo com bom conteúdo. O “S” vem da palavra inglesa “shadow”, que significa sombra. Por isso, o interior é todo escurecido. Com ele, a Fiat Toro fica ainda mais bonita. É ou não é a melhor ideia da década na República do Automóvel?