Tamanho do texto

Andamos no divertido utilitário que enfrenta qualquer obstáculo. Confira detalhes sobre o que achamos do 4x4 nacional

A atual geração do Troller T4 foi lançada em 2014. Eis a sua primeira reestilização, com detalhes modernos
Cauê Lira/iG Carros
A atual geração do Troller T4 foi lançada em 2014. Eis a sua primeira reestilização, com detalhes modernos

Pés sujos de lama, café da manhã revirado no estômago e um sorriso estampado no rosto. A última vez que me diverti tanto na terra foi a bordo do novo TAC Stark . Era um modelo particular, com preparação para rali, 170 cv de potência derivados de um motor turbo e suspensão mais baixa. Mas entre as marcas nacionais nascidas no Ceará, há um soberano de preferência entre os fãs de off-road. Eis a linha 2019 do Troller T4, que chega com novidades.

LEIA MAIS: TAC Stark é diversão garantida por R$ 115 mil

Dessa vez, poderia desfrutar da verdadeira experiência dos "jipeiros" e entender por que o Troller T4 é quase uma devoção para os aficionados por off-road. A marca foi fundada em 1997, no Ceará, sendo adquirida pela Ford dez anos depois. Neste meio tempo, apareceu a Copa Troller como uma competição que reúne fãs de todas as partes do Brasil. Estes são alguns dos fãs mais fiéis entre os clubes automotivos.

O T4 é como o cajá ou o carimbó. Trata-se de um fenômeno brasileiro que preserva suas características nordestinas, saindo como vencedor do Rally dos Sertões de 2015. Quem procura um utilitário moldado em barro e água, encontrará no Troller um dos poucos refúgios nesta categoria.

Para o teste da versão 2019, a Troller escolheu um percurso dentro da Fazenda Tucunduva, no interior de São Paulo. É o tipo de lugar que um iniciante na arte off-road - como eu - provavelmente apostaria para conhecer mais sobre o carro. Enfrentaríamos atoleiros, aclives e até mesmo partes inundadas. Gosto de dizer que o Troller T4 é um dos únicos carros que podem ir a absolutamente qualquer lugar neste País. Mais extremo que isso, apenas um Agrale Marruá.

A chegada da primavera já traz seus traços de umidade para a região de Cabreúva. O solo, portanto, não está necessariamente seco como no Rally dos Sertões , mas o calor castiga. Giro a chave na ignição e o T4 desperta seu barulhento 3.2 de cinco cilindros, movido a diesel. A marca diz que ele está menos barulhento e vibrante, ainda que o dono de um Troller não se importe com esses detalhes.

LEIA MAIS: Jeep Renegade Custom Diesel: SUV aventureiro e sem frescuras

Em aclives, coloco seus 200 cv de potência e 47,9 kgfm de torque à prova. Um passeio no parque para o jipão, enquanto galhos de árvores agridem sua lataria mata a dentro. No habitáculo, fora o pula-pula da suspensão de eixo rígido, o conforto está garantido com ar-condicionado e uma nova central multimídia de 6,5 polegadas desenvolvida em parceria com a JBL. Esta é uma das principais novidades do T4, junto das novas cores Cinza Moscou e Vermelho Toscana. Retrovisores elétricos e teto solar duplo garantem mais refinamento.

O Troller T4 está mais conectado, contando com pareamento Android Auto e Apple CarPlay
Divulgação
O Troller T4 está mais conectado, contando com pareamento Android Auto e Apple CarPlay

Os ângulos de entrada e saída são de 51°, fazendo com que o T4 persevere sobre pedras e obstáculos mais complexos com muita facilidade. O bom ângulo de transposição de rampa também assegura um trajeto tranquilo, sem bateções incômodas no chassi. Para superar aclives de 45°, o utilitário também conta com o seletor de tração, localizado na parte inferior do console central. A partir de um seletor giratório, o aventureiro poderá mudar a tração para 4x4 (para terrenos com baixo atrito, como lama, terra batida e grama), ou integral reduzida (para ambientes acidentados que requerem mais precisão). Se estiver em uma descida, basta tirar o pé do freio e controlar a aceleração.

Vale destacar também o bom desempenho do sistema de transmissão, de seis marchas , que tem engates macios mas poderia ser um pouco mais precisa na primeira. A escalonagem é adequada tanto para vencer trilhas e florestas quanto garantir um bom consumo de combustível no trajeto de volta para casa.

O perseverante Troller T4

O Troller T4 é uma das poucas opções legitimamente aventureiras para trilhas pesadas
Divulgação
O Troller T4 é uma das poucas opções legitimamente aventureiras para trilhas pesadas

O diferencial traseiro autoblocante também compensa as variações de piso e transmite o torque para as rodas continuamente. Sem snorkel, também tive a oportunidade de entrar na água com o T4. A parte alagada tinha aproximadamente 60 cm, e o jipão não fraquejou ao enfrentar o desafio. De acordo com a marca, o limite é de até 80 cm. Para riachos maiores, será necessário acoplar um snorkel.

Não entre em desespero se o seu Troller, ocasionalmente, capotar em um obstáculo impossível. A carroceria foi moldada com a tecnologia “space frame”, capaz de suportar as duas toneladas do modelo em capotamentos simples. Vale lembrar que, por sua categoria aventureira, o Troller T4 não conta com airbag.

LEIA MAIS: Ford EcoSport Storm x Jeep Renegade: duelo entre SUVs aventureiros

A Troller espera que 83% dos clientes da linha 2019 do T4 sejam homens entre 40 e 50 anos que busquem uma conexão especial com a natureza. Adquirir um Troller é fazer parte de um grupo de apaixonados. Se você é daqueles que compra um carro pelo status social de “chegar onde nenhum outro chega”, o Troller T4 é uma ótima aposta. Todo proprietário tem uma boa história para contar, enaltecendo um verdadeiro estilo de vida.

Ficha técnica

Preço: R$ 133.706
Motor: 3.2, turbodiesel
Potência: 200 cv
Torque: 47,9 kgfm
Transmissão: manual, seis velocidades
Suspensão: eixo rígido (traseira e dianteira)
Freios: disco ventilado (dianteira), sólido (traseira)
Tanque: 62 litros
Limite de travessia: 80 cm
Ângulo de entrada e saída; 51°
Reboque com freio: 2354 kg
0 a 100 km/h: 12,3 segundos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.