Tamanho do texto

Modelo que parte de R$ 99.990 e pode ficar com preço salgado com a inclusão de alguns opcionais. Confira nossas primeiras impressões ao volante

undefined
Cauê Lira/iG Carros
A versão Comfortline será uma das mais importantes no mix de vendas do VW T-Cross 2019. Chega às lojas em abril

Quase um mês depois de acelerarmos o VW T-Cross 2019 em sua versão Highline na Serra Catarinense, chega a hora de conhecer o modelo Comfortline, com o conhecido motor 1.0 TSI que também equipa Polo e Virtus em suas versões mais bem equipadas. Por mais que estivesse muito curioso para dirigir o modelo manual (que será quase irrisório no mix de vendas), a versão que vai sair feito água das concessionárias trará câmbio automático de seis marchas.

LEIA MAIS: VW T-Cross Highline se mostra um SUV acima da média

O VW T-Cross 2019 Highline com todos os opcionais ultrapassa os panoramas da categoria dos SUVs compactos. Foi feito para conquistar clientes de Jeep Compass, Peugeot 3008 e Mitsubishi Eclipse Cross, com um pacote mega-equipado que passa dos R$ 125 mil. A versão que realmente baterá de frente com Hyundai Creta , Jeep Renegade e Nissan Kicks será a Comfortline que você pode conferir na galeria abaixo.

Apesar de ser um modelo intermediário, nosso T-Cross Comfortline está muito bem equipado. O pacote Interactive que inclui central multimídia com GPS integrado, iluminação ambiente de LED e seletor de perfil de condução acrescenta R$ 3.950. Para ter bancos de couro e aplicações decorativas no painel, você terá que desembolsar mais R$ 1.950, enquanto o teto-solar panorâmico chega a R$ 4.800. Ainda poderíamos equipá-lo com faróis full-led e sistema de assistência de estacionamento por R$ 6.050.

Neste caso, a conta fecha em R$ 110.700, valor que também é elevado para um SUV compacto da categoria. Portanto, vale a pena colocar os valores na ponta do lápis e analisar o que realmente será essencial no seu T-Cross, pois um modelo equipado apenas com o pacote Interactive já traria um sorriso ao meu rosto.

LEIA MAIS: Nova versão do Jeep Compass traz ítens de série exclusivos

Como mencionamos anteriormente, o carro traz um seletor de modos de condução que muda o comportamento do 1.0 turbinado, que entrega 128 cv de potência e 20,4 kgfm a 2.000 rpm. No modo conforto, a escalonagem do câmbio de seis marchas prioriza uma condução mais urbana para o anda e para do trânsito.

Fato interessante é que o T-Cross continua ágil e responsivo, eliminando a necessidade de reduções em aclives, por exemplo. Passando o seletor para o modo de economia, o gerenciamento de transmissão utiliza as marchas mais elevadas, deixando de priorizar o desempenho. Para isso, existe o modo esportivo que eleva a curva de torque entregue pelo acelerador.

O desempenho da versão 1.0 TSI não é de encher os olhos como a versão Highline, mas cumpre bem o seu papel de garantir agilidade. De acordo com a VW, o T-Cross Comfortline acelera de 0 a 100 km/h em 10,4 segundos, com velocidade máxima de 184 km/h. Com três pessoas a bordo, o SUV se comportou bem nas estradas sinuosas de Mangaratiba (RJ).

Ultrapassagens são feitas sem muito esforço, ainda contando com hastes para redução de marcha atrás do volante. De acordo com o Inmetro, o T-Cross faz 7,6 km/l na cidade e 9,5 km/l na estrada com etanol. Com gasolina, os números sobem para 11 km/l e 13,5 km/l.

A estabilidade também chama atenção. Em uma curva, o sistema de bloqueio eletrônico do diferencial freia a roda interna e envia a potência para a externa. Isso garante mais segurança e agilidade, também acrescentando um sistema de frenagem pós-colisão. De acordo com a VW, aproximadamente 25% dos acidentes em rodovias possuem batidas subsequentes.

Um SUV compacto?

undefined
Divulgação
A boa tela touchscreen de oito polegadas com GPS integrado faz parte de um dos pacotes do VW T-Cross 2019

Particularmente, curto o fato do T-Cross ser um pouco menor e mais baixinho que a maioria dos rivais. Parece até que um hatch médio, pela ótima posição de dirigir assegurada pela plataforma MQB (a mesma utilizada do Polo, até o Audi TT).  Quando trouxemos o modelo Highline para nossa redação no mês passado, alguns clientes em potencial ficaram um pouco decepcionados, já que poderia ter uma distância livre do solo um pouco maior, embora seja 1,1 cm mais alto que a versão europeia (18 cm).

Mas devo dizer que o T-Cross se enquadraria muito bem no primeiro slogan do Fox: “compacto para quem vê, gigante para quem anda”. Há espaço suficiente para os joelhos, e o teto alto ajuda no espaço para a cabeça dos ocupantes traseiros. O Honda HR-V, que imita um cupê, é bem mais escasso.

LEIA MAIS: Chery Tiggo 7 mostra sofisticação, mas é bom ter cautela ao volante

Por R$ 110 mil, você poderá ficar confuso entre o VW T-Cross 2019 Comfortline e o modelo Highline com o mesmo motor 1.4 de Tiguan e Jetta. Eu investiria no modelo 1.0 com alguns opcionais do pacote tecnológico. 

Ficha técnica: VW T-Cross Highline 1,0 TSI

Preço: a partir de R$ 99.990

Motor:  1.0, três cilindros, turboflex

Potência (cv):  128 a 5.500 rpm

Torque (kgfm):  20,4 a 2.000 rpm

Transmissão:  automática, seis marchas, tração dianteira

Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / Eixo de torção (traseira)

Freios:  Discos ventilados (dianteiros) / sólidos (traseiros)

Pneus:  205/55 R17

Dimensões: 4,20 m (comprimento) / 1,75 m (largura) / 1,57 m (altura), 2,65 m (entre-eixos)

Tanque: 52 litros

Porta-malas: 373 litros  

Consumo etanol: 7,6 km/l (cidade) / 9,5 km/l (estrada)

Consumo gasolina: 11 km/l (cidade) / 13,5 km/l (estrada)