Tamanho do texto

Entre as novidades das nova Ninja H2, ainda mais potência e equipamentos. Versão mais veloz só pode ser usada na pista

Se as variantes da Kawasaki Ninja H2 já eram completas, mais equipamentos chegam para reforçar a exclusividade
Divulgação
Se as variantes da Kawasaki Ninja H2 já eram completas, mais equipamentos chegam para reforçar a exclusividade

A Kawasaki Ninja H2 recebe atualizações no motor e painel em sua atualização. Em pré-venda até novembro, a linha 2020 da H2 e H2 Carbon e 2019 da H2R são oferecidas sob encomenda. As motocicletas estão entre as mais extremas do mundo, com bastante tecnologia e investimento em materiais de ponta, como fibra de carbono. A partir de agora, com a adoção da luz da placa da motocicleta em LED, todos os equipamentos de iluminação da Ninja H2 (faróis, luzes de presença, luz traseira e piscas) utilizam o mesmo sistema em LED.

LEIA MAIS: Kawasaki Ninja ZX-10R SE e Z900RS Café chegam no final de agosto

Na primeira, a novidade é potência extra no motor 998 cc supercharger, agora com 243 cv (antes 210 cv), conseguidos com nova caixa de ar, filtro de ar, velas e mapeamento da injeção. O sistema de freios adota novas pinças Brembo, mais compactas e com respostas mais rápidas, além de menor peso e melhor refrigeração. O painel de instrumentos em TFT agora é colorido e pode ser conectado ao smartphone. Até a pintura tem composto que pode se regenerar de pequenos riscos. Enquanto isso, a Kawasaki Ninja H2 Carbon se diferencia pelo detalhes em carbono.

LEIA MAIS: Kawasaki Ninja 400, a pequena grande motocicleta esportiva

Kawasaki Ninja H2 e a eletrônica pesada

Painel digital presente em todas as versões da Kawasaki Ninja H2, que mostra tudo sobre a moto e a condução
Divulgação
Painel digital presente em todas as versões da Kawasaki Ninja H2, que mostra tudo sobre a moto e a condução

A Kawasaki H2R , versão apenas para pista, atinge agora 326 cv (antes 310 cv). Novas rodas e novo logotipo Supercharger a diferenciam visualmente da versão anterior. Apesar de não ser homologada para as ruas (nem faróis ela possui), ela custa um total de R$ 357.000 - definitivamente uma das motocicletas mais caras que se pode comprar, inclusive bem mais (quase o dobro) que as irmãs H2 (R$ 168.000) e Kawasaki H2 Carbon (R$ 178.000).

LEIA MAIS: Kawasaki Z900, o purismo das naked com visual felino

Quanto à suspensão, tanto a dianteira quanto a traseira são totalmente ajustáveis, permitindo que o piloto adeque o funcionamento ao estilo de condução, condições da via e presença de garupa e/ou bagagem. Já o seu câmbio, conta com a caixa de câmbio do tipo dog-ring, encontrada nos mundiais de MotoGP e Formula 1, que facilita a troca rápida de marchas.

LEIA MAIS: Kawasaki Ninja 1000 é modelo esportivo da marca para viagem

Kawasaki Ninja H2 R: A mais extrema de todas, capaz de superar os 400 km/h
Divulgação
Kawasaki Ninja H2 R: A mais extrema de todas, capaz de superar os 400 km/h

Entre os tipos de assistência da Kawasaki Ninja H2 , estão os controles de largada, tração e estabilidade, com ABS que monitora seis parâmetros de inclinação para determinar a posição exata da moto e necessidade precisa de atuação de cada assistente. Por fim, entre outros sistemas, destacam-se: controle de Freio Motor, que permite que o piloto selecione a quantidade desejada; três limitadores de potência, permitindo que o piloto selecione a entrega de potência de acordo com suas preferências e condições de pilotagem e o piloto automático, que permite que a velocidade desejada seja mantida, na seleção por meio de botões.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.