Tamanho do texto

Kasinski, Buell e Indian são algumas das fabricantes que saíram do mercado brasileiro de motocicletas. Confira a lista abaixo

O Brasil é um país complicado, onde muitos investimentos encontram barreiras e empecilhos em uma infinidade de leis e tributos. De acordo com o US News, nosso País é o último colocado na lista dos 80 melhores lugares para investir em 2019, em uma eleição que ocorre sempre durante o Fórum Econômico Mundial em Davos. Com essa fama internacional, é normal que algumas marcas de motos e carros tenham dificuldades financeiras.

LEIA MAIS: Honda NXR 160 Bros recebe novos grafismos e freios combinados na linha 2019

Entre os automóveis, podemos lembrar de diversas fabricantes que deixaram o País. Os coreanos da Daewoo, os espanhóis da Seat e a chinesa Geely são alguns dos exemplos mais retratados. Mas algumas marcas de motos também pularam do barco, seja pela qualidade dos produtos ou a baixa no mercado, decorrente da crise econômica.

1 - Kasinski

Kasinski Flash foi um dos modelos de maior sucesso entre as marcas de motos da lista
Divulgação
Kasinski Flash foi um dos modelos de maior sucesso entre as marcas de motos da lista

A Kasinski foi uma marca legitimamente nacional, fundada em 1999 pelo empresário Abraham Kasinsky. A fabricante obteve a licença de unidades sul-coreanos e chineses, com destaque para os modelos Hyosung e Zongshen. Com apenas dez anos de mercado, a marca brasileira foi vendida para um grupo chinês, porém liderado pelo mesmo empresário brasileiro que já havia trabalhado com a Sundown - ainda falaremos dela.

Pela baixa nas vendas, ainda em 2014 a Kasinski fechou sua fábrica na Zona Franca de Manaus (AM), que tinha capacidade de produzir 110 mil motocicletas por ano. A parceria com o grupo chinês CR Zongshen não foi renovada, e a marca acabou fechando as portas.

2 - Indian

O colunista, Gabriel Marazzi, conduzindo a  Indian Chienftain. Entre marcas de motos, modelos premium estão em baixa
Guilherme Marazzi
O colunista, Gabriel Marazzi, conduzindo a Indian Chienftain. Entre marcas de motos, modelos premium estão em baixa

Eis a fabricante mais recente a abandonar o mercado brasileiro. A Indian encerrou suas atividades em junho de 2018, acusando o retrocesso da economia brasileira e da redução da indústria de motocicletas nos últimos anos como os principais motivos. Isso prejudicou a importação e revenda de modelos premium de alta cilindrada, de maneira geral.

LEIA MAIS: BMW, Ducati e Harley não estarão no Salão Duas Rodas 2019

Representada no Brasil pelo Grupo Polaris, os clientes da marca não estão totalmente órfãos. De acordo com autoridades da empresa, a marca americana dará continuidade aos serviços de pós venda, incluindo vendas de peças de reposição, atendimento à garantia e manutenção em geral. Serviços podem ser requisitados nas oficinas Polaris.

3 - Sundown

Sundown Hunter foi um dos grandes sucessos da marca brasileira, que acabou sucumbindo entre as marcas de motos
Divulgação
Sundown Hunter foi um dos grandes sucessos da marca brasileira, que acabou sucumbindo entre as marcas de motos

A Sundown já teve prestígio no Brasil em meados da década passada. No ranking de vendas, ficava atrás apenas de Honda e Yamaha. Tal como a Kasinski, a marca também trabalhava com licença de modelos chineses, como a própria Zongshen. Entre os modelos de maior sucesso, podemos enumerar Hunter 90, WEB 100 e Max SE 125.

Também em 2011, a marca acabou encerrando as atividades por conta da crise econômica mundial. A fabricante também acusou divergências com fornecedores internacionais, bem como o fechamento de sua fábrica em Manaus que mantinha uma operação de 1.500 funcionários. Triste fim para uma das maiores marcas de sua categoria.

4 - Agrale

Antiga publicidade da Agrale SXT. Entre as marcas de motos, modelo já surge como raridade entre fãs de off-road
Divulgação
Antiga publicidade da Agrale SXT. Entre as marcas de motos, modelo já surge como raridade entre fãs de off-road

Popular por seus ônibus e veículos agrícolas, a Agrale já se aventurou na categoria das motocicletas em meados dos anos 70. Em uma categoria aventureira dominada pelos modelos Honda XLX 250 R e Yamaha DT 180, a Agrale investiu nos modelos SXT e Elefant. Seus motores, por outro lado, eram muito mais fracos quando comparados aos de seus principais rivais.

Em meados dos anos 90, foram importados os modelos Husqvarna WR 250 e a Cagiva Super City 125. A Agrale encerrou sua atuação no segmento de motocicletas em 1997, e muitos de seus modelos já se tornaram raros entre os entusiastas de off-road.

5 - Buell

Entre as marcas de motos, a Buell apostou na bela XB12S para o Brasil
Divulgação
Entre as marcas de motos, a Buell apostou na bela XB12S para o Brasil

Fundada por um antigo engenheiro da Harley-Davidson nos Estados Unidos durante os anos 80, a Buell lançou modelos emblemáticos, logo chamando a atenção da gigante americana. Em 2003, a Harley oficializou a compra da Buell, que chegou ao Brasil em 2005, representada pelo Grupo Izzo.

LEIA MAIS: Sai de linha a Honda CG 125: o fim de uma era na industria de motocicletas

Ainda em 2009, a Harley-Davidson anunciou que a Buell iria encerrar as atividades. O objetivo da marca americana seria focar exclusivamente em suas operações. Erik Buell, o homem por trás da fabricante, voltou a fabricar motocicletas nos Estados Unidos, mas estas nunca vieram ao Brasil. Nesta lista sobre marcas de motos , em particular, a Buell foi a única a encerrar suas atividades por fatores externos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.