Tamanho do texto

Cada uma delas se destaca em algo. Seja motor, seja custo-benefício, seja segurança ou tecnologias. Os valores citados são uma faixa média de preço

Peso reduzido, poucas peças, pouco consumo de combustível, praticidade e envolvimento ao dirigir. As motocicletas são a alternativa mais viável para se locomover. Há tempos que o Brasil não vê qualquer estabilidade na economia, na oferta de empregos e na qualidade de vida, e é por isso que os consumidores têm aumentado a procura por elas — inclusive por patinetes elétricos. E apesar de já serem veículos que custam pouco — bem menos que os carros — verão que as motos seminovas são verdadeiras barganhas para o que oferecem.

LEIA MAIS: Veja quais são as 5 motos mais em conta à venda atualmente no Brasil

Tudo bem que a diferença total dos preços entre as motos seminovas e as zero km não é tão grande quanto ao dos carros — uma vez que a depreciação, percentual, é diretamente proporcional ao valor do veículo — mas o ponto é que estamos falando de modelos mais recentes que 2016; e qualquer economia em algo que não demanda quase nada para se manter, representa boas sobras para pagar outras contas no fim do mês. E é com esse espírito de otimização máxima do custo benefício que iniciamos a nossa lista!

5 — Yamaha NMax 160 ABS 2017: R$ 10 mil

Yamaha NMax
Divulgação
Yamaha NMAX 160 ABS é destaque em segurança entre as motos seminovas, mas não oferece só isso

Se quiser uma moto com ABS por menos de R$ 10 mil, o scooter Yamaha NMax é uma das poucas opções que vai encontrar, sem precisar desembolsar os R$ 12.390 cobrados pelo zero km. Seu motor possui 160 cc de cilindrada, capaz de gerar 15,1 cv e 1,47 kgfm. Na hora de frear, além do ABS, os discos são de 230 milímetros de diâmetro na frente e atrás. Também vem com painel de LCD, faróis e luz de freio de LED e porta-capacete de 25 litros. Além disso, dois diodos luminosos acendem no farol baixo e uma atua simultaneamente no farol alto.

Equipada com rodas de 13 polegadas, a suspensão conta com 10 cm de curso no garfo dianteiro e traz sistema bichoque traseiro, com 9 cm de curso e molas progressivas que oferecem sete regulagens de pré-carga da mola. Tem 127 kg em ordem de marcha, 74 cm de largura, entre-eixos de 1,35 m, e segundo a fabricante é possível chegar a médias de consumo em torno de 40 km/litro.

LEIA MAIS: Veja 5 motos com ABS mais vendidas do Brasil que custam até R$ 20 mil

4 — Honda NXR 160 Bros 2016: R$ 7,5 mil

Honda NXR 160 Bros
Divulgação
Trail é a que mais está barata em relação à zero km. Oferece robustez e atributos esportivos na pilotagem

Mais por menos: eis a motocicleta que mais apresenta diferença de preço ante a zero km (R$ 13.458). Como uma boa trail, conta com elevado posicionamento de pilotagem, longo curso de suspensão e pneus de uso misto com medida de 90/90R19 (dianteiro) e 110/90R17 (traseiro). Seu assento em dois níveis — pensado para oferecer maior conforto na pilotagem em uso diário ou viagens — é integrado ao tanque de combustível.

A Honda NXR Vem com motor de 160 cm³, que rende 14,7 cv e 1,46 kgfm no etanol. Entre os equipamentos, traz painel totalmente digital na cor azul que mostra velocímetro, marcador de combustível, hodômetro total e parcial, relógio e luzes espia (piscas, injeção eletrônica, farol e neutro). O escapamento é em aço inoxidável e conta com uma câmara de expansão no tubo primário do escape, possibilitando melhores retomadas em baixa rotação.

3 — Traxx Fly 250 2017: R$ 7 mil

Traxx Fly
Divulgação
Maior motor e suspensão encontrada em motocicletas de competição podem soar bastante interessantes

É a moto com mais potência e torque da lista, com 16 cv e 1,7 kgfm respectivamente. Mesmo que não seja tanto a mais que uma 160 cc, vem com suspensão invertida na dianteira, algo muito utilizado nas motos de alto desempenho. O conjunto dianteiro traz bengalas douradas com 160 mm de curso, enquanto a traseira monoamortecida tem ajuste na pré-carga da mola. Os freios têm diâmetro de 240 mm e pinça de dois pistões, na frente, e 220 mm com pinça de um pistão, na traseira.

Entre os equipamentos, estão lanterna e piscas de LED, lampejador do farol alto e painel de instrumentos (análogo e digital), com iluminação azul, além do marcador de combustível e do útil indicador de marcha. Por essa faixa de preço para a seminova, ou por exatos R$ 10 mil em uma zero km, os que gostam de algumas características mais esportivas (off-road) para a moto do dia-a-dia podem ter na chinesa certas alusões.

LEIA MAIS: Veja quais são os 5 scooteres novos mais baratos do Brasil

2 — Dafra Cityclass 200i 2016: R$ 7 mil

Dafra Cityclass
Divulgação
A Dafra é uma das melhores alternativas de custo-benefício entre os scooteres dos classificados

A Dafra Cityclass é o melhor custo-benefício entre os scooteres que se pode encontrar nos classificados, por ser a mais em conta e trazer motor com boa cilindrada. Alternativa à zero km (R$ 10.990), seu único cilindro de 200 cc desenvolve 13,8 cv e 1,4 Kgfm, aliado ao câmbio CVT. Além disso, traz freios combinados a disco em ambas as rodas, rodas de 16 polegadas e suspensão garfo telescópico na frente — com 87 mm de curso e dois amortecimentos ajustáveis atrás, com 65,6 mm de curso máximo.

Entre outros equipamentos, oferece porta objetos com fechadura, entrada USB para carregar celular, GPS e outros dispositivos, abertura do compartimento sob o banco na ignição (sem precisar desligar a moto), painel com relógio, indicador de combustível, alerta de manutenção, gancho para sacola e bagageiro já preparado para instalação de um baú.

1 — Suzuki GSR 150i 2016: R$ 6 mil

Suzuki GSR 150i vermelha
Divulgação
Suzuki GSR 150i é concorrente com a Honda CG e se diferencia pelo visual mais descolado

Com preços na casa dos R$ 6 mil, esta é a opção mais em conta entre as nakeds seminovas de 150 cc. Disponível zero km atualmente apenas como Haojue DK 150 CBS (R$ 7.987) — marca chinesa que fabrica as Suzuki de baixa cilindrada — ainda é mais em conta que as rivais Honda CG 160 (R$ 8.432) e Yamaha Factor 150 (R$ 9.590), ambas também zero km. Em conjunto com um câmbio de seis marchas, a GSR 150i vem equipada com um motor monocilíndrico de 149,5 cm³ arrefecido a ar, que desenvolve 12 cv e 1,08 kgfm.

Um diferencial da GSR é a suspensão traseira, que tem ajuste manual da pré-carga da mola, para deixar a suspensão mais leve ou mais rígida na hora de transportar um garupa ou carga. Além disso, vem com pedaleiras do piloto articuladas, bagageiro em alumínio, retrovisores e tampa do cabeçote do motor cromados. O painel de instrumentos traz display em LCD com o hodômetro total, parcial e indicador de marcha. Deixe nos comentários mais sugestões de motos seminovas e mais faixas de preço para uma nova lista.