Tamanho do texto

Modelos com pouco uso são capazes de acelerar bem, fazendo de 0 a 100 km/h na casa dos 7 segundos. Saiba mais detalhes

Como andar ao lado de carros de mais de R$ 100 mil, com diversão de carros mais caros que isso, por menos de R$ 15 mil? A resposta disso está nas motos esportivas, que trazem tecnologias da MotoGP, com aplicação viável para as ruas. A maioria esmagadora das que estão disponíveis nos classificados — pelo menos até o valor e ano escolhidos para a nossa lista — são as streetfighters , que se definem como as carenadas esportivas, só que sem a carenagem.

LEIA MAIS: Confira a lista das 5 motos trail mais em conta de cada marca, que valem a pena

E olhando em perspectiva, as motos esportivas sem carenagem são mais práticas que as “irmãs” mais encorpadas, uma vez que permitem melhor manobrabilidade, posição de dirigir, mais conforto, capacidade de lidar com as más condições das vias e até agilidade na hora de dar umas costuradas (sempre dentro da lei, obviamente). Com isso, confira as que estão mais presentes nos sites de compra e venda de motos.

5 — Honda CB 500F 2015: R$ 15 mil

Honda CB 500F preta arrow-options
Divulgação
Honda CB500 F é um dos modelos que podem acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 7 segundos

Mesmo que mais antiga que as próximas, por uma certa margem, é a opção de maior cilindrada. Vem equipada com câmbio de 6 marchas e motor bicilíndrico de 471 cc, que desenvolve 50,4 cv e 4,55 kgfm, e tem capacidade de acelerar até 100 km/h em apenas 7 segundos. Além disso, o visual arrojado, os equipamentos e os itens estruturais que são referência em qualidade também estão entre os seus maiores destaques.

Traz assento com dois níveis e painel digital que, no caso da versão F, conta com iluminação azul. Nele, estão contidos conta-giros, velocímetro, marcador de combustível, relógio, hodômetro total, parcial e indicador de consumo instantâneo. As rodas de liga leve, de 17 polegadas e relativamente largas na traseira (160/60), ajudam a dar um porte mais robusto. Na dianteira, a moto traz o um garfo telescópico do tipo convencional e freio de 320 mm, enquanto na traseira, o bom sistema monoamortecido com pro-link e disco de 240 mm.

4 — Yamaha MT-03 ABS 2017: R$ 14.900

Yamaha MT 03 preta arrow-options
Guilherme Marazzi
A Yamaha MT-03 usando toda sua esportividade no circuito travado do Haras Tuiuti



Eis a moto que mais se ouve falar, entre as que estão na lista. Vem equipada com motor bicilíndrico de 321 cc que desenvolve 42 cv e 3 kgfm, capaz de levar a esportiva até 100 km/h no menor tempo da lista: 6,6 segundos — menos que um Mercedes C300 Sport, que custa R$ 260 mil. Aliado a isso, é uma das mais leves da lista para a sua cilindrada (169 kg) e traz painel de instrumentos que exibe um grande conta-giros analógico, mas com todo o restante em exibição digital.

Mesmo montada sobre o mesmo chassi usado na carenada R3, é comum ouvir relatos de proprietários que sentem a dianteira frente leve demais, resultando em uma redução de aderência, principalmente se a posição do condutor ficar mais ereta do que na versão carenada. De todo o modo, pode ser bem afinada com a calibração ajustáveis de compressão, retorno e pré-carga, que vêm acompanhadas de garfo invertido. Quanto aos freios, conta com disco de 298 mm na frente e 220 mm atrás.

3 — KTM 200 Duke ABS 2019: R$ 14.500

KTM 200 Duke arrow-options
Divulgação
KTM 200 Duke é pequena, mas tem estilo arrojado e boa dose de sofisticação entre os atrativos


Eis a moto mais leve da lista. Com apenas 130 kg, vem equipada com motor de 199,5 cc que gera 26 cv e 1,96 kgfm, mas roda apenas com gasolina. Entretanto, é a mais lenta da lista, com 9 segundos, que mesmo assim não deixam a desejar. Dessa vez, mais do que em qualquer outra escolhida, seu grande trunfo é a agilidade extrema e retomadas rápidas em tiros curtos, sob velocidades urbanas. Isso fora o visual arrojado.

LEIA MAIS:  Motos seminovas: 5 dicas que você deve saber na hora da venda

O painel da Duke é composto pelo computador de bordo. Ele mostra tempo de condução, velocidade média, indicador de marcha, consumo instantâneo, autonomia, quilometragem até a próxima manutenção, hodômetro total e parcial. Além disso, suspensão dianteira é do tipo telescópica invertida, com a traseira monoamortecida, os freios a disco nas duas rodas (300 mm na frente e 230 mm atrás) e seu chassi tubular de aço é construído no formato treliça.

2 — Kawasaki Z300 ABS 2016: R$ 14 mil

Kawasaki Z300 verde arrow-options
Guilherme Marazzi
A Kawasaki Z300 é uma boa alternativa para pilotos mais robustos que não “cabem” na Ninjinha.


Compartilhando muito da pequena esportiva Ninja 300 , a “Ninjinha”, é destaque por seu motor “girador”. Bicilíndrico e refrigerado a água, desenvolve 39 cv e 2,8 kgfm e chega aos 13 mil rpm. Entretanto, oferece mais conforto que a “irmã” carenada (pelo seu guidão mais alto e assento que privilegia uma postura mais adequada), com os mesmos 7 segundos até 100 km/h. Além disso, com 170 kg, é tão leve quanto a MT-03 . O lado que a desfavorece está na dificuldade do garupa achar algum lugar para se apoiar.

O sistema de freios (290 mm na frente e 220 mm atrás) e de suspensão também são o mesmo, mas o último possui um acerto mais urbano, pensado menos para realizar curvas com a moto deitada, e mais virando o guidão. Além do farol trapezoidal, o painel de instrumentos é eficiente. Conta com um grande conta-giros analógico e um velocímetro digital de letras grandes.

1 — Suzuki Inazuma 2016: R$ 11 mil

Suzuki Inazuma preta arrow-options
Divulgação
Suzuki Inazuma é a mais em conta da lista, mas não deixa o desempenho por menos para quem gosta de acelerar


Mesmo que menos lembrada, não devemos nos esquecer na Inazuma. Por uma margem de preço considerável em relação aos preços das demais, vem equipada com motor de 248 cc e refrigeração líquida. Mesmo que uns possam achar que seus 24,5 cv e 2,24 kgfm não são lá tão empolgantes, esticando até o corte em 11 mil rpm, o escalonamento de suas 6 marchas é acertado o suficiente para levá-la até 100 km/h em apenas 7 segundos. É o mesmo tempo da CB 500F!

LEIA MAIS: Além da moto de 250 cc, Harley-Davidson deverá ter outras de baixo custo

Além disso, a mais em conta entre as motos esportivas traz disco ventilado de 290 mm (com pinça de dois pistões) na dianteira, 240 mm com pinça simples atrás, e aposta em um visual imponente, reforçado pela saída de escape dupla e um design que remete à big naked B-King. As rodas de liga-leve de 17 polegadas, os pneus de dimensões generosas (são 140 mm de largura na traseira), a ponteira de escapamento duplo (um para cada cilindro) e o paralama avantajado conferem porte de moto maior.