Tamanho do texto

Modelos recém apresentados são inéditos, ou novas gerações dos que já são vendidos no Brasil. Chegarão a partir do ano que vem com novas tecnologias

O Salão de Milão (Itália), mais conhecido por EICMA, antecede o Salão Duas Rodas que acontece em SP entre os dias 19 e 24 de novembro. Nele, motos novas destinadas ao mundo inteiro são reveladas, o que antecipa, também, as que virão ao Brasil. Por outro lado, trata-se de um dos eventos mais ricos para os amantes de motocicletas, com variedades que se tivessem condições de vir ao Brasil, levaria o mercado à loucura.

LEIA MAIS: Confira a lista das 5 motos trail mais em conta de cada marca, que valem a pena

Ainda assim, uma moto ou outra já tem passaporte carimbado para o Brasil. No caso, selecionamos três trail, duas naked esportivas e dois scooteres. Umas inéditas e outras em nova geração, todas elas estreiam novas tecnologias, conjunto mecânico e até propostas de direção. De fato, o universo das motos é o que mais se mantém recheado de opções repletas de personalidade. Com isso, veja algumas motos novas com lançamentos previstos para a partir do ano que vem.

1 – Honda SH125i e SH150i

Honda SH arrow-options
Divulgação
Motos novas: A nova geração dos scooteres renova, também, o "irmão" SH150i, com um projeto amadurecido

O inédito Honda SH125i e o novo SH 150i, previstos para chegar a partir do último trimestre do ano que vem, são as novidades mais populares da lista. Apresentados ao lado da também inédita CBR 1000RR-R Fireblade e da nova CBR 1000RR Fireblade , ambos os scooteres trazem um novo motor de quatro válvulas, com limitador de torque quando a roda patinar e sistema que desliga o motor para não consumir combustível em marcha lenta. Isso sem falar do novo visual.

LEIA MAIS: Honda SH 150i, um scooter ágil e versátil

Além disso, ainda inclui carregador USB e o Kit de mala traseira, com acabamento em alumínio escovado e sistema One Key, que usa a chave original da moto. Outro ponto é que ganhou espaço adicional do bagageiro, de 28 litros. Isso se deve ao novo quadro, que também melhorou, segundo a Honda, a qualidade de condução. Nesse quesito, uma nova geometria da suspensão traseira chega para otimizar o conforto.

2 – KTM 390 Adventure

KTM Adventure 390 arrow-options
Divulgação
Aventureira levará novidades também à irmã naked Duke 390

A trail austríaca chegará ano que vem para se juntar à naked Duke 390, com o mesmo motor de 44 cv e 3,7 kgfm. A transmissão é de seis marchas e tem o opcional de quickshift, que permite subir marchas sem acionar o manete de embreagem. Por outro lado, os equipamentos são os maiores destaques. O painel é de TFT colorido, presente em toda a linha, com sistema de conectividade que permite a navegação por GPS.

LEIA MAIS: Nova KTM 390 Duke alia diversão à versatilidade

Além disso, traz freios ABS off-road, com possibilidade de se manter ativado apenas na roda dianteira, junto com o controle de tração. A suspensão é a WP invertida conta com 170 mm de curso na frente e 177 mm na traseira, enquanto os freios são a disco, simples, com 320 mm na frente e 230 atrás. No visual, vem com o LED diurno na moldura do farol vertical bipartido.

3 – Kawasaki Z650

Kawasaki arrow-options
Divulgação
Kawasaki Z650: Estreia novo visual, mais conforto e sofisticação, além da proposta esportiva

Rival da Yamaha MT-07 e da Honda CB 650F, a nova Kawasaki Z650 chegará a partir do segundo semestre de 2020 com uma série de novidades. Entre elas, um novo farol de LED entre as alterações no desenho, que ficou ainda mais arrojado com novos grafismos e linhas ousadas. Além disso, o cluster digital agora fica parecido com o da Ninja 650 e recebe conexão via Bluetooth para conectar um aplicativo no celular.

LEIA MAIS: A naked da Kawasaki agora é uma autêntica moto da linha “Z”

Ainda entre as principais novidades da esportiva, destacam-se o novo desenho do tanque, novas opções de cores preto e vermelho e banco mais confortável para os ocupantes. Algumas especificações dos conjuntos mecânicos incluem o motor bicilíndrico, de 650 cc, que gera 68 cv e 6,5 kgfm, câmbio de seis marchas, além de freio a disco nas duas rodas. Dois pistões e 300 mm na frente, com um pistão e 220 mm na traseira.

4 – Suzuki V-Strom

Suzuki V-Strom arrow-options
Divulgação
Nova Suzuki V-Strom virá para tentar desbancar as rivais Kawasaki, a linha GS da BMW e a Triumph Tiger

Sem grandes mudanças desde 2014, a bigtrail da Suzuki foi apresentada cheia de novidades, com previsões que apontam para chegar ao Brasil no segundo semestre de 2020. Entre os maiores destaques, estão um farol ao estilo da nova Suzuki Katana, novo design da carenagem, novo painel totalmente digital que traz mais funções e conectividade (navegação, GPS e USB), além de novas almofadas de borracha, pinos e cofre do motor.

LEIA MAIS: A Honda CRF 1000L Africa Twin nos caminhos de terra

Quanto à condução, os ocupantes agora podem escolher entre três modos de condução, que gerenciam o novo motor bicilíndrico “1050” (1037 cc), cuja potência ainda não foi revelada. Isso sem falar de vários outros, como controle de cruzeiro, assistente de partida em ladeiras, ABS com atuação adaptativa, controle de tração e sistema que previne a roda traseira se elevar demais em descidas.

5 – Harley-Davidson Pan America e Bronx

Harley arrow-options
Divulgação
Novas Harley-Davidson são as precursoras de novas tecnologias, que estão em conformidade com os novos modelos

A Pan America (bigtrail) e a Bronx (naked esportiva), que não só marcam, pela primeira vez, a chegada da fabricante em ambos os segmentos, como também do novo motor bicilíndrico Revolution Max, com dois tamanhos: 1250 cc com 145 cv e 975 cc com 115 cv, respectivamente. A filial brasileira da marca já declarou que as novidades do Salão de Milão estão previstas para chegar entre o fim do ano que vem e o início de 2021.

LEIA MAIS: Harley-Davidson traz ao Brasil três novos modelos da linha 2020

Segundo a Harley-Davidson, o novo motor foi projetado para equipar não só ambas as novidades, mas futuros lançamentos também, com a capacidade de oferecer menos vibração, mais torque em baixas rpm, potência em altas rpm, peso e centro de gravidade mais reduzidos, além de durabilidade. Outro equipamento, comum à ambas as motos novas , são os freios Brembo.