Fábrica arrow-options
Divulgação
Fábrica da Honda é a maior da Zona Franca de Manaus, e agora os funcionários terão escalas especiais

A divisão de motos da Honda comunica que as sua produção na fábrica de Manaus (AM) estará suspensa a partir de 27 de março, em função dos impactos da pandemia do Covid-19. O retorno é previsto para 13 de abril, podendo ser postergado para 20 de abril. A decisão prioriza a segurança e saúde das pessoas. Os colaboradores diretamente envolvidos no processo produtivo entrarão em férias coletivas a partir de 30 de março. Entre os dias 27 e 30, as jornadas serão compensadas com a utilização do banco de horas.

LEIA MAIS: Honda celebra 25 milhões de motos produzidas e anuncia lançamentos

Além disso, a divisão de motos da Honda informou que está direcionando o maior número possível de profissionais das áreas administrativas para férias coletivas ou regime de home-office . Para as atividades imprescindíveis, que não podem ser realizadas a distância, será mantido um contingente mínimo de funcionários, com as medidas de prevenção recomendadas pelas autoridades.

LEIA MAIS: Ducati interrompre produção na Itália por causa do coronavírus

A maior fábrica de motos da Honda no mundo fica localizada no Distrito Industrial de Manaus e foi inaugurada em 1971. Até hoje 25 milhões de unidades foram produzidas na fábrica que é uma das maiores da região. Com 7 mil empregados, hoje, a planta conta com 24 modelos diferentes em seu portfólio. No local também são produzidas rodas de alumínio e aço, carenagens, componentes de motor, chassi e estruturas de aço, além de peças plásticas.

Outras fábricas da Zona Franca

Fábrica arrow-options
Divulgação/BMW Motorrad
A planta da BMW, por exemplo, tem retorno previsto apenas para o dia 23 de abril

Enquanto isso, outras fábricas de motos em Manaus também decidem suspender as atividades para se previnirem contra o Coronavírus . A BMW interrompe a partir de 30 de março, com retorno previsto para 23 de abril. Outras ações para aumentar a proteção na fábrica foram o cancelamento de viagens, proibição de aglomerações na produção e na área administrativa. A montadora também adotou home office para parte dos trabalhadores.

LEIA MAIS: Como o novo coronavírus está afetando a indústria automotiva brasileira

Enquanto isso, na Yamaha — a maior concorrente da Honda — a parada terá início no dia 31 de março, com retorno previsto em 20 de abril. A empresa cancelou viagens e vem adotando home office e videoconferências, sobretudo na unidade de Guarulhos (SP), onde ficam as principais áreas administrativas da empresa.

    Veja Também

      Mostrar mais