Moto elétrica pode levar a uma economia de 60% no custo de rodagem de quem roda  3 mil km por mês
Divulgação
Moto elétrica pode levar a uma economia de 60% no custo de rodagem de quem roda 3 mil km por mês

Por meio da parceria com a startup de mobilidade elétrica Voltz, a empresa de entrega de comida pela internet iFood lança um plano de venda de moto elétrica para entregadores do serviço delivery, cujo valor é de R$ 9.990, ou R$ 2.000 abaixo da tabela.


Ao adquirir a moto elétrica que é vendida sem a bateria, os entregadores poderão assinar um plano mensal de R$ 129 para aqueles que rodam até 2 mil km a R$ 319 para quilometragem e trocas de baterias ilimitadas.

Além disso, para aquisição da moto elétrica, o interessado poderá contar com linhas de financiamento com a parceria com o Banco BV que um subsídio de R$ 2 mil para as 300 primeiras motos que forem adequiridas a prazo, meediante aprovação de crédito do usuário.

No caso da outra sócia do projeto, a Ipiranga, entrará com a responsabilidade de efetuar por a trocas de baterias , cujos pontos serão distribuídos em postos da cidade de São Paulo, onde o projeto está sendo implantado de forma piloto.

Serão instaladas 100 estações de troca rápida de baterias espalhadas nos principais bairros paulistanos e, antes do lançamento da moto, Voltz e iFood já atuavam em teste com 30 entregadores e cerca de 33 estações já estavam ativas em 19 postos em São Paulo.

“São mais de 200 mil entregadores em nossa plataforma; é uma oportunidade de ter uma moto elétrica com menor custo, mais econômica, gerando um impacto efetivo na redução de emissão de carbono no meio ambiente”, avalia Claudia Storch, diretora de logística do iFood.

De acordo com o iFood, um entregador que roda 3.000 km por mês tem custo mensal médio d e R$ 610 com gasolina com o custo do litro a R$ 7,10. Com a moto elétrica, esse gasto fixo no final acaba gerando uma economia de mais de 60% em combustível para o entregador.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários