Tamanho do texto

Com boa lista de equipamentos de série, modelo parte de R$ 55.990 e mostra certa eficiência tanto na cidade quanto na estrada

Fiat Cronos Drive 1.3: versão intermediária já vem com rodas de liga-leve e faróis de neblina entre os itens de série
Carlos Guimarães/iG
Fiat Cronos Drive 1.3: versão intermediária já vem com rodas de liga-leve e faróis de neblina entre os itens de série

Não é raro acontecer de alguns modelos valerem mais a pena em determinadas versões. E isso também acontece no caso do Fiat Cronos Drive 1.3 manual, que se mostrou a mais interessante da linha.  O carro tem preço sugerido de R$ 55.990 e já vem com itens como faróis de neblina, banco traseiro bipartido, rodas de liga-leve de aro 15, multimídia com tela sensível ao toque de 7 polegadas, sensores nos para-choques traseiros, repetidor dos piscas nos retrovisores, vidros elétricos traseiros, entre outros itens.

LEIA MAIS: Fiat Cronos enfrenta VW Virtus, ambos com câmbio manual

Pois é, o Fiat Cronos Drive 1.3 manual vem uma boa lista de equipamentos de série, mas esqueceram de incluir alguns detalhes que acabam atrapalhando no dia a dia, como um botão no painel para abrir o porta-malas, ou porta-objetos mais práticos. O que vai no console central é bastante estreito e não comporta um celular com firmeza.  Além disso, os que vão nos painéis das portas são mais rasos do que deveriam. 

Mas, afora esses detalhes, o carro tem boa ergonomia, com comandos bem localizados e fáceis de serem acionados. Porém, os bancos poderiam ser um pouco mais confortáveis e com melhor acabamento. São revestidos de tecido bem simples e, no painel, há mais plástico duro que o ideal. De qualquer forma, o desenho é moderno, tanto por dentro quanto por fora. Aliás, a questão do estilo é o principal atrativo do sedã da Fiat.

A traseira com lanternas estreitas, com LED no lugar de lâmpadas, que seguem o estilo dos sedãs da Alfa Romeo, impressiona. De fato, capricharam no design, o que incluiu uma frente mais elegante que do hatch Argo por detalhes exclusivos do Cronos, como grade do radiador e para-choque. Bom também é que o porta-malas é bem espaçoso, com 525 litros. Só poderiam ter deixado o entre-eixos mais largo que do hatch, o que aumentaria o espaço no banco traseiro.

Econômico, mas ainda há no que evoluir

Versão 1.3 manual tem o conjunto mais eficiente da linha, com destaque para a economia de combustível
Divulgação
Versão 1.3 manual tem o conjunto mais eficiente da linha, com destaque para a economia de combustível

Não resta dúvida de que essa versão 1.3 manual é a que tem o conjunto mais eficiente da linha. Tem bons 109 cv e 14,2 kgfm de torque a 3.500 rpm, o que é suficiente para ter alguma agilidade no dia a dia no trânsito sem precisar acelerar demais, uma vez que há uma razoável dose de força a partir de 2.500 rpm.  Faltou apenas um isolamento acústico mais caprichado e engates mais precisos do câmbio manual de cinco marchas, principalmente nas trocas rápidas e reduções. 

LEIA MAIS: 10 perguntas (e respostas) que explicam a que veio o Fiat Cronos

Confesso que cheguei a me surpreender com o ajuste da suspensão. O acerto é diferente do hatch Argo e ficou melhor. Consegue absorver bem as irregularidades do piso e manter boa estabilidade nas curvas. Não que o carro se aproxime do comportamento de um esportivo, mas entre os sedãs da Fiat que já pus as mãos, o Cronos é um dos que tive uma das melhores impressões. Evidente que um eixo traseiro mais sofisticado, com suspensão multibraço, surtiria melhores resultados que a simples barra de torção, mas conseguiram tornar o Cronos Drive 1.3 um carro bem equilibrado.

Interior tem boa ergonomia, mas faltam porta-objetos mais práticos e espaçosos
Divulgação
Interior tem boa ergonomia, mas faltam porta-objetos mais práticos e espaçosos

A cerimônia em gastar combustível é outro ponto positivo do sedã 1.3. Conforme os dados do Inmetro, com apenas etanol no tanque, o carro pode fazer 8,5 km/l na cidade e 10,2 km/l na estrada, números que passam para 12,4 km/l e 14,8 km/l, respectivamente, com gasolina. Na prática, de fato, aquelas barrinhas luminosas que marcam o nível de combustível demoram para irem se apagando. Com um tanque de 48 litros, teoricamente, consegue-se uma autonomia de 408 km com etanol e 595 km na cidade, nada mau. 

A direção elétrica é bem confortável nas manobras, facilitando a vida de qualquer um na hora de estacionar. E vai ganhando peso de acordo com o aumento de velocidade para transmitir mais segurança. O volante de três raios tem boa empunhadura, mas é preciso se acostumar com os botões escondidos na parte de trás do aro, que controlam o volume do som e mudam de estação, ou de faixa musical. Aliás, a central multimídia funciona bem, mas não vem com GPS embutido. Se precisar de um, tem que conectar o do celular Android ou iOs, contanto que seja dos que têm as versões mais atualizadas.

LEIA MAIS: Fiat Cronos quer matar dois Chevrolet com uma cajadada só

Conclusão

 O sedã 1.3 supreende positivamente com câmbio manual, mostrando ter o conjunto mais eficiente da linha e conseguindo equacionar bem as questões de consumo e desempenho. Não por acaso, a Drive 1.3 deverá ser a versão mais vendida do Fiat Cronos ao longo do ano .

Ficha Técnica - Fiat Cronos Drive 1.3 

Preço: a partir de R$ 55.990

Motor:  1.3, quatro cilindros, flex

Potência:  109 cv (E) / 101 cv (G) a 6.250 rpm

Torque:  14,2 kgfm (E) / 13,7 kgfm (G) a 3.500 rpm

Transmissão:  Manual, cinco marchas , tração dianteira

Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / Eixo de torção (traseira)

Freios: Discos ventilados (dianteiros) / tambores (traseiros)

Pneus:  185/60 R15

Dimensões: 4,36 m (comprimento) / 1,73 m (largura) / 1,52 m (altura), 2,52 m (entre-eixos)

Tanque: 48 litros

Porta-malas: 525 litros 

Consumo etanol: 8,5 km/l (cidade) / 10,3 km/l (estrada)

Consumo gasolina: 12,4 km/l (cidade) / 14,8 km/l (estrada)

0 a 100 km/h:11,5 segundos 

Velocidade máxima: 183 km/h 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.