Hyundai Creta Prestige
Cauê Lira/iG Carros
Hyundai Creta Prestige ganha LEDs diurnos, nova lanterna traseira e carregador de smartphone sem cabo

O Hyundai Creta foi o SUV compacto mais vendido do ano passado, superando todos os rivais por pouquíssimas unidades. Apenas mil emplacamentos separaram o modelo da marca coreana do principal rival, o Honda HR-V, mostrando toda sua competitividade no mercado brasileiro. Em sua nova linha 2020, o SUV chega com fôlego para manter o bom desempenho no varejo.

LEIA MAIS: Ford EcoSport Freestyle: primeiro SUV muda pouco na linha 2020

A liderança, por outro lado, dificilmente virá. Com o início das vendas do Renegade para pessoa jurídica, o SUV da Jeep já dispara à frente de todos os outros. O Kicks também embalou com as constantes promoções da Nissan e o Hyundai Creta já ocupa a terceira colocação por uma boa margem.

A versão mais equipada da linha 2020  inclui LEDs diurnos, lanternas sofisticadas e até carregador de celular por indução. Para melhorar o pacote, a Hyundai poderia ter incluído sensor de estacionamento dianteiro e câmera 360° - como a do Nissan Kicks - além de hastes para trocas de marcha atrás do volante e ar-condicionado de duas zonas. Mas o carro ainda não deixa de ser um SUV dos mais equipados, contando até mesmo resfriamento do banco do motorista.

O Creta também traz porta-óculos e compartimento para objetos abaixo do encosto de braço. As tomadas 12V e conexões USB continuam localizadas no console central, onde é possível conectar o celular aos sistemas Android Auto e Apple CarPlay. Mesmo que a maior parte dos proprietários utilizem Google Maps ou Waze como interface de navegação, o Creta ainda traz um GPS nativo. 

LEIA MAIS: Chevrolet Tracker e Renault Captur ficam lado a lado em comparativo

Sua ergonomia está nos conformes da categoria. Os belos bancos revestidos de couro sintético (na cor creme) são confortáveis e abraçam bem as costas do motorista. O volante multifuncional com regulagens de altura e profundidade ajuda a deixar o percurso ainda mais confortável.


Após me acomodar no assento, estabelecer a conexão do meu iPhone através do CarPlay e escolher uma música agradável no Spotify, começam a surgir as minhas primeiras desavenças com o Hyundai Creta. A versão Prestige é a única com o motor 2.0, de 166 cv e 20,6 kgfm de torque. É o mesmo do sedã Elantra, com câmbio automático, de seis marchas. 

LEIA MAIS: Jeep Renegade Limited: quando o máximo nem sempre é o melhor

É aí, no sistema de transmissão, que fica o "calcanhar de Aquiles" do Creta. O câmbio automático é confuso e não faz boa leitura da intensidade de força que o motorista coloca no pedal de acelerador. Além disso, costuma "patinar" em aclives, com reduções bruscas, e não aflora o que há de melhor no motor 2.0. A Hyundai diz que o Creta acelera de 0 a 100 km/h em 9,7 segundos. 

Com esse ajuste do câmbio, fica a impressão que procuraram manter o motor sempre em baixa rotação para conter o consumo do motor 2.0 flex. De acordo com o Inmetro, o Creta Prestige pode marcar 6,9 km/l na cidade e 8,2 km/l na estrada com etanol, além de 10 km/l na cidade e 11,4 km/l na estrada com gasolina.

O arranjo de suspensão foi pensado para as grandes cidades - ou seja, feito para enfrentar buracos. O Creta passa por crateras, valetas, estradas de terra e lombadas com sutileza, mas acaba pecando quando falamos de uma condução mais direta. Portanto, pegue leve nas curvas.

Um SUV familiar

Creta
Divulgação
O interior do Hyundai Creta Prestige da linha 2020 segue as novidades do modelo Diamond, do Salão do Automóvel

O porta-malas de 431 litros se mostrou suficiente para levar as mochilas e o material fotográfico de quatro ocupantes. Os passageiros do banco traseiro também curtiram o fato de terem uma saída de ar-condicionado e apoio de braço. Sem apertos, o Creta tem 2,59 m de entre-eixos que beneficiam o espaço interno.

LEIA MAIS: Honda HR-V Touring vale os R$ 139.900? Confira o nosso veredito

Se o conjunto mecânico fosse  mais bem acertado, o Hyundai Creta Prestige poderia ser uma das aquisições mais racionais entre os SUVs compactos acima de R$ 100 mil. Além de ser bem equipado, o utilitário de R$ 107.900 tem revisões em conta na comparação com os principais rivais. Aos 30 mil km, você terá deixado R$ 1,3 mil na concessionária, enquanto um dono de Renegade precisará desembolsar R$ 2 mil. 

Motor: 2.0, quatro cilindros,  flex

Potência: 166 cv a 6.200 rpm

Torque: 20,5 kgfm a  4.700 rpm

Transmissão:  Automático, 6 marchas, tração dianteira

Suspensão:Independente (dianteira) e eixo de torção (traseira)

Freios: Discos ventilados na dianteira e tambores na traseira

Pneus: 215/60 R17 

Dimensões: 4,27 m (comprimento) / 1,78 m (largura) / 1,63 m (altura), 2,59 m (entre-eixos)

Tanque : 55 litros

Porta-malas: 431 litros

Consumo: 10 km/l (cidade) /11,4 km/l (estrada) com gasolina

0 a 100 km/h: 9,7 segundos 

Vel. Max: 188 km/h

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários