Kia Cerato vermelho
Carlos Guimarães/iG
Kia Cerato 2020: traços que lembram o Stinger não foram acaso. Sedã ficou mesmo com tempero mais apimentado

Bem que olhei desconfiado para aquela frente que lembra a do  esportivo Stinger quando bati os olhos no Kia Cerato 2020 estacionado na frente da redação. Será que dessa vez o sedã ganhou apelo mesmo? A dúvida foi sanada depois de alguns dias ao volante, o que incluiu saídas de pedágio e algumas curvas numa ida rápida ao interior de SP no feriado.

 LEIA MAIS: Kia Cerato evolui na linha 2020. Confira as primeiras impressões ao volante

Aos poucos, fui me convencendo que o Kia Cerato 2020 ficou mais interessante que a geração anterior em alguns aspectos na briga no disputado terreno dos sedãs médios. Logo depois do lançamento, no final de setembro, a mídia destacou que o preço é um dos maiores trunfos do carro na comparação aos principais rivais. De fato, agora vindo do México e todo reformulado, modelo passou a ser mais competitivo.

Parte de R$ 94.990 na versão EX e chega a R$ 104.990 na topo de linha SX, que vem com ar-condicionado digital de duas zonas, luz diurna de LED, bancos com revestimento de imita couro e botão de partida entre os itens de série como itens que o diferenciam em relação à básica.

Mas não foi apenas o preço que me chamou atenção nesse Kia.  Ainda lembrando o Stinger, agora Cerato ficou mais divertido de guiar. Além da nova plataforma, o carro recebeu o motor 2.0 do SUV Sportage, que gera 167 cv e razoáveis 20,6 kgfm em altos 4.700 rpm é verdade, mas, se for levado em consideração os apenas 1.283 kg, o Kia passa a ter a melhor relação peso potência ante Civic , Corolla e Cruze (7,7 kg/cv contra 7,9 kg/cv do Toyota, 8,3 kg/cv do Honda e 8,6 kg/cv do GM).

 LEIA MAIS: Novo Corolla enfrenta os rivais Civic e Cruze. Qual dos três sedãs leva?

Na prática, isso significa que o Cerato ficou bem mais ágil que a geração anterior, superando o Civic na aceleração de 0 a 100 km/h, com 10,5 segundos, ante 10,9 s do concorrente. Apesar disso, Corolla e Cruze ainda são mais rápidos, com 9,2 s e 9 s, respectivamente. Além disso, com a maior leveza, o Kia se sai melhor nas curvas, mesmo com eixo traseiro de torção e borrachudos pneus coreanos Kumho 205/60R 16, enquanto a maioria dos rivais já conta com aro 17.

O motor 2.0 rende bem, mas é preciso  manter o giro um pouco mais alto para poder extrair boa agilidade do carro. Quanto a isso, a boa notícia é que o isolamento acústico é elogiável. Pode acelerar que o interior se mantém sempre em silêncio e sem vibrações indesejáveis, mas o consumo acaba ficando um pouco prejudicado, principalmente com apenas etanol no tanque, embora fique próximo do que consume o rival Civic na cidade, conforme dados do Inmetro (7 km/l do Kia ante 7,2 km/l do Honda).

 Acelerando o Kia Cerato 2020

Kia Cerato
Divulgação
Interior também tem itens do Stinger, como o volante e a central multimídia compatível com Android Auto e Apple Car Play


Numa tocada mais animada, o carro dá conta do recado, mas ainda falta um pouco mais de refinamento na rapidez das respostas do acelerador e do câmbio automático de seis marchas com hastes atrás do volante revestido de couro, de base achatada e com um dos três raios de alumínio vazado. Os freios eficientes também são uma grata surpresa, transmitindo segurança em qualquer situação.

O que também agradou no Cerato é que o carro tem quatro modos de condução, que pode ser selecionados a partir de um botão ao lado da alavanca de câmbio. Pode-se escolher pelas seguintes opções: econômico, esportivo, conforto e smart, que se adapta ao modo de dirigir do condutor. 

Ao ligar o sistema de som, também agradou a qualidade dos graves e agudos. A central multimídia é compatível com Apple Car Play e Android Auto e existem duas entradas USB, sendo uma delas para recarregar o celular, com maior amperagem. Em contrapartida não soou bem o mostrador digital do ar-condicionado com grafismo vermelho destoando dos demais, com fundo branco, mais atual.

 LEIA MAIS: Toyota Corolla vs Honda Civic: Veja qual deles desvaloriza mais

Porém, entre pros e contras, o saldo do Kia Cerato 2020 é positivo até por causa do espaço interno, como o mesmo entre-eixos de 2,70 metros dos rivais, mas com o maior porta-malas da categoria, com 520 litros, ante 519 do Civic , 470 litros do Corolla e 440 litros do Cruze. Bom também é que basta se aproximar do carro com a chave no bolso para a tampa traseira se abrir, o que facilita a vida se as duas mãos estiverem ocupantes carregando pacotes, por exemplo.

Conclusão

 A evolução do Kia Cerato da nova geração fica clara logo nos primeiros quilômetros ao volante.  O carro ganhou certo apelo esportivo e passou a ter preço competitivo. Bom espaço interno e uma lista interessante de equipamentos também fazem parte dos atrativos. Vale considerá-lo entre as opções se a idéia é levar um sedã médio hoje em dia.

Ficha técnica

Kia Cerato SX 2.0 

Preço: R$ 104.990
Motor: 2.0, flex, quatro cilindros
Potência: 167 cv (E) / 157 (G) a 6.200 rpm
Torque: 20,6 kgfm (E) / 19,2 (G) a 4.000 rpm
Transmissão: automática, seis marchas
Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) e eixo de torção (traseira)
Freios: disco ventilado (dianteira), disco sólido (traseira)
Dimensões: 4,64 m (comprimento), 1,80 m (largura), 1,44 m (altura), 2,70 m (entre-eixos)
Consumo: 10,1 km/l (cidade), 12,6 km/l (estrada), com gasolina
0 a 100 km/h: 10,5 segundos
Vel. Máx: 195 km/h

    Veja Também

      Mostrar mais