VW Polo GTS arrow-options
Carlos Guimarães/iG
VW Polo GTS e Renault Sandero RS garantem boa dose de diversão com volante de quem gosta de dirigir esportivos natos


Como diz a frase do jornalista, dramaturgo e escritor brasileiro, Caio Loureiro de Abreu, "a vida é feita de escolhas". Portanto, não há como ter tudo ao mesmo tempo. Uma opção escolhida deixa a outra para trás. E no caso dos hatches esportivos Renault Sandero RS e VW Polo GTS é preciso saber se você quer mesmo apenas um carro com bom desempenho, bem acertado para uso em pista, ou faz questão de requintes encontrados nos SUVs que as mamães usam para buscar seus filhotes na escola.

LEIA MAIS: VW Polo GTS é um resgate nostálgico aos anos 80; confira as primeiras impressões

Se sua escolha for por um esportivo puro, raíz, então não vai ficar decepcionado com o RS, cujo preço sugerido parte de R$ 69.690. Porém, caso não esteja interessado em tanta esportividade, mas em um acabamento mais caprichado, o conforto do câmbio automático e em um carro um pouco mais confortável no dia da dia, então terá que pagar o preço disso, uma vez que o VW Polo GTS não sai por menos de R$ 99.470. Vamos aos detalhes de cada um deles a seguir, depois de alguns dias rodando tanto na cidade quanto na estrada. 

O Renault Sandero RS é viceral. Foi preparado pelo renomado time da Renault Sport, da França, acostumado com modelos de competição, inclusive Fórmula 1. Para quem curte de verdade um esportivo sem frescuras vai gostar mesmo da combinação do motor 2.0, aspirado, com o câmbio manual de seis marchas com relações próximas "close ratio", que não deixam o giro cair entre os trocas.

Com apenas etanol no tanque, são 150 cv e 20,9 kgfm de torque a 4.000 rpm, porém, bem antes disso, o carro mostra uma boa dose de fôlego ajudado pelo câmbio e pela relação peso-potência favorável 7,8 kg/cv, um pouco melhor que a do rival GTS (8,1 kg/cv). Prova disso é que dá para ir de terceira para quinta, no plano, sem correr o risco do carro hesitar na aceleração. Bom também é notar o belo trabalho no sistema de escape.

No VW Polo GTS a esportividade não é tão latente, mas há uma série de detalhes mais refinados. No lugar do câmbio manual fica o automático, também de seis marchas, porém, com hastes no volante para trocas sequenciais. O motor é 1.4, turboflex, encontrado em outros modelos da marca alemã. Rende os mesmos 150 cv do RS, mas tem um sopro a mais de força (25,5 kgfm) que aparece um pouco mais cedo (1.500 rpm). Entretanto, o conversor de torque e o escalonamento das relações de marcha acabam atrapalhando essa vantagem teórica

Polo GTS e Sandero RS

VW Polo GTS arrow-options
Carlos Guimarães/iG
VW Polo GTS e Renault Sandero RS tém itens exclusivos que os tornam únicos entre os hatches compactos fabricados no Brasil


Na prática, alinhados um do lado do outro e com pé no fundo, o Renault acaba acelerando um pouco mais rápido que o Volkswagen . Conforme os dados das fabricantes, o RS faz de 0 a 100 km/h em 8 segundos, ante 8,4 s do GTS. Porém, se continuar acelerando (em pista fechada, hein...), o modelo da marca francesa atinge 202 km/h, ante 207 km/h do rival. Se a ideia é guiar com "a faca entre os dentes", então o RS mostra uma suspensão mais voltada para segurar o carro nas curvas, embora seja, de fato, desconfortável no piso irregular que temos em várias vias no Brasil até por causa dos pneus de perfil mais baixo (205/45R 17 ante 205/50R 17 do Polo).

LEIA MAIS: Renault Sandero RS: aceleramos na pista o  esportivo de verdade da linha 2020

Mesmo com acerto mais voltado para o conforto, o Polo GTS conta com novos bancos com largos apoios laterais, assim como o Sandero RS. Mas no resquito requinte, o Volkswagen se sobressai. O revestimento do GTS é mais resistente e capricharam mais no acabamento e no nível de sofisticação da central multimídia, com tela de melhor resolução. Ambos têm volantes de três raios, revestidos de couro (o do RS é do Clio europeu), mas no Polo fica uma maior quantidade de comandos. Além disso, o cluster é digital e configurável.

Outro detalhe que faz parte do pacote de detalhes "hi-tech" do GTS é a opção de ter na tela da central multimídia os medidores da pressão do turbo, da aceleração lateral e da potência usada no momento. Interessante e remete aos clássicos esportivos da Volkswagen, entre os quais o Passat GTS, que tinha no console central voltímetro de manômetro de óleo. Mas o ronco esportivo do motor soa um tanto artificial, ao contrário do que acontece no instigante Sandero RS.

Na linha 2020, o modelo da Renault passou a ter lanternas fumês maiores, que invadem parte da tampa do porta-malas, um pouco maior que do Polo. São 320 litros, ante 300 l do concorrente da VW. Há também que se elogiar as belas rodas de ambos os hatches esportivos, mas as do RS nos pareceram mais autênticas, combinando com as pinças de freio pintadas de vermelho. Para embelezar o GTS, instalaram faróis com filetes de LED em harmonia com outros vermelhos, bem como defletor de ar na traseira, com pintura preta brilhante.

LEIA MAIS: Veja 5 esportivos que parecem bons, mas estão longe disso

Conclusão

Se a ideia é realmente ter apenas um esportivo raíz, então a melhor escolha é o Renault Sandero RS, que é R$ 30 mil mais barato que o VW Polo GTS , um carro voltado para um rodar mais confortável no dia a dia, além de ter nível de sofisticação superior. É, não dá mesmo para ter tudo ao mesmo tempo.

Ficha Técnica - VW Polo GTS

Preço: a partir de R$ 99.470

Motor:  1.4, turboflex, quatro cilindros

Potência:  150 cv a 4.500 rpm

Torque:  25,5 kgfm a 1.500 rpm

Transmissão:  Automático, seis marchas, tração dianteira

Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / eixo de torção (traseira)

Freios: Discos ventilados (dianteiros) / tambores (traseiros)

Pneus:  205/50 R17

Dimensões: 4,07 m (comprimento) / 1,75 m (largura) / 1,48 m (altura), 2,56 m (entre-eixos)

Tanque: 52 litros

Porta-malas: 300 litros 

Consumo gasolina: 11 km/l (cidade) / 13,7 km/l (estrada)

0 a 100 km/h: 8,4 segundos 

Velocidade máxima: 207 km/h 

Ficha Técnica - Renault Sandero RS

Preço: a partir de R$ 69.690

Motor:  2.0, quatro cilindros, flex

Potência:  150 cv (E) / 145 cv (G) a 5.750 rpm

Torque:  20,9 kgfm (E) / 20,2 (G) a 4.000 rpm

Transmissão:  Manual, seis marchas, tração dianteira

Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / eixo de torção (traseira)

Freios:  Discos ventilados (dianteiros) / discos sólidos (traseiros)

Pneus:  205/45R 17 

Dimensões: 4,07 m (comprimento) / 1,73 m (largura) / 1,50 m (altura), 2,59 m (entre-eixos)

Tanque: 50 litros

Porta-malas: 320 litros 

Consumo gasolina: 9,9 km/l (cidade) / 11,1 km/l (estrada)

0 a 100 km/h: 8 segundos

Velocidade máxima:  202 km/h

    Veja Também

      Mostrar mais