Fiat Pulse Audace 200T: versão turbo mais em conta que a topo de linha Impetus não vem com faróis de neblina
Carlos Guimarães/iG
Fiat Pulse Audace 200T: versão turbo mais em conta que a topo de linha Impetus não vem com faróis de neblina

Depois de ter andado na versão topo de linha Impetus 200T e na Drive 1.3 CVT, lá fomos nós experimentar a Audace, a turbinada um degrau acima da básica e um abaixo da topo. Para quem faz questão de desempenho, nos pareceu a melhor alternativa na linha do Pulse, mas não a mais indicada de todas.

Com preço sugerido de R$ 119.020, o Fiat Pulse Audace é R$ 12.021 mais em conta que a topo de linha Impetus (R$ 131.041). A diferença se explica por alguns equipamentos a mais na versão mais cara, como faróis de neblina, sensores no para-choque dianteiro, volante com ajuste de profundidade e retrovisores rebatíveis eletronicamente.

São itens que acabam não fazendo muita falta no dia a dia. Além disso, a versão Audace já vem com itens interessantes, como câmera traseira para ajudar nas manobras, monitoramento da pressão dos pneus, ar-condicionado digital, retrovisor fotocrômico, volante multifuncional, carregador por indução, controle de velocidade de cruzeiro ("piloto automático"), entre outros.

A unidade avaliada estava com alguns opcionais, como central multimídia com GPS nativo e rodas de aro 17 montadas em pneus 205/50R no lugar das de 16 polegadas de diâmetro com pneus 195/60R de série. De jeito que as ruas estão esburacadas em São Paulo, valeria mais a pena continuar com as menores para ajudar a absorver as irregularidades do piso e deixar o carro mais confortável.

O velocímetro e o contagiros analógicos no lugar dos digitais da versão Impetus também não incomodaram nem um pouco. Para os puristas, funcionam até melhor. Claro que, pela tela do computador de bordo , é possível selecionar a função de velocímetro digital, mais preciso para dirigir dentro dos limites permitidos, algo cada vez mais necessário à medida em que os radares se espalham por todos os cantos.

Outro ponto positivo fica por conta do sistema de som e das entradas USB , inclusive as que podem ser usadas no banco traseiro para carregar o celular. Porém, ainda continuo achando que há muitos botões juntos no console central, o que prejudica a ergonomia .

Interior do Fiat Pulse Audace 200T conta com contagiros e velocímetro analógicos em vez de digitais
Divulgação
Interior do Fiat Pulse Audace 200T conta com contagiros e velocímetro analógicos em vez de digitais

Entretanto, a solução de controlar a velocidade do ventilador e a temperatura do ar-condicionado em um botão só merece aplausos pela praticidade, recurso que só se tornou possível com ajuda da boa tela do multiimídia.

Ao unir o motor 1.0 turbo com câmbio automático CVT a Fiat fez uma escolha pouco comum. Se a ideia foi tentar unir desempenho com economia de combustível , o resultado final não foi dos melhores. Até que o carro anda bem, acelerando de 0 a 100 km/h em plausíveis 9,4 segundos, bom fôlego nas retomadas, com bons 20,4 kgfm de torque a meros 1.700 rpm, mas o consumo fica acima do ideal. O problema é o consumo.

De acordo com os números do Inmetro, o Fiat Pulse Audace 200T é capaz de fazer 12 km/l de gasolina na cidade e 14,6 km/l na estrada, números que passam para 8,5 km/l e 10,2 km/l com etanol, respectivamente. Conforme a mesma fonte, com o combustível vegetal o carro pode rodar 400 km na cidade e 479 km na estrada, mas não conseguimos chegar a essas marcas mesmo pisando de leve no acelerador durante a avaliação.

Por outro lado, o Pulse se mostrou valente para superar obstáculos urbanos, como lombadas e valetas, com ajuda do vão livre do solo de 19,6 cm. Mesmo assim, o carro consegue se manter estável nas curvas e agradável de dirigir , entre outros motivos, pela facilidade de ajustar a posição ideal no banco do motorista, boa visibilidade e com os sistemas de direção e freios bem assistidos.

Assim como o VW Nivus e o novo modelo da Renault que vem por aí, o Fiat Pulse é um "meio SUV meio hatch", com espaço interno apenas razoável, inclusive no porta-malas de 370 litros.

Tem bastante plástico por dentro do carro, mas o visual é arrojado , com destaque para as lanternas traseiras de LED. Na frente, o capô é alto, o que pode prejudicar um pouco a visibiidade nas manobras de estacionamento.

Conclusão

Se fizer mesmo questão de um Pulse turbinado, a melhor versão é a Audace. Mas, das três que já andei até agora, a mais indicada é a Drive 1.3 CVT (R$ 105.570), que oferece um pacote interessante de equipamentos, além de ser bem mais econômica e com um conjunto que funciona com eficiência.

Pelo ranking de vendas, o "meio SUV meio hatch" da Fiat está entre os 10 mais vendidos no acumulado do primeiro semestre de 2022, com 24.035 unidades.

Ficha técnica

Fiat Pulse Audace (R$ 119.020)

Motor: 1.0, turboflex

Potência: 130 cv (E) a 5.750 rpm/ 125 cv (G) a 5.750 rpm

Torque: 20 kgfm a 1.700 rpm

Transmissão: CVT, simulando 7 marchas

Freios: discos ventilados (dianteira), discos sólidos (traseira)

Dimensões: 4,10 m de comprimento, 1,58 m de altura, 1,78 m de largura e 2,53 m de entre-eixos

Porta-malas: 370 litros

Consumo: 8,5 km/l na cidade e 9,2 km/l na estrada com etanol e 12 km/l e 14,6 km/l com gasolina

0 a 100 km/h: 9,4 s

Vel. Max: 189 km/h

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários