Nissan GT-R na versão conceitual de 50 anos do modelo pode servir de base para a nova geração
Divulgação
Nissan GT-R na versão conceitual de 50 anos do modelo pode servir de base para a nova geração

A Nissan confirma que o carro-chefe da marca, o GT-R, receberá eventualmente uma motorização eletrificada. O diretor de operações da Nissan, Ashwani Gupta, concedeu entrevista ao portal Top Gear e confirmou a informação, porém, a fabricante acredita que ainda não é a hora.

Apesar de outras fabricantes tradicionais já desenvolverem esportivos elétricos, Gupta e Nissan acreditam que a tecnologia atual não é o suficiente para manter o legado do GT-R ou até mesmo da renovada linha Z.

“No momento, quando fazemos simulações para eletrificar esses veículos, não encontramos a tecnologia ideal para definir o que é ‘Z’ e o que é ‘GT-R’. Porque não são apenas carros, é nossa cultura", disse Gupta ao site da Top Gear.

Ao contrário da linha Z  que retornou ao mercado recentemente, a atual geração do GT-R R35 , se aproxima do final de sua vida. No mercado por quase 15 anos, o modelo foi descontinuado na Europa por não se enquadrar à regulamentação sonora europeia.

No Japão e Estados Unidos, o GT-R sobrevive com ajuda de edições especiais como a T-Spec engineered by Nismo, entretanto, caminha para o fim de produção, já que a linha 2022 foi lançada somente no Japão, e os pedidos foram encerrados no último mês de maio.

Caso a Nissan apresente a geração R36 do GT-R , é esperado uma versão híbrida leve, auxiliando motor a combustão em momentos de baixa velocidade, e quando necessário, garantir bom desempenho.

Caso a versão elétrica um dia chegue, é esperada que seja somente na geração R37 , já que é provável que a Nissan desenvolva uma plataforma tão longeva como é a da atual geração, lançada em 2007.

Recentemente a Nissan firmou uma parceria com a Universidade de Oxford, no Reino Unido, para pesquisa e desenvolvimento de baterias e outras tecnologias elétricas.

Além disso, a Nissan investiu o equivalente a R$ 6,3 bilhões na construção de uma megafábrica em Sunderland, Inglaterra, que deverá ficar pronta no final da década.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários