País irá receber 10 mil unidades do utilitário que começou a ser produzido em Araquari em março

BMW X1
Divulgação/BMW
BMW X1

A BMW  assinou um plano de exportação de 10 mil unidades do utilitário X1 , fabricadas em Araquari (SC), para os Estados Unidos. Com isso, o complexo brasileiro será responsável por fornecer o SUV para o país, onde as vendas começam em julho. Para ser capaz de suprir a demanda, a BMW contratou mais 300 empregados temporários, alcançando a marca de 1 mil funcionários. Serão enviadas três versões do X1 , equipadas com o motor 2.0 turbo de 231 cv. Atualmente, o modelo vendido por lá é feito na Alemanha e parte de US$ 34,8 mil.

O X1 nacional é montado no esquema CKD, atendendo o índice de nacionalização de 65%. Ou seja, 35% das peças ainda são importadas e o carro apenas é montado por aqui. A produção do X1 começou em março e é o último dos cinco veículos que haviam sido confirmados para montagem nacional – os outros quatro são o hatchback Série 1 , o sedã Série 3 , o SUV X3 e o Mini Cooper Countryman .

A nova geração do BMW X1 começou a ser produzida em Araquari (SC) em março deste ano.
Divulgação/BMW
A nova geração do BMW X1 começou a ser produzida em Araquari (SC) em março deste ano.

"Além de fortalecer a nossa posição no mercado, a iniciativa demonstra que a fábrica de Araquari atende a todos os requisitos de qualidade e eficiência exigidos pelo BMW Group, estando apta a fornecer veículos para outros mercados, entre eles, o norte-americano, reconhecidamente um dos mais exigentes do mundo", afirma Helder Boavida, Presidente e CEO do BMW Group Brasil .

É uma estratégia interessante. Enquanto muitas fabricantes estão cortando seu quadro de funcionários para se adequar à queda nas vendas, a BMW encontrou uma solução para manter a fábrica a todo vapor. Recentemente, o site americano Economic Times revelou que o Ford EcoSport vai ser vendido nos EUA, mas importado da Índia, e não do Brasil , um golpe no estômago dos funcionários da fábrica em Camaçari (BA), onde 1,1 mil empreagos estão em lay-off pela queda na demanda.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.