Modelos Accord, Civic, City, CR-V e Fit são equipados com airbag mortífero da Takata. Equipamento pode disparar fragmentos metálicos no interior do veículo

Honda fará o recall de 21 milhões de veículos no mundo todo para substituir os airbags da Takata.
Reprodução
Honda fará o recall de 21 milhões de veículos no mundo todo para substituir os airbags da Takata.

A Honda  anuncia o recall de 325.130 veículos no Brasil para substituição dos airbags de passageiro feitos pela empresa Takata. A convocação afeta os modelos Accord , Civic , City, CR-V e Fit , produzidos entre 2009 e 2011 (no caso do Accord , desde 2004) e faz parte da campanha mundial de 21 milhões de veículos.

Stephanie Erdman, uma das pessoas feridas pelo airbag da Takata. Um fragmento do equipamento instalado em seu Honda Civic atingiu seu olho.
reprodução/ABC
Stephanie Erdman, uma das pessoas feridas pelo airbag da Takata. Um fragmento do equipamento instalado em seu Honda Civic atingiu seu olho.

Os airbags produzidos pela Takata utilizam um componente químico chamado nitrato de amônia. O item vai se deteriorando com o tempo e com a umidade, afetando seu modo de funcionamento. Ao disparar o airbag nessa situação, o acionamento será mais forte do que o normal, rompendo a estrutura do insuflador e disparando fragmentos metálicos no interior do veículo.

Confira os códigos de chassis e a data de fabricação dos modelos afetados pelo recall dos airbags da Takata
Divulgação/Honda
Confira os códigos de chassis e a data de fabricação dos modelos afetados pelo recall dos airbags da Takata

Os proprietários dos modelos com as numerações de chassi acima devem entrar em contato com a central de atendimento da Honda para marcar a substituição do airbag. Para mais informações, acesse o site da marca ou ligue para 0800 701 3432 (segunda a sexta-feira, das 8h às 20h).

Matérias relacionadas:

Honda fará recall de 21 milhões de carros no mundo por airbag mortal

Airbag mortal leva a recall de 12 milhões de veículos nos EUA

Os 10 maiores escândalos da indústria automobilística

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.